O que é Desk Research?

Gabriela de Lima Silva
Gabriela de Lima Silva

Compartilhe

Ilustração de uma mesa com um notebook e alguns objetos em cima.

Em qualquer projeto, para desenvolver um produto ou serviço, é necessário conhecer bem o público-alvo com quem a empresa quer se conectar. É por meio desse conhecimento que saberemos se o projeto é útil ou não para o usuário, financeiramente bom para a empresa e se a experiência oferecida será agradável. Para isso, a UX Design tem uma área 100% focada em pesquisa com o usuário: a UX Research!

Duas pessoas sentadas uma na frente da outra e conversando, cada um utilizando um computador diferente

A UX Research, ou Pesquisa de Experiência do Usuário, é a especialidade centrada em desenvolver pesquisas, coordenar testes e interpretar dados de forma que possam ser utilizados no planejamento de um produto.

Nessa área, existem muitos tipos de pesquisas que vão nos ajudar a conhecer melhor o usuário e suas dores. Atualmente, podemos classificá-las como:

Pesquisas quantitativas e qualitativas

Nas pesquisas quantitativas, o foco principal é conseguir o máximo de respostas possíveis. Geralmente, elas incluem respostas curtas ou de alternativas, o que facilita na tabulação dos resultados. Uma grande desvantagem é que dificilmente esse tipo de pesquisa irá gerar insights novos, pois as respostas tendem a ser semelhantes. Um exemplo bem comum de pesquisa quantitativa são os formulários de satisfação.

Agora, quando falamos de pesquisas qualitativas, estamos focando na qualidade das respostas. Essas pesquisas apresentam perguntas mais abertas e respostas mais longas. Uma grande vantagem é que podemos obter diversos insights novos, mas a desvantagem é que a análise dos resultados geralmente é mais demorada. Um exemplo de pesquisa qualitativa bem popular são as entrevistas.

Primárias e Secundárias

A pesquisa primária é aquela onde o UX Researcher (Pesquisador ou Pesquisadora de Experiência do Usuário, traduzido do inglês) faz tudo do zero, desde o planejamento até a interpretação dos resultados finais. Por exemplo: se o profissional criou um questionário de satisfação, aplicou com um grupo de usuários e analisou os resultados, então essa pessoa fez uma pesquisa primária e quantitativa.

Enquanto isso, na secundária, o profissional irá analisar pesquisas que já foram feitas por outras pessoas e estudará os resultados finais obtidos através delas. Esses diferentes dados serão unidos de maneira que possam fornecer os insights e as respostas que o UX Researcher procura.

Independentemente da classificação, desenvolver pesquisas envolve investimento de tempo e dinheiro. É comum que muitos profissionais trabalhem em projetos onde nenhum dos dois recursos é disponibilizado em abundância. Quando isso acontece, podemos utilizar dados de pesquisas já prontas, os chamados “dados secundários”, para servirem de base para o projeto em que estivermos participando. Esses dados, quando unidos, têm como objetivo responder alguma pergunta importante que tenha sido levantada.

Um exemplo bem comum do uso de dados secundários em pesquisas são os trabalhos escolares: os alunos geralmente vão até sites e livros, encontram pesquisas já feitas em torno de um determinado assunto e desenvolvem o próprio texto a partir disso. Outro exemplo, é quando os economistas usam dados de anos passados para fazerem especulações sobre o mercado financeiro no futuro. Algo que também acontece com muita frequência, é o UX Designer ou o UX Researcher utilizar dados de pesquisas anteriores de uma empresa para analisar a situação atual do local, e pensar nas possíveis soluções para os problemas encontrados.

Esse processo de fazer pesquisas utilizando dados secundários é o que chamamos de Pesquisa de Dados Secundários ou Desk Research.

Quando e como fazer uma Desk Research?

Ilustração de uma mulher segurando uma lupa e a lupa está na frente da tela de um computador

Se você está participando de um projeto e a equipe de desenvolvimento levantou alguma pergunta importante sobre o usuário, pode ser que seja a hora de realizar uma pesquisa em busca de respostas. Caso não haja muitos recursos financeiros e nem tempo suficiente, a Desk Research é uma alternativa viável para solucionar esse problema.

Para realizar uma boa Desk Research, primeiro é necessário definir muito bem o seu objetivo, o que você deseja responder com essa pesquisa.

Após definir o foco principal, procure fontes confiáveis de informações. Sites, livros e artigos são os exemplos mais comuns de fontes repletas de dados secundários. Porém é essencial ter cuidado! Nem todas as fontes têm informações verdadeiras, principalmente na internet, então tenha atenção quando for utilizar alguma.

Outra dica importante é também procurar dados secundários que fornecem pontos de vista diferentes para a pergunta que a equipe quer responder. Lembre-se que, durante uma pesquisa, é fundamental estar aberto a todo tipo de resposta, tanto positiva quanto negativa.

Assim que concluir essa etapa, junte todas as fontes pesquisadas e faça uma análise dos dados. Esse é o momento de compreender se a pergunta foi respondida e refletir sobre as possíveis estratégias a serem implementadas no projeto. Mas se prepare para todo o tipo de resultado! Existem casos também onde o UX Researcher chega no final e percebe que, na verdade, a pergunta a ser respondida era outra, não a que tinha sido planejada. Quando isso acontece, é necessário fazer esse processo de pesquisa novamente e assim responder a nova pergunta que surgiu.

Curtiu a conversa? Aqui na Alura temos diversos cursos e formações que podem te ajudar a mergulhar mais ainda no mundo da UX Research e da UX Design! Vamos deixar algumas sugestões de por onde começar: Formação de UX Design, Formação de UX Research: análise e visualização de dados e Formação de Desenvolvimento de Carreira em UX. Bora mergulhar em UX?

Até mais!

Gabriela de Lima Silva
Gabriela de Lima Silva

Olá, eu sou a Gabi Lima! Sou estudante de Design Gráfico. Amo ter contato com pessoas e entender seus sonhos e receios. Também sempre amei estudar, tanto que comecei a dar aulas de inglês aos 17 anos! Hoje em dia sou estagiária em UX na Alura!

Veja outros artigos sobre UX & Design