Peça um orçamento Login
Artigo

Power Skills: o que são, exemplos e como desenvolver

Redação Alura

Neste artigo você verá as principais informações sobre Power Skills: o que são, diferenças entre Soft Skills e Hard Skills, exemplos de Power Skills e como desenvolver “habilidades de poder” nas empresas.

Tente relembrar como o mercado era há 10 anos. Agora avance um pouco e pense em como era o cenário em 2019. Veio, então, o ano de 2020, a pandemia, a necessidade de repensar modelos.

Nesse exercício, vemos o quanto o mundo está mudando rapidamente, e não apenas depois de 2020. As pessoas se transformam e, com elas, as empresas. Mas no setor de tecnologia isto talvez seja mais evidente, com inovações a cada momento, novas técnicas, novos produtos, unicórnios que surgem e, infelizmente, também desaparecem.

Como escreve Adam Grant:

“Em um mundo que muda muito rápido, precisamos pensar e repensar na mesma medida. Repensar é uma habilidade, mas também uma mentalidade. Muitas das ferramentas mentais de que precisamos nós já temos, só precisamos nos lembrar de pegá-las no fundo do armário e tirar a ferrugem.”

Problemas complexos exigem novas soluções. E ao mesmo tempo em que parte dessas soluções advém de inovações técnicas, por trás há habilidades interpessoais em operação.

Para a rápida mudança, há a adaptabilidade. Para os novos processos, a comunicação. Para equipes que se formam, a liderança.

Fazer diferente, portanto, exige um posicionamento que alie conhecimento técnico, estratégias de negócio e habilidades interpessoais que impulsionem as outras habilidades e competências.

Por essa razão, falamos melhor sobre as Power Skills e seu impacto no setor tech!

desenvolvimento de Power Skills

O que são Power Skills

Power Skills ou, em tradução, “Habilidades de Poder”, são habilidades comportamentais importantes para o desenvolvimento pessoal e profissional do indivíduo.

O termo tem ganhado destaque nas mídias e eventos, e não é por menos. Ainda que habilidades e conhecimentos técnicos sejam essenciais para o sucesso profissional, a sua aplicação depende também de como as pessoas transitam por suas habilidades comportamentais.

VEJA TAMBÉM:

Comunicação, liderança, adaptabilidade. Todas essas skills se unem a skills mais técnicas no dia-a-dia do ambiente de trabalho.

Há, ainda, que entenda que Power Skills são a mescla entre Hard Skills e Soft Skills. Ou seja, uma união poderosa que se reflete no potencial individual e faz com que a pessoa se diferencie.

Mas vejamos melhor as diferenças.

Diferença entre Power Skills e Soft Skills

A maior parte das pessoas veem as Power Skills como uma reatualização das Soft Skills. Em tradução literal, Soft Skills significam “habilidades leves”. No entanto, não é porque são habilidades comportamentais que são mais fáceis de serem desenvolvidas ou que possuem menor impacto na carreira de uma pessoa.

Soft Skills e Hard Skills possuem igual importância no desenvolvimento individual e também corporativo.

Então, para evitar essa cognição, muitas pessoas optam por falar de Power Skills. Isto é, habilidades que potencializam o conhecimento técnico do indivíduo.

avaliação de competências

Diferença entre Power Skills e Hard Skills

Da mesma forma, portanto, a diferença entre Power Skills e Hard Skills é o tipo de habilidade e, consequentemente, a forma de desenvolvê-la.

Enquanto Power Skills podem ser atribuídas a habilidades interpessoais, sinônimo de Soft Skills, as Hard Skills são atribuídas a habilidades técnicas.

As Hard Skills são desenvolvidas por meio de estudo e prática, através de cursos e treinamentos. Já as Power Skills e as Soft Skills também podem ser desenvolvidas através de cursos, mas não podem ser medidas da mesma maneira.

Os cursos e treinamentos, nestes casos, oferecem exercícios, teorias e exemplos práticos, mas não definem, de fato, o nível de habilidade interpessoal, ao menos não da mesma forma que com as Hard Skills.

Qual a importância das Power Skills para o mercado de tecnologia

Skills técnicas são essenciais no setor de tecnologia. Isto é inegável. Do contrário, não veríamos uma busca tão grande por profissionais de programação com experiência e conhecimento em determinadas linguagens.

Porém, o conhecimento técnico não é tudo. No dia-a-dia, todo esse conhecimento sofre interferência das habilidades interpessoais. E o que vemos como resultado prático é uma mescla de Power Skills e Hard Skills.

Um artigo publicado na The Josh Bersin Company aponta: enquanto o gap em “digital skills” está sendo endereçado, o gap em skills como liderança, trabalho em equipe, resolução de problemas complexos, não.

As Power Skills, portanto, contribuem para que todo o conhecimento, especialidade e experiência de uma pessoa seja posto em prática também de forma estratégica para o negócio, com vista à inovação, ao trabalho em equipe e à produtividade.

Veja, por exemplo, este case da Suzano:

Para desenvolver pessoas em tecnologia, a Suzano implementou uma estratégia que olha as competências em 3 pilares:

  • Hard Tech: competências mais técnicas, que exigem profundidade sobre o tema, como aquelas relacionadas a programação;
  • Competências de negócio: skills tech que se associam ao negócio para que mesmo especialistas em Hard Tech possam entender o modo de operação e como suas atividades se encaixam dentro dos objetivos gerais de negócio;
  • Power Skills: uma releitura das Soft Skills, competências que empoderam a fazer tech.

Assim, as Power Skills potencializam toda a empresa no processo de transformação digital.

Exemplos de Power Skills de tecnologia

Veja alguns exemplos de Power Skills analisadas também no setor de tecnologia

1. Comunicação

A Power Skill de comunicação é um elemento essencial em qualquer trabalho. Isto porque, mesmo pessoas que trabalham sozinhas precisam se comunicar com times diferentes, com stakeholders e clientes.

Uma boa comunicação garante o alinhamento, otimiza o tempo e contribui para que o resultado final seja aquele esperado.

2. Organização

A organização pode ser um grande obstáculo à produtividade, mas também pode ser a causa das falhas de comunicação observadas na Power Skill anterior.

Como você verá, uma Power Skill pode influenciar em outra, porque as pessoas são o conjunto dessas habilidades.

Organização, enfim, se relaciona a autocompreensão, autogestão e planejamento.

3. Autogestão

A Power Skill da autogestão é a habilidade de direcionar suas próprias atividades de forma proativa. Ou seja, a capacidade de ser seu próprio gestor.

Isto não significa ausência de liderança externa, mas que o indivíduo é capaz de se auto-orientar dentro das demandas que lhe são passadas sem um microgerenciamento.

4. Trabalho em equipe

O trabalho em equipe se relaciona à habilidade de trabalhar com outras pessoas, de entender funções e potenciais, se comunicar bem, delegar e colaborar quando necessário. Assim, todos os membros da equipe podem dar o melhor de si para gerar um resultado positivo aos negócios.

5. Pensamento crítico

A Power Skill de pensamento crítica é importante em qualquer negócio, mas tem ainda mais valor quando falamos de inovação.

Inovar não é fazer diferente por fazer, mas entender como agregar melhorias a um produto ou processo. E para isto é preciso ver de forma crítica também, entender riscos e oportunidades para agir com assertividade. Para pensar criticamente, é necessário profundidade e diversidade. Quanto mais pontos de vista, maior a probabilidade de enxergar um tópico em sua totalidade.

6. Criatividade

Criatividade e inovação andam juntas. Porém, como escreve Austin Kleon em suas dicas sobre criatividade, agir criativamente não é necessariamente inventar algo que não existe. É, talvez, transformar elementos, atribuir-lhes novas formas e funções.

Pensando na área de tecnologia, essa Power Skill pode estar na revisão de processos, na revisão de técnicas, na revisão de produtos. E sem dúvidas, ela reflete no que é entregue aos clientes finais.

7. Proatividade

Antes, trouxemos a autogestão como uma Power Skill que é tendência. E a autogestão vem de saber se organizar sem a necessidade de alguém que faça isso por você. Mas também citamos a proatividade quando trouxemos isso.

Ser uma pessoa proativa significa propor ideias, assumir demandas, engajar com os projetos. Em um mercado que muda de forma tão veloz, não se pode esperar que a mudança sempre venha de cima. Ela parte de todos nós, em menor ou maior grau, dentro ou fora das nossas competências.

8. Empatia

Agir com empatia significa olhar para a outra pessoa e entender seu posicionamento. E este é um elemento essencial não apenas para o trabalho em equipe, como também para a entrega de valor a clientes.

Falamos muito sobre experiência do cliente (Customer Experience), experiência do colaborador e da colaboradora (Employee Experience). E criar experiências depende da compreensão das dores e das necessidades das pessoas.

9. Resolução de problemas

Problemas sempre vão surgir, mas a forma como lidamos com eles é o que nos diferencia. Resolver problemas complexos talvez seja uma Power Skill que dependa de outras, como Pensamento Crítico, Criatividade, Inteligência Emocional, entre outras.

Contudo, o principal ponto da resolução de problemas está em avaliar cenários e conectar pontos. Por isso, é preciso ter uma visão que, ao mesmo tempo, foque sobre o tópico, mas também enxergue sua amplitude e os diversos pontos de interferência.

10. Adaptabilidade

Por fim, a Power Skill com a qual iniciamos: adaptabilidade. Diante das constantes mudanças de um mundo volátil, incerto, ambíguo e complexo, é preciso saber navegar por diferentes cenários e se transformar.

O conhecimento de hoje talvez não seja exatamente o conhecimento necessário amanhã, mas ele é a base para o futuro. Portanto, adaptar-se também vem de expandir o conhecimento e saber conectar diferentes áreas de saberes.

Como desenvolver funcionários em habilidades de poder

Desenvolver Power Skills talvez não seja igual a desenvolver Hard Skills, mas isto não retira a importância de investir nessas habilidades. E embora o desenvolvimento seja de responsabilidade individual, a empresa pode investir em treinamentos corporativos que conciliem a capacitação de funcionários e funcionárias com os objetivos de negócio.

Como citamos no caso da Suzano, por exemplo, foi realizado um mapeamento sobre quais as habilidades mais necessárias em tecnologia, formalizado em um “Dicionário de Skills”. Contudo, este é um material vivo, que se adapta conforme também as necessidades da empresa e o próprio mercado mudam.

A partir desse mapeamento, é possível entender quais os treinamentos necessários e incluí-los, por exemplo, em um PDI (planos de desempenho individual) e até mesmo direto nos planos de carreira.

Veja mais sobre como construir uma estratégia de educação corporativa que contemple Soft Skills e Hard Skills.

Power Skills e Hard Skills são ambas relevantes para o sucesso pessoal, profissional e de negócio. E com uma estrutura que estimule o aprendizado, as empresas verão resultados mais positivos.

Quer saber mais sobre o mercado de tecnologia e educação corporativa? Receba a newsletter da Alura Para Empresas com insights mensais, direto em sua caixa de entrada!

Referências

  1. GRANT, Adam. Pense de novo. 1. Ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2021.
  2. KLEON, Austin. Roube como um artista: 10 dicas sobre criatividade. Rio de Janeiro: Rocco, 2013.

Estas empresas confiam na Alura para Empresas

Junte-se a mais de 5000 empresas que já capacitaram seus times com nossas formações.

  • Logo daa Dasa class=