Peça um orçamento Login
Artigo

Microlearning: O que é e Como aplicar nas Empresas

Redação Alura

Neste artigo, falaremos sobre microlearning, uma metodologia de aprendizado focada em agilidade, através do direcionamento de conteúdos em formatos mais curtos. Justamente por isso, esta é a aposta de inúmeras empresas em tecnologia. Saiba, então: o que é microlearning, diferença do macrolearning, vantagens e como aplicar em estratégias organizacionais.

Para ilustrar nossa abordagem, vamos imaginar o seguinte cenário. Você precisa treinar o Thiago, futuro líder de design na sua empresa, em Scrum e Usabilidade. Ele também deveria se aprimorar em design com Sketch.

Você acaba escolhendo três treinamentos, todos com duração de 7 horas e online, para otimizar o tempo. Ficou combinado que o Thiago fará os três cursos em três dias, sempre nas segundas-feiras.

O problema? Apesar do conteúdo ser ótimo e de Thiago ser um colaborador aplicado, a dose de conhecimento não só impacta sua rotina, como a concentração dos conteúdos em um período prolongado gera a sensação de não absorver tudo ou de conseguir colocar em prática.

A seguir, vamos explicar por que o microlearning seria a solução ideal a esse cenário e as razões para conquistar tantas empresas do setor de tecnologia.

Estratégias de microlearning

O que é microlearning?

Microlearning é uma metodologia de aprendizado e desenvolvimento a partir de doses de conhecimento (cursos, aulas, palestras) de curta duração, mas alto foco. Assim, as pessoas podem se aprofundar em temas gradativamente, por meio de aprendizado contínuo, planejado e segmentado.

A metodologia se baseia em 3 pontos principais:

  • Entregar o aprendizado de que as pessoas precisam;
  • Quando e por quanto tempo elas precisam;
  • No formato ou onde elas precisam.

Além disso, as estratégias de microlearning possuem, em geral, 4 aspectos comuns:

  • Conteúdos curtos, de até 20 minutos;
  • Diversidade de conteúdo;
  • Foco em um tópico, uma ideia ou habilidade dentro de um tema geral;
  • Formato de conteúdos otimizados também para mobile learning.

O problema dos treinamentos extensos

Para exemplificar melhor, vamos retomar o cenário do começo deste artigo.

Durante o período da capacitação, Thiago dedica o seu horário de trabalho exclusivamente a ela. Assim, não consegue contribuir com o desenvolvimento do trabalho do seu cargo.

Ele não está disponível para a sua equipe ou para resolver situações urgentes. E se nota que, na terça-feira, ele chega cansado e com muito trabalho acumulado.

Quando você pergunta como vão os cursos, Thiago diz que está tudo bem, mas que não deu tempo de praticar alguns assuntos das aulas, que queria ainda pesquisar e aprender mais sobre o tema para poder implementar as técnicas aprendidas no trabalho de seu time.

Microlearning em treinamentos corporativos

O que podemos ver nesta situação?

Talvez, seja muito conteúdo por vez? E se o Thiago dividisse os cursos e diminuísse o ritmo para poder dedicar-se também ao trabalho com o seu time e, por exemplo, já começar a testar o que aprendeu nos cursos? Ele também poderia ver outros conteúdos ao estudar, para ter mais exemplos práticos e pontos de vista diferentes.

Então, como podemos fazer com que o Thiago aprenda, pratique e ainda tenha tempo para estar presente e apoiar seu time?

Microlearning e macrolearning

O exemplo do Thiago é uma estratégia típica de macrolearning.

Veja, ela não está equivocada, tampouco é prejudicial. Pelo contrário, há pessoas que vão conseguir se desenvolver plenamente nesse formato.

A questão, então, seria: esta é a única alternativa ou a melhor alternativa para as empresas?

A diferença entre microlearning e macrolearning é a amplitude do conhecimento desenvolvido. Enquanto o microlearning traz conteúdos focados e curtos, o macrolearning segue uma linha mais tradicional, com conteúdos amplos e contextuais. Geralmente, as estratégias de macrolearning visam uma formação completa.

VEJA TAMBÉM:

Apesar das diferenças, microlearning e macrolearning podem andar juntos.

No exemplo do Thiago, nosso futuro líder de design, a metodologia poderia ser reformulada para distribuir melhor os conteúdos.

Em vez dele fazer um curso extenso e depois começar outro, ele poderia adotar o microlearning da seguinte maneira:

  • na segunda-feira, ele assiste um curso de Scrum;
  • na terça, lê um pouco de um livro sobre liderança;
  • na quarta, participa de um webinar sobre Usabilidade;
  • na quinta, aprimora-se praticando no Sketch; e
  • na sexta, continua com o curso de Scrum.

Enfim, as duas estratégias podem formar profissionais mais capacitados em Soft Skills e Hard Skills, sobretudo para o mercado de tecnologia. Inclusive, devem ser parte das estratégias corporativas.

Lifelong learning e o pensamento de aprendizado contínuo

Também não poderíamos deixar de falar de lifelong learning. Afinal, o microlearning é uma estratégia de aprendizado contínuo também.

Lifelong learning é um conceito em inglês que representa o pensamento de aprender ao longo da vida. Ou seja, reforça a ideia de que, continuamente, podemos desenvolver ou atualizar habilidades e competências.

A agilidade com que o mundo se transforma exige cada vez mais que profissionais adotem esse estilo de aprendizado.

Linguagens de programação ou técnicas podem ser evoluídas. Novas tendências e metodologias podem surgir no mercado. Estudos são realizados diariamente justamente para essa evolução.

Então, ser especialista em um tema é ótimo, mas é preciso entender como essa bagagem de conhecimento se traduz nos problemas de hoje e nos problemas do amanhã. Afinal, é preciso olhar para o que vem pela frente e antecipar as demandas.

Vantagens do microlearning em treinamentos corporativos

Participar de treinamentos mais extensos, nos quais o colaborador tem de absorver muito sobre um único assunto, como vimos, pode ser cansativo e interferir na produtividade dessa pessoa.

Aqui na Alura, por exemplo, na solução de treinamentos corporativos que desenvolvemos, focamos no microlearning por várias razões.

Uma das vantagens mais importantes do microlearning é a flexibilidade da metodologia, que permite aos funcionários distribuírem a aprendizagem dentro de suas agendas.

Outro ponto positivo é que o microlearning simula a aprendizagem que experimentamos naturalmente ao longo de nossas vidas: as pequenas doses de conhecimento. Consumi-las nos permite evoluir em assuntos mais específicos, que fazem parte de todas as habilidades que possuímos em conjunto.

Resumindo, consumir conteúdos educativos em partes menores e de forma constante pode ser mais eficaz, pois isso permite aos colaboradores um ganho de conhecimento específico em doses pequenas, sem interferir na execução de suas tarefas diárias.

Quando menos é mais

Na situação anterior, vimos que Thiago passava 7 horas de um dia participando do treinamento, sem contribuir com o desenvolvimento do trabalho da sua equipe.

Porém, não seria mais produtivo e menos cansativo se ele ficasse produzindo por um período maior do seu horário, ficando disponível para discutir tópicos novos com a equipe ou resolver quaisquer tarefas urgentes?

Dessa maneira, ele dedicaria um tempo diário menor à aprendizagem, seja assistindo cursos em vídeo, lendo artigos, escutando podcasts ou participando de um webinar.

Microlearning em treinamentos corporativos

A ideia do microlearning é oferecer aprendizado de curta duração e alto aproveitamento, como vídeos e textos sobre um determinado assunto, ou cursos mais enxutos, principalmente online, além de palestras especializadas.

Neste modelo de aprendizagem, os membros da equipe conseguem ser mais ágeis e flexíveis, e é por isso que o microlearning está ganhando espaço nos treinamentos corporativos.

Learning Experience: uma das principais tendências nas empresas eficientes

Justamente por se encaixar de forma confortável na rotina de uma equipe, o microlearning ganha espaço nos setores de treinamento e desenvolvimento.

A pesquisa da Association for Talent Development mostra que as empresas que já usam o microlearning adotaram essa metodologia para mesclar conteúdos curtos com treinamentos mais tradicionais – tais como cursos de longa duração.

Os formatos mais usados são vídeos e cursos online, em que os colaboradores participam de acordo com o seu ritmo.

Como aplicar o microlearning na sua empresa

Para adotar o microlearning no seu time, procure nivelar os métodos mais formais de treinamento usados na sua empresa com os aprendizados mais enxutos do dia a dia.

Por exemplo, combine treinamentos com duração de uma semana (ou mais) com vias mais informais, como webinars, hangouts com especialistas no assunto, vídeos curtos no YouTube ou cursos online. Assim, os colaboradores adquirem conhecimento e novas habilidades de diversas formas.

Microlearning em treinamentos corporativos

Também recomendamos que você incentive os colaboradores a consumirem conteúdos de forma intercalada. Desta forma, eles podem evitar o cansaço de aprender muito sobre um assunto de uma vez só.

Maximize o tempo produtivo com o mobile learning

Recomendamos também o uso do mobile learning. Essa modalidade de ensino permite às pessoas da sua empresa aprenderem em horários e locais mais convenientes, possibilitando uma maior flexibilidade na hora de participar de um treinamento.

Com um aplicativo de cursos online em que seja possível baixar os conteúdos para consumi-los também offline, um funcionário pode aprender até em horários que normalmente são improdutivos, tais como o trajeto ao trabalho.

Microlearning e gamification

O gamification é uma tendência entre as organizações que dialoga bem com as estratégias de microlearning.

Gamification ou gamificação é uma técnica que utiliza a lógica de jogos para promover o aprendizado e até incentivar os times.

Nas estratégias de microlearning, o gamification pode ser utilizado, por exemplo, como uma forma de reconhecer o desenvolvimento das pessoas através de rankings.

Além de tornar o aprendizado mais interativo, a gamificação incentiva que as pessoas estudem mais e vejam mais valor em seu próprio desenvolvimento, ao ponto em que isto se torna parte da cultura organizacional.

Potencialize a cultura de aprendizado

Inclua na sua estratégia de aprendizagem pesquisa e leitura de artigos ou livros, e incentive os colaboradores a tomarem um pequeno período do seu horário de trabalho exclusivamente para o estudo.

Microlearning em treinamentos corporativos

Se os seus funcionários se interessam por palestras ou outros eventos que podem acrescentar na vida profissional, isso pode ser mais um uso criativo de microlearning.

Ainda, os membros da equipe podem compartilhar o conhecimento com os colegas e contribuir, assim, com uma cultura de aprendizado forte na empresa.

Microlearning: uma aprendizagem de alto impacto

O ponto forte do microlearning é o impacto que ele pode ter nas pessoas dentro da sua empresa, independente do tempo consumido com a aprendizagem.

Em outras palavras, um curso online com duração de 5 horas de vídeos e exercícios pode fazer uma diferença muito grande para um colaborador. Este pode adquirir o mesmo conhecimento como se estivesse participando de um treinamento mais extenso, que interferisse no trabalho em equipe ou talvez tivesse um custo elevado para a empresa.

Combinar as formas mais tradicionais de aprendizado corporativo com vias informais – uso de artigos, vídeos curtos ou webinars – é um caminho que leva à eficiência e à flexibilidade. Com o microlearning, a sua equipe consegue aprender e, ao mesmo tempo, ser produtiva.

E como é a sua empresa? A sua equipe já aprende com conteúdos curtos no dia a dia? Ou você pensa em incluir o microlearning em sua estratégia de desenvolvimento?

Nosso time pode ajudar sua organização na implementação de uma estratégia de treinamento eficiente, converse com a gente!

Estas empresas confiam na Alura para Empresas

Junte-se a mais de 5000 empresas que já capacitaram seus times com nossas formações.

  • Logo daa Dasa class=