Compre agora Login
Artigo

Tudo sobre RH ágil: das características aos benefícios para a empresa

Athena Bastos

Athena Bastos


Sabe-se que, muito além de se preocupar com a área de RH no sentido amplo, líderes de RH precisam se preocupar com a produtividade, com as metas e com a eficiência do seu time.

Dentre tantos outros, o maior desafio é fazer com que as atividades das pessoas colaboradoras sejam ágeis o suficiente para atender às necessidades de um mundo VUCA/BANI (em que predominam características de volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade).

Em outras palavras, o RH precisa adotar estratégias para garantir a produtividade e o desenvolvimento do time, em um contexto que exige constante e rápida adaptação.

O desafio é ainda maior para as empresas que atuam em mercados marcados pela escassez de talentos e alto turnover como o de tecnologia.

A consequência disso, muitas vezes, são cobranças excessivas, falta de tempo e baixa valorização das estratégias de RH para o contexto do negócio.

Daí que surge a perspectiva do RH ágil, como uma forma de trazer uma visão mais analítica e menos operacional para esse setor.

Esse artigo vai te ajudar a entender o que é e quais são as características principais de um RH ágil e te mostrar a importância dessa mentalidade para a empresa.

fundo embaçado. À frente, uma pessoa de terno selecionando ícones que estão na tela: uma lupa, uma seta com gráficos, ferramentas, um símbolo de pessoa com estrelas, símbolo de pessoas conversando e a palavra HR. A imagem representa os itens necessários para um RH ágil

O que é um RH ágil?

Antes de mais nada, é importante entender o que significa, afinal, um RH ágil.

Assim como o próprio nome sugere, o RH ágil compreende princípios que fundamentam o desenvolvimento de agilidade no RH, para realizar tarefas e solucionar problemas.

VEJA TAMBÉM:

Mas o conceito é um pouco mais complexo e estruturado do que simplesmente pensar em processos ligeiros e rápidos (que são sinônimos de agilidade) no setor de RH. Vou te explicar o porquê.

A ideia de RH ágil decorre do conceito de metodologia ágil, estruturada no livro "Manifesto Ágil" de 2001.

Em outras palavras, o RH ágil nada mais é do que a aplicação das metodologias ágeis nas rotinas e nos processos do RH (ou uma transformação ágil).

Ou seja: é uma nova abordagem da área de gestão de pessoas que usa com base as metodologias ágeis.

Indicadores de RH - baixe agora

Como funciona a metodologia ágil?

A metodologia ágil, de forma geral, é a proposição de mudanças na forma tradicional de gestão, com foco no processo de entregas mais rápidas e mais assertivas de um produto ou de um serviço.

A concepção de metodologia ágil, lá em 2001, surgiu quando desenvolvedores de softwares da indústrias notaram que suas entregas não estavam compatíveis com as necessidades dos clientes.

Sendo assim, lançaram o Manifesto Ágil como uma forma de desenvolver métodos para dar maior agilidade e eficiência nos processos e, como consequência, resolver o problema das entregas.

A estruturação da metodologia ágil é, de certa forma, bastante simples: criam-se projetos com times multidisciplinares (que chamam de squads), e se estabelecem tarefas para entregar em cada ciclo (as sprints).

A duração dos ciclos pode variar. Mas, em geral, compreendem duas a quatro semanas. De todo modo, a grande diferença da aplicação da metodologia ágil é tornar o processo mais fluido e mais assertivo.

Metodologias ágeis no RH

Você já sabe que o RH ágil é aplicação da metodologia ágeis na gestão de pessoas. Mas quais são as consequências práticas dessa nova abordagem?

Pois bem. O RH ágil consiste no desenvolvimento de culturas organizacionais fortes, que se adaptam às constantes mudanças do mercado e que auxiliam na construção e no acompanhamento do desempenho e da evolução das pessoas colaboradoras.

O grande objetivo de um RH ágil é, portanto, tornar o processo de gestão de pessoas mais estratégico e menos operacional, a partir de maior rapidez, qualidade, flexibilidade e diminuição de custos.

Mais do que uma simples adaptação, não demorou tanto assim para o pensamento da metodologia ágil se difundir e inspirar a estruturação dessas metodologias para setores específicos.

Foi nesse contexto que surgiu o manifesto ágil do RH, que pode-se chamar de Agile RH Development.

Qual a diferença entre RH ágil e RH tradicional?

Uma boa forma de entender melhor sobre o RH ágil é através da comparação com um setor de RH tradicional.

Nesse sentido, é possível perceber que o setor de RH tradicional age apenas sob demanda em processos sigilosos. Ou seja: os processos de recrutamento são simplesmente operacionais e só começam quando existe uma vaga disponível.

Além do mais, criam-se treinamentos pontuais, com objetivo de desenvolver as pessoas colaboradoras até certo nível hierárquico, conforme estabelece um plano de cargos e salários fixo.

Por fim, entende-se a gestão de talentos simplesmente como uma forma para atrair e avaliar possíveis talentos.

O RH ágil, por outro lado, entende a gestão de pessoas de uma forma mais estratégica e proativa. Quer dizer, como uma forma de gerar inovação dentro da empresa, não apenas dar continuidade aos processos convencionais.

Um outro ponto importante é foco em criar um ambiente acolhedor, de aprendizado constante, para que as pessoas colaboradoras se sintam livres para se desenvolverem em qualquer área do seu interesse.

Um exemplo disso é o incentivo às pessoas para pensarem soluções diferentes para as tarefas de rotina e atuarem em diversos projetos diferentes.

O RH ágil preza pela transparência nos processos e oferece benefícios flexíveis que se adaptam ao perfil da pessoa colaboradora.

Em resumo, o RH ágil desenvolve redes colaborativas ao invés de hierarquias; prefere processos transparentes aos sigilosos; cria inspiração e engajamento em oposição à gestão e retenção e constrói ambições ao invés de obrigações.

Pilares do RH ágil

Mais do simplesmente uma abordagem diferente para os processos de gestão de pessoas, o RH ágil definitivamente cria uma mentalidade diferente, a partir de 3 pilares básicos:

Da segmentação à colaboração

Durante muito tempo, o setor de RH foi excluído de processos estratégicos e decisórios dentro da empresa. Era como se trabalhassem simplesmente de forma burocrática e operacional, paralelamente ao negócio em si.

No entanto, a aplicação das metodologias ágeis no RH prevê equipes multi-qualificadas para resolver questões estratégicas do negócio.

Cria-se, a partir disso, uma noção de colaboração para todos os processos. Um exemplo dessa mentalidade é a constituição de uma equipe com líderes de negócios, líderes de tecnologia e produto, gerentes de marketing e profissionais do RH para delinear a cultura organizacional em conjunto.

Errar mais rápido possível

Além do mais, as metodologias ágeis oferecem maior agilidade para os processos. A ideia é que se erre mais rápido para se alcançar soluções de forma mais rápida também.

Nesse sentido, cria-se um ambiente propício para fazer testes em ciclos mais rápidos. Diante disso, pode-se aferir os resultados, entender o que funcionou e o que não funcionou e construir conhecimentos e estratégias novas.

Ou seja, desenvolve-se uma cultura de experimentação, para implantar inovações e solucionar problemas com mais eficácia.

Foco nas questões diárias

O último ponto é que, ao contrário do RH tradicional que segue um ciclo anual, o RH ágil avalia circunstâncias diariamente: remuneração, desempenho e gestão de talentos, por exemplo.

Depois da avaliação, o RH ágil pode seguir métodos adequados para desenvolver soluções imediatas.

Como ser um RH ágil

Entre os principais pontos para construir um RH ágil estão:

1. Definir metas claras

Em primeiro lugar, é necessário estabelecer metas para qualquer estratégia. As ideias das metas delineiam os caminhos que a empresa deve seguir para alcançar seus objetivos maiores.

Nesse ponto, é importante ressaltar a importância de indicadores de desempenho para analisar o desenvolvimento e a evolução dessas metas.

2. Tecnologia para RH

Em seguida, a metodologia do RH ágil prevê o uso de tecnologias para RH. Afinal de contas, as ferramentas tecnológicas automatizam processos e dão maior assertividade e eficiência aos processos.

Um exemplo disso é a ferramenta de People Analytics, que serve para analisar dados e informações referentes às pessoas colaboradoras da empresa (como feedbacks, avaliações e metas).

Além da produtividade, é fundamental compreender as tecnologias como uma forma de promover a integração de dados e garantir o acesso às informações importantes para todos os setores da empresa.

3. Digital Skills e uso de dados

O último ponto é desenvolver a capacidade analítica e estratégica da gestão de dados, a partir de habilidades de análise de dados e digital skills.

Afinal de contas, o RH ágil deve criar uma perspectiva integrativa de indicadores de gestão de pessoas, como os dados de entregas, de tempo, de custo e desempenho das pessoas colaboradoras.

A partir da análise dos dados é que se constrói uma visão mais estratégica e objetiva para tomar decisões, o que contrapõe a uma visão simplesmente operacional do RH tradicional.

Maior escola de tecnologia do país - saiba mais

Por que ser um RH ágil?

Agora que você já sabe qual é o conceito e quais são as características de um RH ágil, é importante entender quais são os benefícios que esse tipo de metodologia pode trazer para as empresas.

Em primeiro lugar, um RH ágil desenvolve maior colaboração em equipe, a partir de ciclos de comunicação e tarefas em equipes multidisciplinares.

Além disso, também preza pela transparência dos processos, o que desenvolve a confiança entre as pessoas colaboradoras.

A partir de processos colaborativos e transparentes e feedbacks contínuos, o RH ágil cria planos de treinamentos e desenvolvimentos que foquem no aproveitamento maior do potencial de cada pessoa e na maior assertividade das entregas.

Em outra perspectiva, o RH ágil cria uma perspectiva mais analítica da gestão de pessoas, a partir da análise de indicadores de RH. Isto é, análise de dados das entregas e dos resultados (referentes ao tempo, custo e desempenho).

A partir disso, constrói-se uma visão mais estratégica e mais assertiva para a tomada de decisões dentro da área de gestão de pessoas.

Por último, o setor de gestão de pessoas também se torna mais preciso e mais otimizado. Como consequência, promove mais crescimento para a empresa e mais engajamento entre suas pessoas.

Quer saber mais sobre o mercado de tecnologia e educação corporativa? Receba a newsletter da Alura Para Empresas com insights mensais, direto em sua caixa de entrada!

Athena Bastos
Athena Bastos

Supervisora de Conteúdo da Alura Para Empresas. Bacharela e Mestra em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Pós-graduanda em Branding: gestão estratégica de marcas pela Universidade Castelo Branco - UCB. Escreve para blogs desde 2008 e atua com marketing digital desde 2018.

Organizações que confiam nas nossas soluções corporativas

Junte-se a mais de 5000 empresas que já capacitaram seus times com nossas formações.

  • Logo daa Dasa class=