UX Design em T: o que um programador tem a ver com a UX?

Gabriela de Lima Silva
Gabriela de Lima Silva

Compartilhe

Mulher utilizando um tablet na rua

Tanto se fala sobre Experiência do Usuário hoje em dia, mas o que você, programador ou programadora, tem a ver com isso? Parece uma pergunta difícil, mas tenha certeza que é rápido e fácil de responder!

Em todas as profissões, não importa o que fazemos, vamos desenvolver produtos ou serviços que irão impactar a vida de alguém, ou seja, a de um usuário.

Diversas profissões, ou a grande maioria delas, podem se beneficiar dos conhecimentos da área de UX, inclusive a programação. Saber como utilizar códigos é muito importante na profissão, mas também é necessário conhecer como podemos moldar esse conhecimento de forma que o resultado seja um produto eficiente e chamativo. E só saberemos como moldar bem o que está por trás das telas se conhecermos quem estará sentado na frente delas! Isto é, se conhecermos quem é o público do projeto que estamos desenvolvendo.

Pense nas situações em que você não conseguiu ler nada numa tela por conta de um texto pequeno demais. Foi bem chato, não é mesmo? Provavelmente, quem estava desenvolvendo não pensou nas limitações que o público teria. Esse tipo de cuidado é algo que a área de acessibilidade se preocupa!

Acessibilidade é a área da UX que estuda como podemos tornar o nosso produto mais acessível para todos, considerando suas possíveis limitações. Um grande exemplo disso foi o jogo The Last of Us II, que ganhou na categoria de acessibilidade no The Games Awards. No jogo, há recursos de acessibilidade (modes), em que o(a) jogador(a) pode escolher.

Esta questão foi tão bem pensada que até fez Steven Saylor, um streamer com baixíssima visão e considerado cego, ir às lágrimas por encontrar um jogo que ele conseguisse, de fato, viver a experiência do início ao fim.

Um desenho de uma menina e um menino apoiados em um fone de ouvido e um controle de videogame

Considerando uma outra situação: quantas vezes você já clicou em um botão e aconteceu o contrário do que estava escrito? Parece algo simples e bobo, mas vou te contar uma história bem interessante: Já ouviu falar do “Botão de 300 milhões de dólares” da Amazon? É isso mesmo: 300 milhões de dólares!

O Engenheiro de Interface do Usuário, Jared Spool e sua equipe perceberam haver um problema na tela de cadastro, pois as pessoas não passavam dessa página para continuar a compra.

Os testes com o público mostraram que a interface estava simples e visualmente bonita, porém descobriram que o problema era diferente: a obrigatoriedade de cadastro era vista de forma negativa e muitas pessoas esqueciam de seus logins e senhas na hora de acessar a conta.

Então, trocaram o botão de “Cadastrar” para “Continuar” e se cadastrar se tornou opcional. Resultado: as compras aumentaram em 45%, ou seja, lucraram 300 milhões de dólares a mais só no primeiro ano de aplicação da solução. E tudo isso foi resultado de pesquisas com o usuário, estudo da interface do usuário e adaptação de pequenos textos para melhor compreensão do público (Microcopy).

Desenho de uma mulher escolhendo entre botões diferentes

Apesar de parecerem pequenos exemplos, perceba que já impactaram bastante no consumo do produto e no retorno que ele gera. Em todas as situações comentadas, se olharmos a fundo, o produto começou com um código e se tornou bem mais assertivo quando se adaptou ao seu público.

Assuntos como Usabilidade, Estratégia de Usuário, Prototipagem e organização de conteúdo (arquitetura da informação) são apenas alguns exemplos de tópicos em que a UX é especializada.

A área da UX Design é gigantesca e cheia de conhecimentos que podem ajudar no dia a dia de qualquer profissional, seja da área da tecnologia ou não!

Saiba que um dos benefícios de se conhecer um pouco sobre cada área que está ligada a sua profissão é conseguir resolver problemas mais complexos, além dos que estão relacionados a sua especialidade principal.

Hoje em dia, essa habilidade é muito valorizada no mercado de trabalho, pois situações cada vez mais difíceis acontecem e os conhecimentos em áreas diferentes ajudam a solucioná-los. Quer saber uma curiosidade legal?

Essa habilidade de facilidade de resolução de problemas mais complexos é um dos principais benefícios de ser um profissional em T!

Que tal algumas sugestões de conteúdos para iniciar os estudos? As formações na Alura sobre Acessibilidade na Web, UX Design e Figma são ótimas opções por onde começar! Além disso, no canal da Alura no Youtube, temos vídeos muito legais!

Uma sugestão de conteúdo é o nosso bate-papo com a Carla de Bona, em que ela explica de forma rápida o que é a UX e sua importância para o mundo da tecnologia!

Curtiu as dicas e quer saber mais sobre o mundo da UX? Confira algumas recomendações de cursos e Formações da Alura para você ingressar neste mercado:

Até mais!

Gabriela de Lima Silva
Gabriela de Lima Silva

Olá, eu sou a Gabi Lima! Sou estudante de Design Gráfico. Amo ter contato com pessoas e entender seus sonhos e receios. Também sempre amei estudar, tanto que comecei a dar aulas de inglês aos 17 anos! Hoje em dia sou estagiária em UX na Alura!

Veja outros artigos sobre UX & Design