VirtualBox e Máquinas Virtuais

VirtualBox e Máquinas Virtuais
Camila Pessôa
Camila Pessôa

Compartilhe

Algo bem comum para a pessoa desenvolvedora, seja a que está começando na área ou quem já possui uma longa jornada, é estudar e conhecer diferentes sistemas operacionais (se você não sabe o que é um sistema operacional, confira o artigo “Sistemas operacionais: conceito e estrutura .

No entanto, entramos em uma barreira, que é a barreira material! É bem comum termos apenas apenas um computador disponível para estudo ou trabalho e, no máximo, conseguimos instalar dois sistemas operacionais simultaneamente em modo dual-boot.

Então… como podemos estudar ou mesmo testar nossas aplicações em diferentes ambientes? Pedir emprestado o computador do vizinho? Seria até uma boa ideia, mas acho meio complicado o vizinho emprestar o computador para experimentos!

Ora, quem sabe dividir o computador ao meio então?

A imagem mostra um teclado branco enfiado no meio da tela de um computador preta. O centro da tela está quebrada pelo impacto do teclado, como se a dividisse fisicamente em duas partes e há algumas folhas de papel sulfite brancas, uma caneca branca vazia derrubada em cima da mesa e algumas canetas coloridas.

Fonte: media.istockphoto.com

Bom… é quase isso!

Uma solução para esse problema surge com a premissa de divisão mesmo, não uma divisão física mas parte da ideia de reservar um espaço na memória do seu computador.

Como assim? Vem comigo que te explico…

Ainda nos anos 60 e 70 surge o conceito de máquinas virtuais. No início, a virtualização de sistemas operacionais não era muito conhecida pelo grande público e seu uso era mais voltado para computadores gigantes como mainframes. Todavia, já nos anos 2000, houve uma redescoberta das máquinas virtuais o que tornou o processo de virtualização mais acessível.

A Sun Microsystems (atualmente é parte da Oracle), entendendo então essa demanda investiu e comprou o VirtualBox da empresa alemã innotek e realizou grandes melhorias, sendo a principal delas, ter tornado o gerenciador de de máquinas virtuais uma ferramenta de código aberto.

Virtual Box: o Gerenciador de Máquinas Virtuais

Para começo de conversa, vamos entender: uma máquina virtual é um programa. Em outras palavras, é um sistema operacional que funciona de forma independente e virtualizado no seu computador.

Eu sei que a ideia de possuir mais de um sistema operacional gerenciando os recursos de hardware é tentadora. No entanto, não parece arriscado trabalhar com mais de uma ferramenta? Será que haverá conflitos entre os sistemas operacionais?

Essa pergunta foi levantada pela equipe da Oracle e logo na descrição do VirtualBox existe a afirmação que a ferramenta foi desenvolvida como um produto que realiza uma virtualização total. Isso significa que o sistema operacional chamado de “host” (o que está primariamente associado ao computador físico) não sofrerá nenhuma interferência da máquina virtual criada.

Isso ocorre porque o “guest” (em tradução livre, convidado) é a máquina virtual gerenciada pela VirtualBox, que roda em uma camada acima do sistema operacional existente.

O ambiente especial é criado por um software de virtualização que atua em certos componentes e funcionalidades do hardware, fazendo a máquina virtual apenas “imaginar” que está rodando em um computador real.

O VirtualBox então cria pequenas caixas dentro do seu computador para rodar outro sistema operacional de forma independente. Muito prático, não é?

A imagem mostra um computador desktop com imagens de outros 5 computadores desktop “dentro” dele, aparentes na tela inicial.

Fonte: iconspng.com

Download e instalação do VirtualBox

Vamos conhecer um pouco mais o ambiente do VirtualBox? Para isso, vamos realizar o download e instalação do VirtualBox em sua máquina.

Passo 1: Acesse o link para download da ferramenta no site oficial do Virtualbox.

Desenho que mostra um botão azul com os dizeres “Download VirtualBox 6.1” na cor branca.

Passo 2: Selecione o seu sistema operacional, faça o download e abra o executável do VirtualBox.

Passo 3: Para esta etapa, organizamos as imagens do passo a passo, com as etapas de instalação. Vamos conferir:

3.1.: Após abrir o executável, haverá a tela de boas-vindas para a instalação do VirtualBox. Clique novamente em “Next”:

Desenho que mostra a tela do instalador do VirtualBox. A esquerda possui uma imagem de uma caixa com o símbolo da VirtualBox e do meio para a direita há as boas vindas e dois botões, um para seguir com o fluxo de instalação (botão da esquerda), o Next e o outro para cancelar, o Cancel”.

3.2.: Nessa sessão você pode customizar a configuração do VirtualBox, recomendamos que deixe com a configuração padrão e prossiga:

Imagem que mostra a tela do instalador do VirtualBox e a customização do setup. A esquerda possui uma uma lista com componentes da VirtualBox Application, USB support, Networking, Bridger, Host, Python.À direita informa que você precisa ter 218mb de espaço no seu hard drive.  4 botões, na sequência: “Disk Usage” , “Back”, “Next”, “Cancel”.

3.3.: Na tela seguinte, você verá algumas opções para seleção. Você pode deixar todas marcadas, pois vão criar um ícones para acesso rápido no seu computador:

Imagem que mostra a tela do instalador do VirtualBox e a customização do setup. para selecionar as features desejadas. Em ordem: “Create start menu entries”, Create a shortcut on the desktop”, “Create a shortcut in the Quich Launch Bar”, “Register file associations”. Há  3 botões, na sequência:  “Back”, “Next”, “Cancel”.

3.4.: Em seguida, o programa apenas informa, a partir de uma tela de aviso, que sua internet pode desconectar-se temporariamente e pergunta se você deseja instalar o VirtualBox. Clique em “yes”!

Imagem que mostra a tela do instalador do VirtualBox com um alerta de interface de rede  (em letra vermelha), com o aviso que a internet pode ser temporariamente desconectada e se pode realizar a instalação. Logo abaixo, estão os botões “yes” e “no” em cinza claro.

3.5.: Agora clique em “Install”, caso deseje voltar para modificar algum passo, clique em “back”.

Imagem que mostra a tela do instalador do VirtualBox em cinza claro e informa que customização do setup está pronta. Há 3 botões, na sequência: “Back”, “Install”, “Cancel”.

3.6.: Agora é só esperar e finalize a instalação clicando em “finish”:

Imagem que mostra a tela do instalador do VirtualBox e que a instalação está completa. Há uma caixa de seleção que solicita para iniciar o Oracle VM VirtualBox. Apresenta o botão “finish” (para finalizar a instalação).

E finalmente, temos o VirtualBox rodando em nosso computador!

A imagem do ambiente do Virtualbox: há uma barra de ferramentas com “Arquivo (F)”, “Máquina”, “Ajuda(H)” no topo. Ao Lado esquerdo há um ícone com algumas imagens de ferramentas e escrito “ferramentas”, no meio para o lado direito há uma tela com os ícones de “preferências”; “importar”; exportar”, “novo”, “acrescentar” e um desenho um pinguim com uma caixa de ferramentas.

Vantagens e situações de uso da VirtualBox

Para quem ainda não se convenceu das vantagens no uso do VirtualBox como gerenciador de máquinas virtuais, não se preocupe, pois preparamos uma pequena lista com os principais benefícios:

Imagem em loop mostra dois personagens da animação Bob Esponja. O Bob esponja está ao lado direito da tela (ele é amarelo, retangular, apresenta dois dentes grandes e arredondados,  usa uma blusa social branca, gravata vermelha e calças marrom. Seus sapatos são pretos e fechados. Ele alegremente comenta sobre os tópicos de uma lista quilométrica que cobre seu animal de estimação Gary (que é um caracol). A lista cobre o rosto e parte do casco de Gary, que apenas fica com os dois olhos ao redor da lista.

Fonte: drizzleandhurricanebooks.com

Sem dúvidas o primeiro item dessa lista é a independência das máquinas virtuais.

Na VirtualBox, as máquinas virtuais criadas são isoladas de outras máquinas virtuais e do próprio sistema operacional host (o que já está primariamente instalado no seu computador).

Isso gera uma vantagem, pois se você quebrar uma máquina virtual as outras vão funcionar normalmente. Em outras palavras, se o multiverso de máquinas virtuais apresentarem problemas, eles não se cruzam e basta desativá-lo!

O pequeno vídeo em Loop mostra o personagem Dr. Estranho fechando um portal, o portal é como faíscas que giram em formato circular e vai diminuindo até desaparecer. Há duas pessoas ao seu lado, um homem e uma mulher caucasianos.

Fonte: cumberbatchlives.tumblr.com

Além dessa super vantagem, temos outras - afinal, prometi uma lista (e não vou te decepcionar):

  • Virtualização de sistema operacional diferente do seu;
  • Maior segurança ao navegar na web: caso você acione um arquivo malicioso, é possível simplesmente destruir a máquina virtual em questão;
  • Testes com malwares;
  • Baixo custo com hardware;
  • Execução de software incompatível com seu s.o nativo;
  • Possibilita criação de ambientes de testes;
  • É open-source (código aberto);
  • Excelente ferramenta para DevOps.

Resumindo: a VirtualBox é P-E-R-F-E-I-T-A!

Esquema: vituralbox --> flexibilidade, independente do S.O, menor custo hardware, ambiente de testes.

Fonte: Elaboração própria

Conclusão

Máquinas Virtuais são excelentes para o aprendizado e, principalmente, para testes!

A flexibilidade e virtualização total que o VirtualBox proporciona garante maior segurança devido à independência de cada máquina virtual e seu isolamento do sistema operacional host.

Dessa forma você não compromete o funcionamento do seu sistema operacional e pode estudar ou até mesmo quebrar o ambiente virtual sem medo de perder informações ou configurações importantes.

Aprenda mais sobre os usos do VirtualBox com a gente neste Alura+ Máquina Virtual: O que é e como instalar e aprofunde seus conhecimentos de virtualização com nossa Formação DevOps

E você, já precisou usar o VirtualBox?

Compartilhe sua opinião em suas redes sociais e marque a gente!


Créditos

Vamos aprender mais?

Camila Pessôa
Camila Pessôa

Olá, sou a Camila ! Tenho 33 anos, sou mãe e ingressei na área de tecnologia por meio da robótica educacional. Participei do Bootcamp { Reprograma } com foco em Back-End /Node.js e curso Sistemas de Informação.Atualmente faço parte do Scuba-Team e tenho grande paixão por educação e tecnologia, pois acredito que essa combinação é transformadora!

Veja outros artigos sobre Programação