Alura > Cursos de Mobile > Cursos de Flutter > Conteúdos de Flutter > Primeiras aulas do curso Dart: criando e manipulando variáveis e listas

Dart: criando e manipulando variáveis e listas

Identificando ambiente e funções - Apresentação

Olá! Tudo bom?

Muito prazer! Eu me chamo Caio Couto Moreira, mas vocês podem me chamar de Kako. Serei o seu instrutor neste curso de Dart: primeiros passos.

Este é um curso introdutório, mas você precisa, no mínimo, ter feito algum curso de Algoritmos e Lógica de Programação. Portanto, o pré-requisito para este curso é entender um pouco sobre lógica de programação.

Antes de começarmos imediatamente com o Dart, quero apresentar para vocês como o curso irá funcionar.

Teremos alguns passos neste curso, e o primeiro deles será a introdução, para entendermos o que é o Dart e porque fazemos uso dele. A seguir, começaremos a aprender, de fato, sobre Dart a partir de testes com os objetos mais simples dele: as variáveis. Entenderemos o que são essas variáveis e como criá-las.

Em seguida, aprenderemos mais sobre listas, mas nada muito complexo. Descobriremos o que são as listas e como criá-las. Além disso, começaremos a testar as condições, repetições e escolhas dentro do nosso código, que são essenciais para criarmos códigos inteligentes. Para finalizarmos com sucesso, veremos boas práticas do Dart, para entendermos como deixar o código organizado.

Antes de terminar esta introdução, quero apresentar para vocês, como podem aprender.

Existem algumas formas que gostamos de indicar para vocês aprenderem, mas primeiramente quero mostrar quais materiais vocês terão disponíveis para fazer este curso. O material mais óbvio são as vídeo aulas, inclusive vocês estão vendo uma agora. Também serão disponibilizados artigos de preparação de ambiente, para vocês lerem e conseguirem acompanhar, e atividades, ou seja, exercícios para testarem o quanto vocês aprenderam.

Além disso, teremos artigos de curiosidades, chamados Para saber mais, essenciais para se aprofundarem no assunto Dart. Por fim, terão O que aprendemos, nos quais haverá uma revisão de todo conteúdo visto naquela aula. Esse conteúdo é importante para associar as memórias e proporciona uma facilidade maior para, no futuro, recordarem o que vocês aprenderam.

Conhecemos o material que vamos usar e, agora, entenderemos como aprender neste curso. Para ajudar vocês neste processo, criamos duas personas fictícias. Caso se identifique com uma delas, sugerimos aprendam como ela aprende.

A primeira persona é a Dandara, que está começando agora a programar. Ela nunca programou antes e entende apenas de algoritmos e lógica de programação. A Dandara tem um desejo de criar aplicativos com um programa, contudo ela demora mais para aprender, porque, como é uma novidade, ela precisa entender tudo no passo a passo, repetindo bastante. Caso se identifique com a Dandara, sugerimos que veja as aulas, acompanhe os exercícios e tente replicar sozinho ou sozinha, mostrando os resultados no fórum.

Temos outra persona que criamos, o Nilo, que é um pouco diferente da Dandara. O Nilo já é programador e entende até de Flutter. O desejo dele é entender mais sobre Dart para melhorar seus códigos, aumentando a qualidade dos programas que ele já sabe fazer. Sendo assim, o Nilo aprende muito mais rápido, porque ele já aprendeu a programar, sabe como funciona e não gosta do passo a passo, querendo ir direto ao ponto.

Se você se identifica com o Nilo, sugerimos que acompanhe as aulas, até mesmo na velocidade 2x, se preferir, mas é importante que se aprofunde no curso. Temos o "Para saber mais", que são curiosidades e detalhes mais específicos dentro do conteúdo.

Então se está aprendendo sobre listas e tem um "Para saber mais" deste assunto, aprofunde-se nele. Além disso, nosso conselho mais importante é que, ao acabar uma aula, vão ao fórum para tentar resolver a dúvida de um iniciante, porque ensinar ajuda a aprender e ter mais qualidade no conteúdo que estão aprendendo.

Era isso que queria passar para vocês nesta breve introdução ao nosso curso de Dart. Vocês verão muitas coisas bem legais, mas nada pesado. O curso é bem tranquilo.

Além disso, mostrarei para vocês o motivo para aprender Dart entre tantas linguagens de programação.

Até a próxima!

Identificando ambiente e funções - Por que aprender Dart

Fala, galera!

Após o vídeo de introdução, já estão sabendo tudo sobre como funcionará o curso e já entenderam quem é a Dandara e o Nilo. Entretanto, antes de irmos diretamente para programação, eu quero conversar com vocês sobre a razão para usarmos o Dart, afinal precisamos saber como sustentar nossa opinião em uma conversa sobre os motivos para usarmos essa linguagem ao invés de outra.

Começaremos vendo, de forma geral, o que aprenderemos nesta aula.

A princípio, entenderemos a jornada de um Dev que trabalha com Dart, do começo ao fim. Além disso, teremos uma ideia do mercado, descobrindo se há vagas e se vale a pena entrar neste mercado sabendo apenas o básico. Aprenderemos também sobre a origem do Dart, seu propósito e seu futuro. Com essas informações, vocês descobrirão o motivo para usar Dart e se vale ou não a pena para vocês.

Começaremos entendendo que o Dart é uma linguagem de programação criada para nós, humanos, nos comunicarmos com a máquina. O bom dela é a Interoperabilidade, o que significa que o Dart consegue se comunicar com outra linguagem, que é o Javascript. Para quem não sabe, atualmente o Javascritp é utilizado em muitas aplicações, e o Dart tem uma ligação muito boa com o Javascript.

O segundo ponto é que o Dart é uma linguagem orientada a objetos. Não precisam se preocupar muito em entender isso agora, porque será explicado posteriormente na nossa formação, mas é importante saberem que essa é uma linguagem com o paradigma orientado a objetos, ou seja, tudo nela é objeto. Futuramente vocês entenderão com todos os detalhes.

Além disso, a sintaxe do Dart é muito simples, o que torna essa linguagem fácil de ser aprendida. Ela já deixa tudo ajustado para que não nos preocupemos com detalhes difíceis entre a comunicação com a máquina, então a sintaxe é muito limpa. Inclusive ela lembra muito algumas linguagens como Java e C-Sharp (C#).

Agora já temos uma ideia superficial do que é o Dart e, com o tempo, entenderemos todos os pequenos pontos sobre o que, de fato, ele é. E quais são os motivos para usarmos o Dart?

O Dart tem ótimas qualidades, a começar pela que ele é muito fácil de aprender. Devido a sintaxe e a interoperabilidade, ele é facílimo de aprender e fazer ações que costumam ser mais complexas em outras linguagens. A documentação do Dart também é incrível, como veremos depois, mas é importante mencionar que o time do Google que constrói o Dart mantém uma documentação excelente. As informações são encontradas de forma fácil e simples.

Temos também a performance. É importante entendermos que uma boa linguagem tem uma boa performance, que pode ser rápida ou potente. No fundo queremos que a linguagem seja eficiente, conseguindo fazer o que é proposto por ela em um tempo ágil e com qualidade.

A linguagem Dart está em ascensão no mercado, e logo descobriremos o porquê, mas ela está sendo muito englobada em empresas ao redor do mundo. Portanto, estão investindo no Dart e têm muitas pessoas procurando por ela, o que significa que há oportunidades, e vale a pena investir em uma linguagem em ascensão no mercado.

Além disso, temos ferramentas que facilitam o uso da nossa linguagem, como o famoso Flutter, que é um framework, ou seja, uma ferramenta, que usa o Dart para criar aplicativos de celular, que funcionam tanto para Android quanto para IOS. Outra ferramenta, que facilita a criação de outros tipos de aplicações, é o Flame, uma biblioteca que permite a criação de jogos 2D, também usando Dart.

O Jaguar é outro framework que, através do Dart, permite a criação de servidores, ou seja, o famoso back-end. Existem muitas outras ferramentas, porém, a partir destas, vocês têm uma ideia de que o Dart é uma linguagem usada por vários frameworks para criar aplicações.

Quanto ao mercado de trabalho, começaremos observando o seguinte gráfico.

Gráfico em barras verticais, publicado em 16 setembro de 2021 por Shanhong Liu, elencando as ferramentas de mobile multiplataforma mais usada por desenvolvedores do mundo entre 2019 e 2021. No eixo Y há a porcentagem de respostas compartilhadas na pesquisa, enquanto no eixo X estão os nomes dos frameworks. O Flutter foi usado por 42% dos participantes, o React Native por 38%, o Cordova por 16%, assim como o Ionic, o Xamarin por 11%, assim como o Unit, o NativeScript por 5%, o PhoneGap por 4%, o Kotlin Multiplataform por 2% e é possível perceber que há outras ferramentas, mas elas foram cortadas da imagem.

Eu vou explicar tudo sobre esse gráfico, mas a primeira coisa importante para saberem é que, em 2021, o Flutter se tornou o Framework Mobile Multiplataforma mais usado no mundo. Isso significa que entre o React Native, o Codova, o Ionic, o Xamarin e todas as demais ferramentas para criar aplicativos de celular, tanto para Android, quanto para IOS, o Flutter foi o mais usado em 2021. A tendência é que ele seja ainda mais utilizado.

Então se o Dart é a base do Flutter, significa que tem muitas pessoas usando, e que o mercado tem várias pessoas querendo Dart, ou seja, é uma oportunidade. Além disso, existem grandes empresas utilizando Flutter e Dart, como a Google. Essa nem precisava falar, já que ela foi a criadora do Dart e do Flutter, mas ela utiliza bastante essa linguagem e este framework em algumas aplicações.

Outra empresa é a Ifood, cujo um dos seus produtos, ou seja, um dos aplicativos, utiliza o Flutter e o Dart. O mesmo acontece com a Nubank, a eBay, que é uma empresa estrangeira, a Alibaba e muitas outras. Esses exemplos são baseados somente em 2021, portanto pode aumentar muito com o tempo. Sendo assim, entendemos o motivo pelo qual vale muito a pena usarmos o Dart.

Agora entenderemos mais sobre a origem e o futuro do Dart, porque é importante que saibam de onde ele veio e para onde ele vai. Inclusive o Nilo gostaria de saber o motivo para entender a origem do Dart, porque ele não vê sentido em aprender sobre isso e já quer começar a programar, uma vez que esses conhecimentos não vão alterar a qualidade do código.

O Nilo tem toda razão quanto a não alterar a qualidade do código, mas é muito importante ter em mente a origem daquilo com o qual iremos trabalhar, assim como o futuro daquilo no qual estamos investindo o tempo e esforço. Porque quando sabemos de onde veio e para onde vai, não teremos medo de investir este tempo e esforço nessa ferramenta e nessa linguagem.

O Dart foi criado em 2012 pela Google e é uma linguagem orientada a objetos. Inicialmente ele foi criado para substituir o Javasrcipt que, para quem não sabe, é a linguagem que, até 2021, é a mais usada no mundo por várias aplicações. Então a Google criou o Dart para tirar o Javascript do topo do mercado, o que não deu certo.

A partir disso, o Dart evoluiu e se tornou uma linguagem que se comunica muito bem com o Javascript, o que facilita muitas coisas. Porém isso aconteceu em 2012, portanto já faz muito tempo. Em 2017 foi lançado o Flutter, que é chamado de "framework", mas podemos pensar nele como uma "ferramenta". Essa ferramenta usa a linguagem Dart para criar aplicativos de celular multiplataforma. Com ela, é possível criar aplicativos para telefones da Apple e para telefone da Motorola, LG, etc.

Com o Flutter, foi possível usar mais o Dart para criar aplicações, portanto o Dart esqueceu a ideia de tirar o Javascript do mercado. Atualmente, estamos neste momento em que o Flutter é a ferramenta mais usada para criar aplicativos de celular multiplataforma.

É importante saberem que ainda existem expectativas para o Flutter no futuro, porque não vale a pena estudar o Dart, investindo nosso tempo, e descobrir que em cinco ou dez anos ele não irá mais funcionar. Por isso que estudamos também sobre o futuro.

Em 2021, a Google lançou o Fuchsia, que é um sistema operacional que usa o Dart como uma das suas linguagens nativas, o que aumenta as possibilidades e expectativas para o futuro. O Dart terá muitas oportunidades se o Fuchsia for introduzido ao mercado. Portanto, se o Fuchsia virar um sistema operacional para computadores, o Dart será a linguagem base para quase tudo nesses computadores.

Com isso, conseguimos entender que a origem do Dart teve um motivo e ele foi evoluindo e se moldando com a história. Em seguida surgiu o Flutter e consolidou essa linguagem no mercado. Agora foi lançado o Fuchsia, que ainda é bem recente, mas que, se tudo der certo, fará com que o Dart seja uma linguagem muito consolidada no mercado em vários tipos de aplicações diferentes.

Sei que estão ansiosos para começar a programar com Dart. Em breve aprenderemos como usar essa linguagem no nosso computador, as ferramentas que precisamos para programar e como instalar tudo isso no nosso PC.

Se não tem mais nenhuma dúvida, vamos seguir com nossas aulas.

Até o próximo vídeo!

Identificando ambiente e funções - Onde programar?

Temos todas as informações necessárias para explicarmos do motivo para usar o Dart e escolhemos o Dart como a linguagem para usarmos. Agora mostrarei para vocês os cinco passos desta aula.

  1. Explorar a documentação para entendermos a visão geral do Dart
  2. Aprender o que é uma IDE e porque precisamos dela
  3. Descobrir como instalar a IDE no computador
  4. Entender o que é um SDK e a razão de precisarmos dele para trabalhar com Dart
  5. Instalar o Dart no nosso computador

A documentação é muito importante para nos encontrarmos quando estamos perdidos. Quando não souber por onde começar, a documentação irá ajudar, porque a documentação do Dart é incrível.

O pessoal que trabalha com ela faz um trabalho fenomenal de mantê-la atualizada e muito bem construída, tornando-a bem didática. O acesso ao link do site do Dart, onde está a documentação, também estará disponível nas atividades sobre a instalação dos programas.

Quando acessamos o site do Dart, notaremos que existem várias informações, incluindo um tour pela linguagem, documentações, comunidade, obtenção do Dart, etc. Vamos diretamente para a documentação do Dart, clicando no botão "Docs" à direita da barra superior.

Imagino que devem estar receosos por estar tudo em inglês, principalmente se não souberem inglês e acharem a língua complicada, mas não precisam se preocupar. Mostrarei o que podem fazer caso não entendam tanto de inglês.

Clicando com o botão direito do mouse em algum lugar da página, aparecerá um grande menu. Aproximadamente na metade deste menu, há uma opção chamada "Traduzir para o português".

Ao clicar nela, a página será traduzida e vocês podem utilizar essa ferramenta para facilitar o entendimento em relação à Dart. É verdade que algumas traduções ficam estranhas, porém a tradução, neste caso, é 90% bem-feita e vocês conseguirão entender muito bem os conteúdos relacionados ao Dart, caso estejam perdidos.

Na página da documentação temos muitas informações: amostras da linguagem, tour por todo idioma do Dart, como trabalhar efetivamente com Dart, as bibliotecas que o Dart disponibilizar e várias outras. Então essa é nossa documentação, não precisam temê-la, e faremos uso dela muitas vezes.

Antes de começarmos a usar a documentação, quero explicar o que é uma IDE e o motivo para conhecê-la. A IDE é uma ferramenta que facilita a utilização do Dart no computador. Para conseguirmos que o código de Dart rode no nosso computador, precisamos de muitos passos, e a IDE faz todos esses passos por nós, facilitando muito a nossa vida.

Vamos observar os passos que teríamos que fazer sem a IDE:

São muitas etapas que nem sei como cumprir, porque não precisamos saber. Essas não são habilidades que precisamos para programar, porque a IDE já faz tudo isso por nós.

IDE significa "Integrated Development Environment", que, em português, significa "Ambiente de Desenvolvimento Integrado". Ele faz todos esses passos mencionados para nós, então só precisamos editar o nosso código. Portanto, essa ferramenta facilita muito o uso do Dart no nosso computador.

Existem várias IDEs, entre elas, o IntelliJ, que é muito bom, e o VsCode, que também é muito bom e muitas pessoas usam. Temos também algumas outras ferramentas usadas para programar em Dart, como o DartPad, que é um pouco diferente dos outros e em breve conheceremos mais sobre ele.

Vamos procurar na documentação se encontramos algo sobre IDEs. Podemos reparar que, na coluna da esquerda, temos vários tópicos, entre eles "Ferramentas e técnicas". Quando clicamos nesse tópico, abre um menu abaixo, no qual escolheremos a "visão geral".

Ao carregar a nova página, volta para o inglês, então basta utilizamos a mesma técnica de tradução, clicando com o botão direito do mouse e escolhendo a "Tradução para o português".

Nesta página da documentação, aprendemos mais sobre as ferramentas disponíveis para se trabalhar com o Dart. Ao descermos a página, encontramos o tópico "Ferramentas de uso geral", indicando o "DartPad", os "IDEs e editores".

Nas opções de IDEs encontramos o Android Studio, IntelliJ e o VsCode, mas há várias outras que também podemos usar. Além disso, temos o DartPad, sobre o qual eu vou falar mais daqui a pouco. Contudo, qual é a melhor para usarmos?

Não tem uma IDE melhor que a outra. Todas são ferramentas com os mesmos princípios e ideias, mas com alguns detalhes diferentes das outras, portanto depende da preferência e expectativa de cada um. No nosso curso, usaremos o IntelliJ como IDE escolhida, mas vocês podem usar o VsCode ou outra IDE com a qual já tenham experiência, mas tenha certeza que sua IDE tem suporte para o Dart.

Então conhecemos as IDEs e sabemos que vamos usar o IntelliJ como IDE. Agora conhecermos mais sobre o DartPad, cujas informações estão disponíveis nesta página da documentação. O DartPad é uma ferramenta que simula o IDE, mas não é uma IDE completa. Ele é uma ferramenta voltada para rodar códigos simples exclusivamente do Dart.

Acessando o site do DartPad, percebemos que temos esta ferramenta completa à nossa disposição sem nenhuma instalação. Podemos escrever e executar o código na própria página do DartPad, assim como ter acesso à documentação, sem precisar instalá-lo no nosso computador.

Contudo, o problema é que o DartPad não tem potência para rodar códigos grandes ou ações detalhadas, o que pode fazer com que o navegador pare de funcionar ou deixar o computador muito lento.

Por isso a produção de códigos através dele não é muito eficiente. Sendo assim, eu não aconselho que use o DartPad para seguir este curso, porque é possível que ele falhe em rodar alguns códigos que criaremos.

A menos que, por algum motivo, não consiga usar uma IDE, sugiro que não use o DartPad. Caso opte por usá-lo, tenha em mente que ele pode não oferecer todo o suporte necessário para este curso, por isso tente instalar uma IDE no seu PC antes.

Já temos uma ideia do que é uma IDE e que vamos instalar o IntelliJ. Também sabemos sobre o DartPad e seus detalhes, então vamos para a instalação. Nas atividades, vocês terão acesso ao link do IntelliJ para fazer o download, e eu vou mostrar como é fácil baixá-lo.

Acessamos o site da Jet Brains, que é a empresa criadora do IntelliJ, e clicamos no botão "Download" no centro da tela. Somos direcionados para outra página, na qual tem duas opções de download, lembrando que é possível baixá-lo para Windows, MacIOS e Linux, basta clicar no nome do seu sistema operacional na barra acima das opções de download.

Podemos escolher entre o download "Ultimate" ou "Community", porém o "Ultimate" é pago. Escolherei o "Community" porque nem todo mundo tem condições de pagar e não tem problema usá-lo. A versão Community não irá dificultar nosso processo de produção de códigos. Então ao clicarmos em "Download" abaixo do no nome "Community", o IntelliJ começará a ser baixado.

Após a conclusão do download, vamos configurar o IntelliJ no computador. Para isso, abriremos o programa, permitiremos o acesso ao computador como administrador e seguiremos com o processo de instalação. Na janela que abre no centro da tela, vamos clicar no botão "Next", localizado à direita da margem inferior da janela.

A janela muda e no centro dela aparece o local destinado para instalação do IntelliJ. É possível escolher outro local clicando no botão "Browse", à direita dessa barra, e quando decidir o local da instalação, ou aceitar o local escolhido pelo programa, clique novamente em "Next".

A janela recarrega e temos algumas opções disponíveis. A primeira delas, no lado esquerdo, pergunta se queremos criar um atalho no desktop, e queremos, então marcamos a primeira caixa de seleção à esquerda.

À direita desta opção, pergunta se queremos atualizar a variável PATH do computador, informando que será necessária a reiniciá-lo. Também marcaremos essa opção, clicando na caixa de seleção abaixo dela. As demais caixas de seleção ficaram em branco, porque não serão necessárias por enquanto.

Clicamos novamente no botão "Next", localizado à direita da margem inferior, e a janela carrega novamente para decidirmos a pasta do Menu Inicial na qual queremos salvar o programa.

A opção selecionada é a "JetBrains", que é a empresa criadora do IntelliJ, então deixaremos como está e clicaremos em "Install", localizado à direita da margem inferior. A instalação começa e precisamos esperar ela sua conclusão.

Após o final da instalação, clicamos em "Next", localizado à direita da margem inferior, e a janela atualiza novamente. Temos duas opções no centro da tela.

A primeira é para reiniciar o computador agora e a segunda para reiniciar o computador manualmente mais tarde. Vamos marcar a segunda opção, para aula não ficar dividida, e clicaremos em "Finish", à direita da margem inferior.

Instalamos e configuramos o IntelliJ e, com isso, nossa IDE já está instalada. Agora voltaremos à documentação para aprendermos sobre SDK.

Ao acessarmos a página da documentação, e traduzirmos para o português, notamos que no lado direito da barra superior do site temos "Visão Geral", "Docs", "Comunidade", "Tente Dardo" e "Obter Dardo". A tradução mudou Dart para Dardo. Clicaremos em "Obter Dardo".

Somos direcionados para outra página, que apresenta algumas informações sobre o SDK do Dart, que é algo que precisamos para usar o Dart no nosso computador. Traduziremos novamente a página para o português para entendermos o conteúdo.

O SDK é uma ferramenta que também facilita bastante a nossa utilização do Dart. Tem alguns passos que precisamos realizar ao trabalhar com uma linguagem, por isso precisamos de uma ferramenta que facilite alguns trabalhos nossos. Estes trabalhos, no código, são:

Portanto existem várias etapas que precisamos cumprir quando estamos trabalhando com o Dart no nosso computador, além dos que vimos na IDE. A SDK é uma ferramenta que já faz esses passos para nós, evitando que nos preocupemos com eles enquanto criamos nosso código.

E o que significa SDK? Software Development Kit, que é o "Kit de Desenvolvimento de Software". No caso do Dart, é o Kit de Desenvolvimento de Software em Dart.

Além disso, o SDK do Dart tem algumas features que facilitam muito o nosso trabalho. Então quando estamos criando um código que precisa, por exemplo, de funções matemáticas, já existem bibliotecas com funções matemáticas para usarmos, sem que precisemos criá-las do zero.

Outra biblioteca existente é para conversões, ou seja, existem ferramentas no SDK do Dart para mudar o arquivo de um tipo para outro. Entre as várias outras bibliotecas, também tem a que permite a comunicação HTML, ou seja, para websites. Portanto, o SDK é mais uma ferramenta que facilita o uso do Dart enquanto estamos codando.

Agora surge uma dúvida da Dandara: Temos duas ferramentas, a SDK, que são várias possibilidades de ferramentas, e a IDE, mas precisamos das duas? Não existe uma ferramenta única para trabalharmos com Dart?

Não existe, mas farei uma analogia para entenderem melhor o motivo para precisarmos dessas ferramentas trabalhando em conjunto. Imaginemos os óculos.

Eles são compostos por duas partes essenciais: a lente e armação. Apenas a lente melhora a visão, mas sem a armação seria terrível usá-la, porque teríamos que ficar segurando o tempo inteiro. Já a armação encaixa no nosso rosto e se mantém parada enquanto fazemos nossas atividades, mas sem a lente não adianta nada.

Então precisamos juntar a armação e a lente para termos todo o efeito dos óculos e conseguirmos enxergar melhor. Da mesma forma, pense que o SDK e a IDE são ferramentas diferentes que precisam trabalhar juntas para produzir aplicações em Dart, por isso precisamos das duas ferramentas.

Já sabemos o que é o SDK, uma IDE e as diferenças entre elas. Agora vamos instalar o SDK. Então voltaremos à documentação para obtermos o SDK do Dart, cujo acesso também estará disponível nas atividades. Nesta documentação, teremos a seção "Instalando o Dardo SDK" com o link para baixar o SDK como um arquivo zip.

Clicando neste link, somos direcionados para uma nova página que, na subseção "Canal estável", temos acesso às versões que podemos baixar. No começo da subseção, temos as opções de "Versão" e "SO". Nelas é possível selecionar o sistema operacional que estamos usando e ter acesso ao histórico de versões para ele.

Imagem do começo da subseção Canal Estável, na qual uma seta vermelha aponta para o local onde podemos escolher a versão e o sistema operacional, logo acima da tabela para download das versões.

Clicando na versão mais recente do "Dardo SDK", na coluna "Download", o arquivo zip começará a ser baixado. Quando o download finalizar, extrairemos os arquivos do zip para uma pasta na qual podemos deixá-los sem nenhum problema.

Abrindo o arquivo zip, veremos a pasta "dart-sdk" e, ao abri-la, veremos que existem várias pastas e arquivos. Faremos a extração de toda pasta "dart-sdk" para uma pasta do nosso computador.

No meu caso, farei a extração para pasta da Alura. Quando extraímos a pasta, temos o SDK Dart no nosso computador, assim como a IDE. Para finalizar, mostrarei como juntar tudo na nossa IDE.

Começaremos abrindo a IDE, no caso, o IntelliJ, e faremos algo muito simples. O IntelliJ é bem tranquilo de navegar. Na coluna da esquerda temos "Projetos", "Customização", "Plugins" e "Aprenda sobre a IDE". Clicando em "Plugins", abrirá um menu de opções, dividido em duas metades, no lado direito da janela, fazendo com que, agora, haja três colunas.

Clicaremos na barra de pesquisa, localizada na parte superior da coluna central. Digitaremos "dart" e vamos selecionaro primeiro resultado, que é o plugin.

Na coluna da direita aparecerá as informações do plugin e, no canto superior direito desta coluna, haverá o botão "Install". Clicando nele, instalamos o Dart na nossa IDE, facilitando a utilização do código para Dart.

Janela do IntelliJ com as três colunas da janela e com o botão de instalação no canto superior direito da terceira coluna contronado com um retângulo vermelho.

Já temos o Dart no computador e, na próxima aula, vamos começar a utilizá-lo.

Sobre o curso Dart: criando e manipulando variáveis e listas

O curso Dart: criando e manipulando variáveis e listas possui 180 minutos de vídeos, em um total de 41 atividades. Gostou? Conheça nossos outros cursos de Flutter em Mobile, ou leia nossos artigos de Mobile.

Matricule-se e comece a estudar com a gente hoje! Conheça outros tópicos abordados durante o curso:

Aprenda Flutter acessando integralmente esse e outros cursos, comece hoje!

Plus

De
R$ 1.800
12X
R$109
à vista R$1.308
  • Acesso a TODOS os cursos da Alura

    Mais de 1500 cursos completamente atualizados, com novos lançamentos todas as semanas, emProgramação, Front-end, UX & Design, Data Science, Mobile, DevOps e Inovação & Gestão.

  • Alura Challenges

    Desafios temáticos para você turbinar seu portfólio. Você aprende na prática, com exercícios e projetos que simulam o dia a dia profissional.

  • Alura Cases

    Webséries exclusivas com discussões avançadas sobre arquitetura de sistemas com profissionais de grandes corporações e startups.

  • Certificado

    Emitimos certificados para atestar que você finalizou nossos cursos e formações.

Matricule-se

Pro

De
R$ 2.400
12X
R$149
à vista R$1.788
  • Acesso a TODOS os cursos da Alura

    Mais de 1500 cursos completamente atualizados, com novos lançamentos todas as semanas, emProgramação, Front-end, UX & Design, Data Science, Mobile, DevOps e Inovação & Gestão.

  • Alura Challenges

    Desafios temáticos para você turbinar seu portfólio. Você aprende na prática, com exercícios e projetos que simulam o dia a dia profissional.

  • Alura Cases

    Webséries exclusivas com discussões avançadas sobre arquitetura de sistemas com profissionais de grandes corporações e startups.

  • Certificado

    Emitimos certificados para atestar que você finalizou nossos cursos e formações.

  • Luri powered by ChatGPT

    Luri é nossa inteligência artificial que tira dúvidas, dá exemplos práticos e ajuda a mergulhar ainda mais durante as aulas. Você pode conversar com Luri até 100 mensagens por semana.

  • Alura Língua (incluindo curso Inglês para Devs)

    Estude a língua inglesa com um curso 100% focado em tecnologia e expanda seus horizontes profissionais.

Matricule-se
Conheça os Planos para Empresas

Acesso completo
durante 1 ano

Estude 24h/dia
onde e quando quiser

Novos cursos
todas as semanas