Peça um orçamento Login
Artigo

Clima organizacional: como melhorar na sua empresa

Redação Alura

Neste artigo você encontrará as principais informações sobre clima organizacional: o que é, relação com a cultura organizacional, como fazer pesquisa de clima, indicadores, e vantagens em engajamento, produtividade, retenção de talentos e Employer Branding.

O que é um bom lugar para trabalhar? Esta pergunta ronda a mente de pessoas em diferentes cargos e posições de carreira, de grandes empresários e empresárias até pessoas estagiárias.

Mas certamente, quem mais lida no dia-a-dia com esse questionamento são os times de RH. Afinal, a resposta para essa pergunta define estratégias, planos de ação, o dia-a-dia da gestão de pessoas.

Do ideal ao que é possível colocar em prática (nem sempre os planos conversam com os recursos), o clima organizacional reflete na felicidade de pessoas colaboradoras e impacta a forma como se relacionam com a empresa, seu engajamento, sua vontade de permanecer em um trabalho e até mesmo a forma como a empresa é vista de fora.

Por essa razão, reunimos as principais informações sobre o tema, entre teorias e dados de mercado.

pessoas trabalhando em um clima organizacional positivo

O que é clima organizacional

Clima organizacional é a percepção de colaboradores e colaboradoras sobre o ambiente da empresa e sua cultura organizacional. Ele reflete como as pessoas se sentem no dia-a-dia de trabalho e sua relação com a empresa.

Justamente por isso, o clima organizacional pode ter impactos positivos e negativos na organização.

VEJA TAMBÉM:

Segundo Idalberto Chiavenato:

“O clima organizacional está intimamente relacionado com o grau de motivação de seus participantes. Quando há elevada motivação entre os membros, o clima motivacional se eleva e se traduz em relações de satisfação, de animação, interesse, colaboração, etc. Todavia, quando há baixa motivação entre os membros, seja por frustração ou barreiras à satisfação das necessidades, o clima organizacional tende a abaixar-se, caracterizando-se por estados de depressão, desinteresse, apatia, insatisfação, etc.”

Problemas como burnout, que desde 2022 é reconhecido como doença do trabalho, são desafios das empresas quando se trata de clima. Porém, o clima não vem sozinho. Ele decorre de um quadro maior: a cultura organizacional.

E é aqui que muitas vezes está o maior obstáculo.

Cultura e clima organizacional

A cultura organizacional representa a essência da empresa, enquanto o clima organizacional é a percepção interna sobre a construção desse ambiente.

Se o clima organizacional é um reflexo da cultura organizacional, para melhorá-lo ou resolver problemas dele decorrentes, é preciso olhar para toda a corporação e entender as metas, os valores, os rituais que a compõem.

A sua organização, por exemplo, é voltada ao aprendizado e à inovação? Ou é uma organização mais rígida e tradicional?

Isto não quer dizer que haja uma cultura correta para que o clima seja melhor. Pelo contrário, há diferentes culturas e diferentes climas, assim como há diferentes pessoas.

Porém, entender a correlação entre as pessoas e a estrutura organizacional ajuda a identificar quais ações podem ser implementadas na busca pela felicidade no trabalho.

Como fazer uma pesquisa de clima organizacional

A pesquisa de clima organizacional é um importante ponto de partida para entender como está a relação das pessoas com a empresa. Contudo, ela também precisa seguir um planejamento.

1. Análise do cenário

Levante alguns pontos mais nítidos e dados da sua empresa, como rotatividade de funcionários, produtividade e absenteísmo. Essas informações oferecem insights de como conduzir a pesquisa.

2. Definição de objetivos

Defina o propósito da pesquisa de clima. Uma pesquisa de clima pode ser abrangente ou direcionada. Talvez, para o momento da sua empresa, seja ideal focar apenas nas questões que mais afetam os problemas levantados na pré-análise, por exemplo.

3. Planejamento

A partir do cenário e dos objetivos, é hora de estruturar a pesquisa. Levante as principais questões, qual ferramenta será utilizada, o prazo de resposta, se haverá uma campanha interna para engajamento, como os dados serão analisados, entre outros elementos.

4. Comunicação

Na etapa anterior falamos sobre a previsão de uma campanha de engajamento, porque a comunicação é fundamental para o resultado da pesquisa. Quanto mais pessoas responderem, mais assertivos serão os dados e as estratégias posteriores.

Muitas pesquisas de clima, porém, falham neste aspecto.

É importante avisar as pessoas com antecedência, inclusive através de pré-campanhas. Deixe clara a importância da pesquisa para todas as pessoas, bem como as informações que viabilizam a resposta. Por fim, converse com as lideranças para ter apoio na estratégia;

5. Análise dos dados

Reúna as informações coletadas e extraia os dados obtidos em um relatório final. A partir desses dados, você poderá, então, tomar decisões estratégicas sobre como melhorar o clima organizacional.

6. Plano de ação

Enfim, é hora da ação. Construa um plano de ação para mitigar os problemas identificados e impulsionar o que há de positivo dentro da empresa. E lembre-se de compartilhar algumas dessas informações, tanto dos resultados quanto dos projetos, para toda a empresa. A transparência é uma forma de gerar confiança.

Quais os indicadores de gestão de pessoas para um bom clima na empresa

Clima organizacional e gestão de pessoas andam em conjunto. Por isso, olhar os indicadores de desempenho da área (people analytics) é tão importante.

São indicadores comumente relacionados ao clima organizacional:

  • Absenteísmo
  • Turnover
  • Engajamento em ações de endomarketing; -Feedbacks

indicadores de desempenho para RH

Quais as vantagens de um bom clima organizacional

É claro que todas as empresas querem manter um bom clima organizacional. Mas em que, de fato, ele se reflete?

Por isso, trazemos as vantagens de investir no clima dentro da sua organização!

1. Felicidade e engajamento no trabalho

Muito se tem falado sobre Employee Experience (experiência do colaborador e da colaboradora). E a relação com o clima organizacional é de simbiose. Com uma experiência positiva, que valorize o trabalho, o clima tende a ser melhor. Com um clima melhor, as pessoas se sentem mais motivadas.

Mihaly Csikszentmihalyi escreve em seu livro “Flow: a psicologia do alto desempenho e da felicidade”:

“Como o trabalho é universalizado, ainda que muito variado, faz toda a diferença para o contentamento pessoal do indivíduo apreciá-lo ou não. [...] Sem dúvida, se a pessoa encontra flow no trabalho e nas relações com os outros, está no caminho certo para melhorar a qualidade de vida como um todo”

A felicidade no trabalho pode ser entendida como esse bem-estar, em que os planos profissionais e pessoais estejam em harmonia.

Se as pessoas gostam do ambiente em que trabalham, a probabilidade de que gostem do que fazem é maior. E assim, engajam e se tornam mais produtivas.

2. Produtividade

Quanto mais felizes com seus trabalhos, maiores as chances das pessoas se empenharem em produzir com qualidade e eficiência. Portanto, o clima organizacional também reflete na produtividade organizacional.

O levantamento realizado pela The Josh Bersin Company aponta: “investimentos consistentes e que priorizem as pessoas, em qualquer clima organizacional, aumentam a performance do negócio”.

3. Retenção de talentos

Pessoas mais felizes com a empresa são mais propensas a permanecer nela. E numa era em que sobram vagas, como ocorre no setor de tecnologia, isto é essencial.

Segundo artigo publicado na Culture Amp, um estudo da Columbia University apontou que:

  • A probabilidade de turnover em uma empresa com alta satisfação com a cultura é de 13,9%;
  • Já a probabilidade de turnover em uma empresa com baixa satisfação é 48,4%.

Portanto, realizar pesquisas de clima organizacional e investir na melhoria da experiência de colaboradores e colaboradoras é também uma forma de contornar o turnover e reter talentos.

Veja 6 estratégias para a retenção de talentos em tecnologia.

diagnóstico de turnover

4. Employer Branding

Por fim, o clima organizacional impacta diretamente o Employer Branding, ou seja, como a marca empregadora é vista pelas pessoas de dentro e fora da organização.

Pessoas mais felizes com seu ambiente de trabalho tendem a compartilhar boas percepções. Já quem é descontente… Basta acessar o LinkedIn para ver depoimentos sobre assédio moral, burnout, entre outras ações negativas.

E basta uma experiência negativa com a marca para viralizar, prejudicando a imagem da empresa.

O estudo da The Josh Bersin Company citado anteriormente mostra que

“3 em cada 5 empresas não priorizam investimentos em pessoas quando o negócio não vai bem, com ampla distribuição em diferentes indústrias. No entanto, também descobrimos que as empresas priorizando investimentos em pessoas, independentemente do ambiente de negócios, são muito mais rentáveis e possuem clientes mais satisfeitos - além de terem funcionários mais engajados e serem percebidas como um ótimo lugar para trabalhar.”

Por todas essas razões, é importante investir na construção de um clima positivo e utilizar os dados como apoio nesse objetivo.

Características de um bom clima organizacional

Em um clima organizacional bom, é comum que as pessoas se sintam:

  • Bem consigo e confortáveis de serem quem são;
  • Bem em relação às outras pessoas;
  • Capazes e seguras em relação aos seus trabalhos.

Portanto, o clima organizacional impacta a forma como a pessoa se relaciona com a empresa e com outras pessoas. E acredite: não é apenas o dinheiro que importa, embora ele seja parte da equação.

Mas construir um clima organizacional positivo vem de observar:

  • A estrutura da organização;
  • A relação entre indivíduos; e
  • A percepção individual sobre o ambiente.

Isto requer, enfim, investir em pessoas, no seu desenvolvimento saudável, em um trabalho que atenda às necessidades pessoais e profissionais. E como vimos, isto retorna também para a empresa em questões como turnover, Employee Experience, Employer Branding, atração e fidelização de talentos.

Quer saber mais sobre o mercado de tecnologia e educação corporativa? Receba a newsletter da Alura Para Empresas com insights mensais, direto em sua caixa de entrada!

Referências

  1. CHIAVENATO, Idalberto. Recursos humanos: o capital humano das organizações. 11. ed. São Paulo: Atlas, 2020.
  2. CSIKSZENTMIHALYI, Mihaly. Flow: a psicologia do alto desempenho e da felicidade. 1. ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2020.

Estas empresas confiam na Alura para Empresas

Junte-se a mais de 5000 empresas que já capacitaram seus times com nossas formações.

  • Logo daa Dasa class=