Alteridade e Empatia no mundo da UX Design

Gabriela de Lima Silva
Gabriela de Lima Silva

Compartilhe

alt text: Foto de uma reunião com cinco pessoas, onde uma delas está de pé e apontando para um mural com post-its

Quando um profissional de UX Design desenvolve ou participa de algum projeto, é normal que ele ou ela lide com diversas pessoas no dia a dia. Estar em ambientes diferentes da “zona de conforto” pode causar um encanto ou estranheza inicial, pois tudo é novo para você. Por isso, é importante entender que estar em ambientes diferenciados é algo comum para os UX Designers que lidam diretamente com os usuários, pois os seres humanos são diferentes uns dos outros, sentem e vivenciam o mundo de formas distintas.

alt text: Foto de duas mulheres com vestidos longos, um roxo e outro laranja, e dançando uma dança típica de sua cultura

Para lidar com esses momentos de choque cultural, comece reconhecendo a individualidade da pessoa, ou seja, aceite e respeite o direito do próximo de ser diferente. Lembre-se: todas as pessoas são livres para se expressarem, viverem e fazerem suas próprias escolhas. Essa característica de reconhecer que as pessoas são diferentes e aceitar a individualidade do próximo é chamada de Alteridade.

Faz parte da rotina do UX Designer, principalmente quem lida com pesquisas, estar em contato com pessoas diferentes e de culturas diferentes. Acolher o próximo e aceitar que nem todos são iguais a você é o primeiro passo para o desenvolvimento de bons trabalhos e pesquisas. É importante manter em mente que as pessoas podem até ter características em comum, mas elas nunca serão iguais.

Quando começamos a praticar a Alteridade, passamos a desenvolver a habilidade de compreender melhor as dores, sentimentos e situações difíceis do usuário, pois respeitamos e aceitamos o fato da pessoa ser diferente de nós. Essa habilidade de nos colocarmos no lugar do outro e sentirmos suas dores, mesmo não estando na mesma situação, é o que chamamos de Empatia!

Ser um profissional empático é uma das exigências para conseguir desempenhar um bom trabalho na área de Experiência do Usuário, pois será preciso constantemente se colocar no lugar do outro para compreender as dores dele e encontrar possíveis soluções para elas.

Qual é a diferença entre Alteridade e Empatia?

alt text: Foto de duas mulheres sentadas perto de uma janela conversando e rindo

Imagine a seguinte situação: você precisa montar um site para uma ONG de adoção de animais. Apesar de você talvez não precisar ou querer adotar um pet, alguém tem essa dor e necessidade. Nesse momento será preciso usar da Alteridade, para reconhecer que as pessoas têm diferentes desejos, e da Empatia, para se colocar no lugar do usuário e compreender essa dor que ele tem.

Ao observar o exemplo dado, podemos perceber que, ao contrário do que muitos pensam, Alteridade e Empatia se complementam, mas não são sinônimos. Alteridade é reconhecer que existem diferenças em uma pessoa e respeitar esse fato, enquanto Empatia é se colocar no lugar do outro e compreender seus sentimentos.

Vamos revisar? Neste artigo aprendemos:

  • O que é Alteridade e como se aplica na UX Design;
  • O que é Empatia e como se aplica na UX Design;
  • A diferença entre Alteridade e Empatia.

Curtiu a conversa? Aqui na Alura temos muito mais conteúdos para você mergulhar cada vez mais em tecnologia! Vamos deixar aqui algumas sugestões de formações (trilhas de cursos) para que você se aprofunde mais no tema de Experiência do Usuário: Formação UX Design, UX Research: Análise e visualização de dados e Formação de Desenvolvimento de Carreira em UX. Bora mergulhar em UX?

Até mais!

Gabriela de Lima Silva
Gabriela de Lima Silva

Olá, eu sou a Gabi Lima! Sou estudante de Design Gráfico. Amo ter contato com pessoas e entender seus sonhos e receios. Também sempre amei estudar, tanto que comecei a dar aulas de inglês aos 17 anos! Hoje em dia sou estagiária em UX na Alura!

Veja outros artigos sobre UX & Design