Você não é pago para programar!

Você não é pago para programar!
peas
peas

Compartilhe

Você, que desenvolve software e programa todos os dias em que vai ao trabalho, recebe o salário no final do mês por quê? Bem, o título estraga a surpresa, mas é isso mesmo. Você não é pago para programar.

O código fonte que você gera todos os dias é, na verdade, um subproduto do que é realmente o seu trabalho. Mas por que então você foi contratado? Generalizando:

O seu trabalho é resolver problemas de negócio da sua empresa.

Entregar resultados, através de tecnologia. Isso não significa necessariamente escrever linhas de código o tempo todo, nem exclui tal tarefa. O código é uma das formas de resolver os problemas da sua empresa, do seu usuário. Mas há outras formas que não envolvem commits, não envolvem um framework novo, nem uma linguagem de programação pouco conhecida.

Colocar um novo site no ar com wordpress, usar um SAAS que resolva 90% do seu problema, contratar um sistema de helpdesk em vez de escrever seu crm e até mesmo usar o bom e velho excel/spreadsheets são muitas vezes ideias mais rápidas, baratas e que vão criar menos código legado e manutenção. O seu MVP pode envolver bem menos programação do que você imagina.

Repare que isso já está no nosso inconsciente: detestamos quando nos medem a produtividade através de métricas como linhas de código e número de commits.

Linhas de código são um compromisso a longo prazo. Você vai ficar com elas no seu repositório por muito, muito tempo, e precisa garantir que elas funcionem enquanto estão em produção. Isso não quer dizer que você não precisa ter um conhecimento profundo de programação. Pelo contrário. Para poder julgar melhor quando usar e quando não usar determinada ferramenta e linguagem, apenas uma grande experiência vai poder te ajudar a decidir e a encontrar alternativas.

Certamente não sou o primeiro a fazer essas observações. Krzysztof Zabłocki diz em um artigo incrível sobre soft skills:

As pessoas te contratam porque elas precisam resolver problemas específicos do business delas, seja numa app ou outra coisa, não para escrever código somente pelo código. Entregar resultados importa.

E também há o artigo de quem eu copiei o título descaradamente:

Nós não somos pagos para escrever código, nós somos pagos para adicionar valor (ou reduzir custos) do negócio.

A sua tarefa de hoje então é essa: você é pago para fazer o quê? Qual é o valor que você pode entregar para a sua empresa, para a sua comunidade open source, para suas amigas e amigos programadores? Sim, pode ser que haja bastante código envolvido, mas também pode existir uma maneira mais fácil e simples de chegar a esses mesmos resultados.

Programe para resolver problemas e entregar resultados, não apenas por programar. Novamente: isso não impede de você almejar ser um exímio programador, continua necessário.