Artigo

Onboarding de colaboradores em tecnologia — Entenda como funciona

Redação Alura

A contratação de novos colaboradores costuma ser um processo bastante desafiador, tanto para empresas, quanto para profissionais. Atualmente, a tendência que temos observado no mercado é que esse desafio tem se tornado cada vez maior, devido ao aumento acentuado de pessoas que estão atuando de forma remota. E, quando olhamos especificamente para o mercado de tecnologia, esta inclinação se mostra ainda mais evidente.

Nesse cenário, desenvolver um conjunto de ações eficientes para a integração de novos colaboradores tem se mostrado uma estratégia cada vez mais necessária. No artigo de hoje, você vai entender melhor como funciona esse processo de onboarding, seja ele presencial ou digital.

Caderno acima de folhas com fluxogramas, gráficos e escritas coloridas, com as palavras "Onboarding Process" na cor preta e sublinhadas em azul bebê.

O que é um processo de onboarding

O onboarding é caracterizado por um conjunto de ações criadas especificamente para integrar um novo colaborador ou colaboradora a uma organização. Diversas etapas são incluídas nesse fluxo de boas-vindas, que vão desde os dias antes da sua chegada, até semanas após o seu início na empresa.

O intuito por trás dessas ações é acolher o novo profissional e ajudá-lo no período de adaptação, que sabemos que pode ser bem difícil. Mas, atenção: ainda que empresas adotem um modelo de integração de novos colaboradores, esse processo pode e deve ser diferente de acordo com cada área de atuação. Sempre se adaptando aos contextos de cada mercado.

E como exatamente o onboarding funciona?

Em um primeiro momento, é interessante englobar atividades que demonstram a cultura e os valores corporativos. Com o decorrer desse processo, o profissional passa a ser introduzido nos fluxos internos da empresa, transitando por treinamentos ou capacitações específicas para a sua área, conforme for necessário.

Como você pode ver, o processo de onboarding vai muito além de apenas mostrar o espaço físico da empresa ao novo integrante, como onde será seu local de trabalho e como são as instalações, por exemplo.

Quando pensamos no onboarding voltado para colaboradores em tecnologia, esse primeiro contato com a empresa é bastante similar. Contudo, em dado momento da integração, é interessante que o processo se aprofunde em detalhes mais técnicos, introduzindo o colaborador ou colaboradora à stack específica de uso, por exemplo. Dessa forma, o profissional passa a conhecer os sistemas próprios da empresa e entender como é o dia a dia de atuação da área.

Confira: Treinamento imersivo para a capacitação de novos colaboradores: Conheça o novo programa de recrutamento da ThoughtWorks

Por que o onboarding é tão importante?

O processo de onboarding é de extrema importância para diversas empresas.

Ele facilita a adaptação do profissional ao novo ambiente, o que é positivo para ele e para a companhia, uma vez que o colaborador ou colaboradora já pode começar a atuar na sua área e desempenhar sua função.

O onboarding também é eficaz para manter um clima organizacional harmônico, pois permite que as pessoas se adaptem à nova realidade. Isso vale tanto para os novos colaboradores, quanto para aqueles que já atuam na empresa e passarão a ter um novo colega de trabalho.

E, por último, garante que o profissional comece as suas atividades mais motivado e engajado, já que teve uma boa recepção na empresa e aprendeu tudo o que precisava.

Na área de tecnologia, o onboarding assume um papel ainda mais importante: atualmente, pela alta demanda do mercado, é cada vez mais difícil encontrar profissionais qualificados desse segmento.

Em casos como esse, o onboarding se torna fundamental para reter talentos e proporcionar uma experiência positiva ao colaborador, podendo reduzir os índices de turnover da empresa.

Como é feito de forma remota?

É cada vez mais comum profissionais em tecnologia atuarem de maneira remota. Não apenas devido ao cenário global de transformação digital, mas também pela dificuldade de encontrar profissionais na área.

Dessa forma, foi preciso adaptar os processos de onboarding para a modalidade remota, criando o que nós chamamos de onboarding digital. Essa nova forma de pensar a integração de colaboradores é feita de maneira dinâmica, para que tenha todas as etapas necessárias para a sua eficácia.

O processo do onboarding digital segue o passo a passo similar ao seu correspondente presencial. Ele começa no momento em que o candidato aceita a proposta feita pela empresa. A partir de então, ações burocráticas passam a ser colocadas em prática, como envio de documentação e preenchimento de formulários, etc.

Em seguida, grande parte das empresas prepara um kit de boas-vindas para o novo integrante, que costuma ser composto por itens que a pessoa irá usar no dia a dia, como uniforme, caneca, caderno e material de escritório em geral.

Durante o onboarding remoto, também é interessante realizar um contato mais próximo através de vídeo, para que possam conhecer sua liderança e seus colegas de trabalho. Para um processo eficaz, os gestores de cada área devem explicar um pouco sobre o seu setor, para ambientar o novo profissional.

Onboarding em tecnologia na prática

Além do passo a passo geral de um processo de onboarding, em vagas mais técnicas, como é o caso dos profissionais em tecnologia, existem outros pontos a serem abordados, tais como:

  • Disponibilizar as senhas de acesso e playbooks;

  • Demonstrar como é (ou como montar) o ambiente de desenvolvimento e políticas do servidor;

  • Apontar quais são as ferramentas utilizadas além do ambiente de desenvolvimento: análise climática de código, repositórios, etc.;

  • Mostrar como funcionam as integrações e APIs;

  • Explicar como as redes e VPNs são utilizadas;

  • Apresentar o backlog de tarefas;

  • Passar como são feitos alguns rituais, especialmente se usam metodologias ágeis, como horário das dailies, retrospectivas, plannings, etc.;

  • Esclarecer dúvidas sobre produtos, clientes e stacks, a fim de expandir para outra vertical;

  • Contar em quais comunidades estão presentes e se há empresas parceiras de treinamento;

  • Apresentar o plano de carreira para devs.

Como estamos falando de profissionais de tecnologia, não podemos deixar de fora o treinamento, que é realizado para conhecer as ferramentas, fluxos de trabalho e a cultura da empresa.

E, além daqueles itens contidos no kit de boas-vindas, pode ser que esses profissionais precisem de itens adicionais, tais como: monitor extra, acesso a uma internet melhor, uma cadeira confortável, entre outros.

Por isso, empresas podem criar uma espécie de questionário para avaliar as necessidades específicas dos seus colaboradores, para que essa falta de ferramentas seja notada rapidamente e possa ser suprida ainda no processo de onboarding.

Confira Como o Nubank faz o processo de Onboarding de novos colaboradores — Gestão & Pessoas em Tech:

Boas práticas

Encontrar novos talentos para uma empresa, principalmente na área de tecnologia, está cada vez mais difícil. Por isso, é essencial garantir que todos tenham uma boa experiência de onboarding.

Confira alguns erros que podemos evitar nesse momento:

Não deixe o novo colaborador ou colaboradora só

É fundamental prestar auxílio ao novo integrante do time nesse período inicial. Por isso, você pode estipular um profissional que ficará responsável por acompanhá-lo nesta etapa inicial, para orientá-lo e sanar quaisquer dúvidas que possam surgir.

Solicite feedback

É fundamental fazer o acompanhamento do onboarding dos colaboradores em tecnologia, e claro, também dos demais. Para você ter certeza de que seu processo é eficaz, nada melhor do que simplesmente perguntar e pedir um feedback aos profissionais.

Não repasse todas as informações no primeiro dia

O processo de onboarding não é tão simples assim. Afinal, diversas informações precisam ser passadas em um curto período de tempo. Dessa forma, é fundamental que você separe essas informações por assuntos, para facilitar a compreensão de todos.

Por exemplo, no primeiro dia, é possível conhecer a empresa e colegas, saber um pouco mais sobre a cultura da organização, valores, missão, hierarquia dos setores, etc.

Assim por diante, você vai apresentando o que o novo colaborador ou colaboradora precisa saber, de maneira organizada e planejada, para que ninguém seja sobrecarregado. Dessa forma, é possível evitar que os conteúdos mais importantes sejam esquecidos ou aflições com o excesso de informações.

Não espere resultados imediatos

É muito comum em algumas empresas, seja no processo de onboarding remoto ou presencial, pressionar novos colaboradores a entregar resultados nos primeiros dias de trabalho. Porém, é importante lembrar que é preciso algum tempo para que o profissional esteja ambientado e adaptado.

Além disso, as áreas de tecnologia podem exigir ainda um tempo a mais, visto que podem abordar linguagens, sistemas e outras atividades específicas, que muitas vezes, demandam um treinamento mais aprofundado para começarem a ser executados.

Pudemos ver ao longo do texto que o onboarding em tecnologia é muito importante para reter talentos, principalmente em uma área que está com tanta demanda e alta busca por profissionais.

Vale ressaltar que um processo de onboarding planejado e bem executado, pode trazer diversas vantagens para a empresa, como melhorar o clima organizacional, preservar a cultura da empresa, estimular o envolvimento e aumentar a produtividade.

Lembre-se de que esse evento não termina logo após o colaborador ou colaboradora adaptar-se ao novo ambiente. É importante manter um acompanhamento e adotar uma estratégia eficaz de gestão de equipes de tecnologia.

Para te ajudar nesse processo de adaptação para o digital, já que a maioria dos processos de onboarding passaram a ser feitos de forma remota, confira nosso Ebook: Business Agility — Como aplicar a transformação digital na sua empresa.

Nós sabemos que tecnologia é pra todo mundo

Essas empresas acreditam nisso também: