Benchmarking: qual a relação entre pesquisa de mercado e o sucesso de um produto?

Maria Gomes
Maria Gomes

Compartilhe

Mesa de madeira, vista de cima, com folhas de papel rabiscadas, um celular, uma caixa de canetas coloridas, um computador e as mãos de um homem segurando um marcador de texto.

Muitas vezes queremos inventar a roda ao desenvolver um projeto, mas a grande questão é que ela já foi inventada. Dessa forma, como podemos nos destacar no mercado ao lançar um produto com concorrentes?

Homem de costas para a câmera, olhando um mural de papéis na parede.

Para desenvolver um bom produto é preciso entender a fundo o mercado em que ele estará inserido. Descobrir como seus concorrentes agem e quais são seus diferenciais é um grande passo na formulação do projeto. Se não fizermos essa pesquisa, podemos lançar algo que o mercado não precisa, ou até mesmo um item que o mercado já tem. E para solucionar isso, podemos utilizar uma técnica chamada Benchmarking.

Também nomeada Análise de Competidores, o Benchmarking é um tipo de pesquisa feita no início do projeto. Ela serve para entender como o mercado atua no seu ramo. Com essa pesquisa, podemos compreender o que os usuários esperam do produto que você está desenvolvendo, quais os diferenciais e pontos fracos dos concorrentes, como eles divulgam seus próprios serviços e também o posicionamento deles diante do público.

Como o Benchmarking funciona?

Depois de definir qual o problema você vai resolver, é a hora de pesquisar por empresas que sejam consideradas ameaças ao seu negócio. Mas, primeiro, devemos entender quem são seus reais concorrentes.

Os que competem com a sua marca são aqueles que têm a solução semelhante à sua, ou seja, vocês resolvem a mesma dor!

E para fazer uma pesquisa de mercado efetiva, podemos comparar funcionalidades e benefícios que seus concorrentes oferecem ao público.

Para isso, podemos utilizar uma técnica chamada Inventário de Recursos, que consiste em comparar os produtos oferecidos pelas empresas. Nesse caso, montamos uma tabela, em que a legenda superior demonstra a coluna de funcionalidades e as colunas dos concorrentes, e as linhas representam a presença ou a falta da funcionalidade no produto do concorrente, como mostrado a seguir:

Imagem que mostra uma tabela que compara funcionalidades de um produto de diferentes competidores. Há 4 colunas: a primeira é funcionalidade; a segunda, competidor 1; a terceira, competidor 2; a quarta e última coluna é competidor 3.

Assim, você consegue ver os pontos fracos desse negócio e atacar exatamente onde faltam benefícios para seu usuário, conquistando um público para seu produto.

Análise competitiva profunda

Você já descobriu qual o problema deve atacar, agora, vai entender como se posicionar e vender seu produto de forma correta.

Nessa etapa, você estudará mais informações sobre seu concorrente, como feedbacks dos usuários, tipos de interação com o cliente, quais interfaces e meios são utilizados para se comunicar e também o posicionamento da marca.

Para completar esse processo você vai analisar a marca por completo. Se ela tem um app, baixe ele e comece a utilizá-lo, anotando suas percepções sobre a experiência de uso dele.

Também descubra como a empresa se posiciona: ela é mais formal ou informal? Seu público é mais jovem? Ela utiliza redes sociais, tem site próprio? Qual paleta de cores utiliza? Ela chama atenção se comparada com outras marcas?

Encontre comentários de usuários sobre o concorrente estudado, pode ser em sites de buscas, em redes sociais e também nos meios de comunicação da empresa. Qualquer comentário real vale.

No final, anote tudo em um documento de texto, assim, você pode analisar o que foi pesquisado e definir melhor como a sua marca irá trabalhar.

Exemplo: Se você percebeu que a experiência de uso do seu concorrente é negativa, vale a pena trabalhar melhor nisso em seu projeto.

Não tem segredo, leia o documento e veja o que pode ser melhorado e implementado no seu projeto. Mas não esqueça, seja único, crie um produto que se destaque diante dos outros.

E quais as vantagens de se fazer uma pesquisa de mercado?

A maior vantagem do Benchmarking é conhecer pontos fortes e fracos dos seus concorrentes, pois assim você pode resolver problemas que eles ainda não resolvem.

Você também já vai sair da pesquisa com uma validação de mercado, entendendo qual público realmente possui o problema que você busca solucionar. Com isso, você consegue direcionar melhor o desenvolvimento do projeto para um público específico.

Além disso, essa pesquisa te ajuda a entender melhor sobre como posicionar seu projeto. Ter a sua própria marca é importante, isso gera engajamento com o público e o ajuda a ter uma conexão maior com o produto.

Por fim, a pesquisa de mercado vai te fazer entender se a sua ideia realmente resolve algo, se ela é viável e se tem chances de crescer.

Vamos revisar o que vimos? Nesse artigo aprendemos:

  • O que é Benchmarking;
  • Como fazer um Inventário de Recursos;
  • Como fazer uma Análise Competitiva Profunda;
  • As vantagens de se fazer uma pesquisa de mercado.

Curtiu a nossa conversa? Aqui na Alura temos muitos outros conteúdos para que você possa aproveitar e mergulhar no mundo da tecnologia! Vamos deixar algumas sugestões de por onde começar: Formação de UX Design e Formação de Desenvolvimento de Carreira em UX. Bora mergulhar em tecnologia?

Até logo!

Maria Gomes
Maria Gomes

Olá, eu sou a Maria, integrante do Scuba Team aqui da Alura. Estarei sempre por aqui te ajudando a crescer em design e tecnologia

Veja outros artigos sobre UX & Design