Peça um orçamento Login
Artigo

Treinamentos para empresas: tipos e temas corporativos

Redação Alura

Neste artigo você verá os principais tópicos sobre treinamentos para empresas: tipos e exemplos de treinamentos corporativos, benefícios de treinamentos online, presenciais, síncronos e assíncronos e por que investir na educação corporativa.

O mercado de treinamentos corporativos está crescendo, como aponta o especialista Josh Bersin. Novas plataformas de cursos e LMS, assim, ganham espaço. Mas entre tantas possibilidades, o que é prioridade para as empresas quando o assunto é treinamentos e educação corporativa?

O crescimento do setor responde não apenas às necessidades das organizações em relação ao seu crescimento, mas também a movimentos globais do mercado de trabalho e ao desejo de experiências mais significativas.

Segundo uma pesquisa da McKinsey & Company:

“O que estamos vendo é um descompasso fundamental entre a demanda de talentos das empresas e o número de trabalhadores dispostos a fornecê-lo. Os empregadores continuam a contar com alavancas tradicionais para atrair e reter pessoas, incluindo remuneração, títulos e oportunidades de avanço. Esses fatores são importantes, principalmente para um grande reservatório de trabalhadores que chamamos de “tradicionalistas”. No entanto, a pandemia do COVID-19 levou mais e mais pessoas a reavaliar o que querem de um trabalho – e da vida – o que está criando um grande grupo de trabalhadores ativos e potenciais que estão evitando o caminho tradicionalista.

Treinamentos para empresas, dessa maneira, representam mais do que desenvolvimento pontual. São estratégias para promover um aprendizado que dialogue com as metas de negócio, para atrair, engajar e fidelizar pessoas.

Por essa razão, exploramos melhor, neste artigo, alguns tipos de treinamentos fundamentais e estratégias que auxiliarão o seu negócio.

pessoas em treinamentos para empresas

5 Tipos de treinamentos para empresas

1. Onboarding

Este é um dos treinamentos para empresas mais difundidos no mercado e é essencial para o sucesso de novas pessoas colaboradoras.

O onboarding é o primeiro treinamento em uma empresa, de modo geral. Mas o que antes era uma imersão em cultura organizacional, valores e processos corporativos, hoje ganha novos contornos.

VEJA TAMBÉM:

Sim, o onboarding ainda continua como um momento de interação e apresentação da empresa, para que a pessoa se sinta acolhida. E se a primeira imagem é a que fica, o onboarding pode ser um diferencial para Employee Experience e Employer Branding.

Além disso, é um processo de integração. Afinal, chegar em um lugar novo significa aprender novos procedimentos e regras. Portanto, facilita a ambientação da nova pessoa colaboradora.

Contudo, hoje o onboarding é também uma forma de preparar as pessoas para as suas funções.

Conforme um relatório da Brasscom, a estimativa é que as empresas de tecnologia demandem 797 mil talentos de 2021 a 2025. Porém, a projeção é de um déficit anual de 106 mil talentos - 530 mil em 5 anos.

diagnóstico de turnover

Com um alto turnover, alta competitividade por talentos e a escassez de profissionais com qualificação e experiência, a aposta da vez tem sido acelerar a curva de aprendizado de profissionais mais iniciantes, preparando pessoas para as suas funções.

Sendo assim, se antes o onboarding era um treinamento de um ou dois dias, hoje também se prolonga, chegando até a meses de onboarding para capacitação, sobretudo nas áreas de tecnologia.

Se você está em busca de inspiração para o seu programa de onboarding, veja a estratégia do Nubank para o onboarding remoto:

2. Upskilling

Treinamentos de Upskilling são treinamentos voltados à atualização ou aprofundamento de determinados conhecimentos.

Já falamos, em outro momento, sobre a importância do Upskill para o setor de tecnologia.

Em um cenário em constante transformação, manter times atualizados pode ser um desafio corporativo. Por isso, é preciso investir em aprendizado contínuo junto a uma estratégia de educação corporativa.

Além disso, o Upskilling é um dos treinamentos para empresas para ser aliado do PDI (plano de desenvolvimento individual) e do plano de carreira, acompanhando as pessoas conforme seu progresso em senioridade.

3. Reskilling

Em paralelo ao Upskilling, outro tipo de treinamento para empresas que conquistou o mercado de tecnologia é o Reskilling.

Enquanto o Upskilling é uma atualização ou aprofundamento em uma área de conhecimento que a pessoa já domina, o Reskilling é o aprendizado de habilidades e competências em outras áreas de conhecimento.

Também já falamos sobre a tendência do Reskill em outro artigo.

Citamos, antes, os problemas de turnover e escassez de talentos que estão afetando inúmeras empresas ao redor do mundo. Mas além da aceleração de profissionais iniciantes, o Reskilling se tornou uma estratégia poderosa. Isto porque permite a transição de pessoas que já estão na organização para as áreas mais demandadas da empresa.

Imagine, por exemplo, que uma pessoa de vendas queira migrar para TI, mas não tem o conhecimento necessário para isso. Ao estimular o Reskilling e oferecer meios para essa transição, a empresa não somente suprirá uma vaga talvez mais difícil de ser preenchida, como também investirá em uma experiência positiva.

As pessoas estão em busca de mudanças. Um dado do LinkedIn Learning em 2021 aponta que pessoas colaboradoras de organizações que promovem mais a mobilidade interna permanecem com a empresa por 2x mais tempo. E isto está conectado também à capacidade da organização em atender às aspirações individuais também.

4. Treinamentos de Soft Skills

Reskilling e Upskilling, treinamentos voltados a habilidades e competências técnicas, não são o único foco das organizações. Se pensarmos na formação em T, as pessoas precisam ir além. E são as Soft Skills que impulsionam esses saberes.

Por isso, além de desenvolver as Hard Skills, as empresas podem oferecer treinamentos de Soft Skills - ou Power Skills, como são chamadas atualmente.

As Power Skills são habilidades interpessoais que potencializam o conjunto de habilidades e competências do indivíduo.

Entre os treinamentos para empresas mais comuns, quando o assunto são Soft Skills, estão comunicação e liderança.

Peguemos, por exemplo, uma pessoa dev sênior, bastante experiente em sua área e buscando migrar para uma liderança tech. Contudo, sua comunicação não é tão boa, o que leva a falhas em projetos, e ela ainda tem dificuldades em delegar tarefas, assumindo o que pode, porque “dá conta”.

Ainda que seja a melhor profissional em sua área, ela precisa desenvolver habilidades interpessoais para que seus conhecimentos alcancem todo o seu potencial.

5. Treinamentos para lideranças

Por fim, outro tipo de treinamento para empresas é o treinamento para lideranças, conhecido, em muitos lugares, como PDL (programa de desenvolvimento de líderes).

Como trouxemos no exemplo anterior, ser líder não é apenas um progresso na carreira, embora seja visto assim em planos de carreira mais tradicionais. Ser líder é assumir responsabilidades distintas, zelar pelo sucesso de times, e envolve mais do que conhecimento técnico.

Mesmo profissionais sêniores podem não estar preparados para os desafios de uma boa liderança. Contudo, às vezes se encontram já nesse desafio e não sabem bem qual caminho seguir.

O treinamento para lideranças, então, oferece insights, apoio, para que essas pessoas possam liderar a si e a outras pessoas.

Treinamentos online x treinamentos presenciais

O online veio com força no mundo pós-pandêmico, mas isto não exclui o poder dos treinamentos presenciais. A tendência é que as estratégias de educação corporativa, cada vez mais, unam as forças de cada tipo de treinamento para empresas.

O blended learning, por exemplo, une treinamentos corporativos online a treinamentos presenciais. Uma parte do treinamento pode ser realizada à distância, enquanto outra parte é realizada através de encontros presenciais.

O lado bom dos encontros presenciais é a interação que eles permitem, o que se reflete em engajamento. Contudo, mesmo os treinamentos online avançaram bastante nos últimos anos. Como veremos adiante ao falar de treinamentos síncronos e assíncronos, há outras estratégias que incentivam o aprendizado tanto quanto como se as pessoas estivessem no mesmo ambiente físico.

Já a vantagem dos treinamentos para empresas online é a flexibilidade que eles permitem. A educação EAD permite que as pessoas possam aprender a qualquer hora e lugar, conforme a sua rotina, o que estimula o aprendizado contínuo.

Além disso, treinamentos online oferecem escala às estratégias de educação corporativa. Ou seja, mais pessoas podem se desenvolver e crescer junto ao negócio.

Treinamentos síncronos x treinamentos assíncronos

Mesmo os treinamentos para empresas online não são todos iguais. Há diferentes estratégias que uma empresa pode adotar em seus treinamentos para alcançar diferentes objetivos. Entre elas está a utilização de treinamentos síncronos e assíncronos.

Treinamentos síncronos são aqueles onde a pessoa instrutora ministra a aula em simultâneo à pessoa aluna. Ou seja, são espaços ao vivo. O treinamento síncrono perde um pouco em flexibilidade, já que ambas as pessoas precisam de um espaço na agenda pré-reservado. No entanto, ele ganha em interação.

Imagine ter as dúvidas respondidas ao mesmo tempo em que assiste a um conteúdo. Isto gera um sentimento diferente em quem está aprendendo: a sensação de ser ouvido.

Isto não significa que, no treinamento assíncrono, alunos e alunas não serão ouvidos. Pelo contrário, talvez as respostas para as suas dúvidas sejam ainda mais completas, uma vez que há mais tempo para saná-las. Para isso, há fóruns, chats e até e-mail.

O lado positivo do treinamento assíncrono é justamente permitir que as pessoas realizem as atividades ao seu tempo e nas suas condições. Isto pode significar assistir a uma aula no trânsito, em intervalos de tarefas, após o expediente, sem a necessidade de ter um horário rígido para isso.

Uma estratégia que apoiamos aqui na Alura Para Empresas é a oferta de treinamentos assíncronos, que permite o microlearning, e a realização de eventuais treinamentos síncronos, como lives, para engajar as pessoas no aprendizado.

Veja mais sobre as vantagens de cada um em nosso artigo sobre e-learning.

Como fazer um treinamento em uma empresa

Fazer um treinamento em uma empresa depende do objetivo que se deseja.

Há, por exemplo, treinamentos pontuais, que cumprem com uma função específica em um momento específico. Há treinamentos periódicos, como onboardings e treinamentos de lideranças. E há treinamentos contínuos, disponíveis sempre que forem necessários.

Nos casos em que a empresa opta por oferecer treinamentos contínuos, recomendamos a criação de trilhas de estudo. Assim, há um caminho a ser seguido, o que contribui para o progresso. E quanto mais perceptível o progresso, maior o engajamento.

Ainda, trabalhar com trilhas de estudo guia as pessoas a se desenvolverem conforme também as metas de negócio, o que contribui para um visão de ROI.

Por que investir em treinamentos corporativos

Treinamentos corporativos são importantes para engajamento, produtividade e crescimento na organização. Principalmente, eles oferecem uma experiência diferenciada para as pessoas.

Na pesquisa realizada pela McKinsey & Company, para 41% das pessoas entrevistadas um dos fatores mais relevantes para deixar um emprego é a falta de avanço na carreira. Para 34% delas, a falta de lideranças cuidadosas e inspiradoras também.

Realizar treinamentos para empresas, portanto, significa mais do que apenas oferecer um benefício eventual. É construir uma trajetória significativa. É oferecer um onboarding que criará uma memória positiva. É incentivar o aprendizado contínuo. É criar oportunidades.

E a Alura Para Empresas apoia o seu negócio no desenvolvimento de pessoas. Fale com nossos consultores e conheça os programas e benefícios que oferecemos para você capacitar seus times em tecnologia.

Estas empresas confiam na Alura para Empresas

Junte-se a mais de 5000 empresas que já capacitaram seus times com nossas formações.

  • Logo daa Dasa class=