O que é Design Thinking e como aplicar a metodologia | Alura

O que é Design Thinking e como aplicar a metodologia | Alura
Gabriela de Lima
Gabriela de Lima

Compartilhe

Atualmente, vivemos em uma era tecnológica na qual tudo acontece muito rápido, e o que hoje é novidade, amanhã já não é mais. Durante todo esse ciclo, é muito fácil entrarmos em um processo de produção contínua e automática, em que a prioridade é sempre lançar algo novo e estar à frente de tudo e de todas as pessoas. Esse processo em si, não é algo negativo, mas com o tempo, pode acabar se tornando.

Quando produzimos de forma automática e com muita rapidez, levamos em consideração pontos como investimento, mercado e tempo. Contudo, pode acontecer de deixarmos de fora o maior interesse de todos: os(as) usuários(as), ou seja, as pessoas que de fato consumirão esse produto e farão dele algo popular.

O grande problema em esquecer a pessoa usuária no processo é que, além de criar produtos desumanizados, as chances de fracasso são muito grandes. As pessoas já não compram mais produtos só porque parecem bons, elas precisam sentir que alguma necessidade ou dor está sendo atendida, ou que estão adquirindo algo valioso.

Então, como podemos trazer a pessoa usuária e suas necessidades para o centro do processo de desenvolvimento de produtos, de forma que seja positivo também para a empresa e o mercado? Design Thinking é a resposta!

Design Thinking é uma metodologia de processo de desenvolvimento de produtos que tem como ponto de partida e base, as necessidades e dores das pessoas usuárias. Pensar dessa forma, traz maiores garantias de um produto assertivo, humanizado e inovador.

O que é Design Thinking?

Imagem de uma pessoa de frente para um quadro branco pendurando alguns post-its com anotações.

A popularidade desse termo tem crescido muito e as empresas querem cada vez mais utilizar essa metodologia de design de produtos e serviços. Mas afinal: você sabe mesmo o que é Design Thinking?

Vindo do inglês, o termo Design Thinking significa “pensar no processo”. Esse é um tipo de metodologia baseada em olhar para o processo levando em conta pontos como as dores e necessidades das pessoas, ou seja, os problemas em geral. A sua função principal é descomplicar a criação de produtos e serviços, e colocar a pessoa usuária no centro de todo desenvolvimento.

Devido a essa característica de refletir sobre dores e necessidades, a metodologia Design Thinking se tornou muito popular para investigar problemas e projetar produtos como soluções para essas situações. Por isso, muitas empresas amam utilizar o Design Thinking, pois além de oferecer um processo descomplicado, ele trabalha principalmente com a solução de problemas.

Leia também:

Banner promocional da Semana Carreira Tech, organizada pela Alura e FIAP. Texto: 'Descubra como graduações tech estão transformando o futuro. Cinco lives gratuitas para você mergulhar nas áreas mais transformadoras da atualidade, desde o que se estuda nas graduações até a prática do mercado. Garanta sua vaga de 01 a 05 de julho.' Imagem de profissionais usando equipamentos tecnológicos avançados, como óculos de realidade aumentada. Botão destacado com a chamada 'Garanta sua vaga'. Logotipos da Alura e FIAP no canto superior direito.

Design thinking — Metodologia ágil ou não?

O Design Thinking não é estritamente uma metodologia ágil, mas pode ser integrado a abordagens ágeis no desenvolvimento de produtos e projetos. Isso porque a metodologia design thinking é uma abordagem centrada no ser humano para resolver problemas complexos e desenvolver soluções inovadoras.

Ele se concentra em compreender profundamente as necessidades e perspectivas das pessoas usuárias e, em seguida, criar soluções iterativas. Enquanto isso, as metodologias ágeis, como o Scrum e o Kanban, são abordagens específicas para o gerenciamento de projetos que se baseiam na colaboração, na entrega incremental e na adaptação contínua.

Dessa forma, o Design Thinking e as metodologias ágeis têm objetivos e abordagens diferentes, mas podem ser complementares. Muitas equipes e organizações combinam elementos do Design Thinking com práticas ágeis para criar produtos e serviços que atendam melhor às necessidades dos usuários.

Portanto, embora o Design Thinking não seja uma metodologia ágil por si só, ele pode ser usado em conjunto com metodologias ágeis para promover a inovação e a entrega de valor aos clientes.

Design thinking x Metodologia ativa: qual a relação?

O Design Thinking e as metodologias ativas compartilham algumas semelhanças e podem ser complementares em certos contextos, mas são abordagens diferentes com objetivos distintos. Entenda melhor a relação entre esses dois conceitos:

Design Thinking:

  • É uma abordagem centrada no ser humano para resolver problemas complexos e desenvolver soluções criativas;
  • Ele se baseia na empatia, na compreensão profunda das necessidades e perspectivas das pessoas usuárias e na colaboração interdisciplinar;
  • O processo do Design Thinking envolve etapas como empatia, definição, ideação, prototipagem e testes, com foco na iteração e na melhoria contínua.

Metodologias Ativas:

  • As metodologias ativas são abordagens educacionais que envolvem ativamente os alunos e alunas no processo de aprendizagem, em oposição à aprendizagem passiva;
  • Essas metodologias incentivam as pessoas a participarem ativamente das atividades de ensino, colaborar, resolver problemas e aplicar conceitos em contextos do mundo real;
  • Exemplos de metodologias ativas incluem a aprendizagem baseada em problemas (PBL), a aprendizagem baseada em projetos (PjBL), a sala de aula invertida e a aprendizagem colaborativa.

Relação entre Design Thinking e Metodologias Ativas:

  • Ambas as abordagens enfatizam a participação ativa e a colaboração. O Design Thinking pode ser usado como uma ferramenta em ambientes de aprendizagem que adotam metodologias ativas;
  • Por exemplo, os alunos e alunas podem aplicar os princípios do Design Thinking para resolver problemas ou projetar soluções em projetos educacionais baseados em problemas;
  • O Design Thinking também pode ser utilizado para projetar experiências de aprendizado mais envolventes e centradas na pessoa estudante, alinhadas com os princípios das metodologias ativas.

Portanto, a relação entre o Design Thinking e as metodologias ativas está na possibilidade de usar o Design Thinking como uma abordagem para resolver problemas e promover a criatividade e a colaboração em contextos de ensino e aprendizagem que adotam metodologias ativas. Ambas as abordagens compartilham a ideia de envolver ativamente as pessoas participantes para alcançar resultados significativos.

Como aplicar a metodologia Design Thinking?

Imagem de duas pessoas em uma sala de reuniões fazendo anotações em um quadro branco. A sala é composta por duas mesas, uma pequena e outra grande, seis cadeiras, três laptops e alguns lápis, post-its e livros espalhados.

Essa metodologia é baseada em cinco passos principais que criam para as equipes e empresas um processo simplificado. Elas não funcionam como etapas obrigatórias, e sim como uma reflexão sobre a criação de produtos/serviços que serão futuras soluções para dores ou necessidades.

Confira a seguir, quais são as cinco etapas do Design Thinking para aplicar a metodologia na sua empresa:

1 - Empatia (ou Imersão):

Ilustração de uma pessoa sentada no chão segurando um coração grande entre as pernas, e levantando outro pequeno com uma das mãos.

Etapa dedicada exclusivamente para as pesquisas. O maior foco nesse primeiro momento é investigar os problemas apresentados, e realizar ações para conhecer melhor as pessoas usuárias que passam por essas situações.

2 - Definição (ou Análise e Síntese):

Ilustração de duas pessoas colocando ícones que representam dados em uma tela de computador.

Essa é a etapa de analisar os dados obtidos através das pesquisas e definir melhor o problema a ser resolvido. Nesse momento, podemos confirmar se a dor/necessidade que detectamos no início do projeto estava de fato correta, ou descobrir se era algo totalmente diferente.

3 - Idealização (ou Ideação):

Ilustração de duas pessoas, uma está sentada atrás de uma mesa e um computador e segurando uma folha, e a outra está de pé em frente de um quadro cheio de papéis pendurados.

Após definir o real problema e conhecer bem a pessoa usuária, vamos para a etapa de pensar nas possíveis soluções. O conhecimento reunido com as pesquisas fará completa diferença para ter ideias criativas, inovadoras e assertivas.

4 - Prototipagem (ou Prototipação):

Ilustração de uma pessoa ao lado de três itens, e escolhendo um deles.

Nessa etapa, as melhores ideias serão escolhidas e estruturadas para virarem as possíveis soluções para o problema definido.

5 - Testagem (ou Teste):

Ilustração de uma pessoa de frente para uma grande tela de computador e selecionando alguns itens que estão aparecendo nela.

Com a solução já desenvolvida, é preciso testar para verificar se o problema está sendo realmente solucionado ou se será preciso repensar a ideia estruturada.

Esse processo que a metodologia sugere não é garantia de sucesso completo. Por isso, mantenha em mente que é totalmente normal chegarmos ao final e percebermos que a solução criada não funciona, fazendo com que voltemos para a etapa de idealização, ou até mesmo para o início. Porém, esses passos garantem que o problema será o centro do desenvolvimento dos produtos, e que a solução criada vai de encontro com as necessidades da empresa e da pessoa usuária, igualmente.

Uma dica super importante sobre o processo de Design Thinking é: para evitar frustrações, se apaixone pelo problema e não pela solução. Isso ajuda a diminuir as grandes expectativas em cima das ideias estruturadas, e a lidar melhor com a ansiedade se alguma tentativa falhar.

O que é Double Diamond, ou Diamante Duplo?

Imagem ilustrando um quadro da ferramenta Double Diamond: ele possui duas formas de diamantes e ambos estão com uma linha no meio dividindo-os em 2 triângulos iguais cada. Dentro de cada triângulo está indicada uma etapa, que vai de 01 até a 04. Ao redor dos diamantes se encontram setinhas apontadas para cima e para baixo, mostrando quando é hora de divergir e quando é o momento de convergir. Entre os dois diamantes, existe uma linha indicando a etapa-chave entre os dois diamantes, que é a "redefinição do problema”.

Uma das ferramentas mais conhecidas do Design Thinking é o popular “Double Diamond”, ou “Duplo Diamante”, em português. Quando observamos as etapas que o Design Thinking sugere, podemos perceber um grande processo de divergência e convergência, e essa ferramenta é utilizada para ilustrar esse pensamento.

No Double Diamond, “Divergir'” tem o sentido de expandir, enquanto “Convergir” quer dizer estreitar, ou seja, o tempo todo, abrimos as ideias e depois filtramos elas. Essa ferramenta possui o nome “Duplo Diamante”, pois, se desenharmos o processo de divergência e convergência em um papel, teremos o formato de dois diamantes um ao lado do outro. O processo ilustrado funciona da seguinte maneira:

  • Etapa 01: o foco principal é pensar nas possíveis causas do problema, então esse é o momento de “expandirmos as ideias”. Esse processo é feito na etapa de “Empatia” do Design Thinking.
Ilustração destacando a primeira etapa do Double Diamond dentro do quadro da ferramenta. A etapa 01 encontra-se na primeira divisão do primeiro diamante.
  • Etapa 02: filtramos as causas dos problemas, deixando apenas o que acreditamos que de fato condiz com a realidade. Logo em seguida, redefinimos o problema, analisando e resumindo em uma única frase o que precisamos realmente resolver. Todo esse processo é feito, comparando com o processo de aplicação do Design Thinking, na etapa de Definição.
Ilustração destacando a segunda etapa do Double Diamond dentro do quadro da ferramenta. A etapa 02 encontra-se na segunda divisão do primeiro diamante e na extremidade que conecta o diamante esquerdo e o direito.
  • Etapa 03: após a definição do problema, expandimos as ideias novamente e pensamos em possíveis soluções para o problema definido. Isso é semelhante ao que é feito na etapa de Ideação.
Ilustração destacando a terceira etapa do Double Diamond dentro do quadro da ferramenta. A etapa 03 encontra-se na primeira divisão do segundo diamante.
  • Etapa 04: por último, filtramos as ideias e estruturamos a solução que mais for compatível para resolver o problema. Ao fazer isso, partimos para o teste e verificamos se o produto/serviço criado faz sentido para solucionar a dor ou necessidade da pessoa usuária. Essas são as ações feitas nos processos de Prototipagem e Testagem.
Ilustração destacando a quarta etapa do Double Diamond dentro do quadro da ferramenta. A etapa 04 encontra-se na segunda divisão do segundo diamante.

Basicamente, o Double Diamond é uma ferramenta que resume e simplifica o processo de pensamento que o Design Thinking sugere. Ele torna tudo mais visual e mais interativo, visto que é possível colocar anotações no quadro e fazer dinâmicas em equipe para realizar esse processo.

Imagem ilustrando um quadro da ferramenta Double Diamond com alguns post-its colados sobre ele.

Conclusão

Imagem de três pessoas sentadas ao redor de uma mesa dentro de uma sala de reuniões. Duas possuem cadernos e canetas, e uma está utilizando um laptop.

O Design Thinking é uma metodologia utilizada para desenvolver produtos que solucionem algum problema. Dessa forma, ele beneficia não apenas as pessoas usuárias, mas também facilita o processo de criação das equipes e traz produtos inovadores para as empresas.

Sua popularidade tem crescido muito por se adaptar bem em um período tão tecnológico e de evolução rápida que o mercado está vivendo atualmente. Em um dia algo é novidade, e no outro muitas empresas estão oferecendo a mesma coisa. O Design Thinking ajuda os negócios a se manterem à frente sem entrar em um ritmo tão alucinante de criação.

O Design Thinking não é uma metodologia feita para criar produtos e serviços em uma semana, ou seja, em pouquíssimo tempo, mas sim feita para criar processos aptos a acolher um desenvolvimento que gere valor e que seja saudável, eficiente, criativo, assertivo e, principalmente, humanizado.

Revisando

Imagem de uma mulher sentada em uma cadeira e de frente para seu laptop que está sobre uma mesa.

Nesse artigo, conversamos bastante sobre Design Thinking. Vamos revisar alguns pontos principais:

  • Design Thinking é uma metodologia baseada em olhar para o processo, levando em conta pontos como dores e necessidades;
  • O processo de aplicação é baseado em cinco passos principais que criam para as equipes e empresas um processo simplificado;
  • O Double Diamond é uma ferramenta que resume e simplifica o processo de pensamento que o Design Thinking sugere;
  • O Design Thinking é uma metodologia feita para criar processos aptos a acolher um desenvolvimento que gere valor e que seja saudável, eficiente, criativo, assertivo e, principalmente, humanizado.

Curtiu a nossa conversa? Aqui na Alura temos muitos outros conteúdos falando sobre Design. Confira abaixo algumas sugestões:

Bora mergulhar em tecnologia?

Até mais!


Créditos:

Gabriela de Lima
Gabriela de Lima

Sou formada em Design Gráfico, e trabalho com UX Writing e UX/UI Design, além das próprias artes gráficas que aprendi na minha formação acadêmica. É um alegria dizer que, hoje em dia, posso compartilhar meu conhecimento com todos vocês através de aulas, artigos e papos. Sempre bom poder contribuir com a carreira profissional de cada futuro designer!

Veja outros artigos sobre UX & Design