PHP - Uma Introdução à Linguagem

PHP - Uma Introdução à Linguagem
Murillo Godoi Pedroso
Murillo Godoi Pedroso

Compartilhe

O que é PHP?

Quando me fizeram essa pergunta eu automaticamente pensei no site oficial do PHP. E ao analisarmos o site, encontramos uma descrição genérica dizendo que o PHP é uma linguagem de programação com diversos propósitos, especialmente desenvolvida para a Web. E por aqui encerramos nosso papo, até a próxima galera…!

Gif de uma menininha negra dando tchau com a mão direita, como se estivesse se despedindo para a câmera, dentro de um escorregador tobogã em tubo, na cor laranja e logo após escorregando com as mãos para cima.

Fonte: https://tenor.com/

Não pequeno gafanhoto, acalma seu coração…

Como percebemos, a descrição está muito genérica e não responde aos nossos questionamentos: afinal, o que é o PHP, para que ele serve e quando ele deve ser utilizado? Vem comigo que te explico!

O PHP (acrônimo recursivo para PHP: Hypertext Preprocessor ou, em tradução, Pré-Processador de Hipertexto) já foi muito chamado de linguagem de script, mas podemos entendê-lo como uma linguagem de programação interpretada. Isso significa que, quando alteramos o nosso código, não precisamos compilá-lo novamente para que ele seja legível por algum programa ou pela própria máquina, o que traz algumas vantagens e desvantagens - e, puxando a sardinha para o PHP, temos como vantagem principalmente a produtividade.

Muitos consideram o PHP uma linguagem para a Web, mas não é exatamente assim. O PHP funciona em outros ambientes, como: IOT (Internet of Things, ou "Internet das Coisas"), na linha de comando, pode criar aplicativos desktop, entre outras possibilidades. Apesar disso, o ambiente mais comum, e onde ele se comporta melhor, realmente é na Web - instalado em servidores Web e servindo páginas com conteúdo dinâmico.

Gif de uma menina caucasiana, de cabelos loiros, com a roupa vermelha e um microfone branco na mão direita ligado em uma máquina de karaokê, olhando para a câmera e ajeitando a franja que estava à frente do rosto

Fonte: https://tenor.com/

Como qualquer linguagem que aprendemos na faculdade ou nos livros, nós começamos a estudar o PHP executando comandos no terminal - ou seja, na linha de comando. Inclusive é possível criar scripts muito poderosos na linha de comando.

O PHP foi criado em 1994 e, desde então, teve uma grande evolução. A cada versão foram adicionadas novas funcionalidades responsáveis por tornar a linguagem ainda mais popular e poderosa. Atualmente, o PHP está na versão 8.1.4.

HISTÓRIA DO PHP

Por volta de 1994, o programador dinamarquês Rasmus Lerdorf, utilizava um conjunto de códigos binários Common Gateway Interface (CGI), escritos em linguagem C. Esse conjunto tinha o objetivo de fazer a ligação lógica entre dois sistemas ou servidores pela internet.

Dessa forma, esse conjunto de códigos, que nada mais eram do que um aglomerado de scripts, foi inicialmente nomeado como PHP/Fi. Esta seria uma versão prematura do PHP. Com ele, Rasmus era capaz de monitorar o tráfego de acessos ao seu site particular.

Foto do Rasmus Lerdorf, criador do PHP. Homem de meia idade, caucasiano, de olhos claros e usando óculos de grau, sorrindo, com barba e cabelos curtos grisalho

Foto: Rasmus Lerdorf

Com o passar do tempo, Rasmus foi desenvolvendo novos scripts para incluir no seu site. Ou seja, esse pacote de Scripts, foi ganhando mais recursos e implementações. Rasmus Lerdorf renomeou seu produto para Personal Home Page Tools, ou PHP Tools. Portanto, o PHP passou a ser um conjunto de ferramentas úteis para integração entre sistemas e desenvolvimento de aplicações web sem muitas dificuldades.

Em 1995, Rasmus então liberou o código fonte do PHP Tools para o público geral. Dessa forma, abriu-se as portas para que ideias de outros desenvolvedores pudessem mexer e otimizar a estrutura do código-fonte livremente. Foi assim que a linguagem foi se aperfeiçoando.

Dessa forma, o PHP Tools foi ganhando cada vez mais popularidade. A linguagem de programação ficou mundialmente conhecida como Personal Home Page (PHP) ainda em 1995. Mais tarde, em 1997, recebeu uma atualização em seu nome, passando a ser PHP Hypertext Preprocessor.

Foi assim que o PHP Tools foi ganhando cada vez mais popularidade. A linguagem de programação ficou, então, mundialmente conhecida apenas como Personal Home Page (PHP) ainda em 1995. Algo que foi novamente atualizado em 1997, portanto passou a ser um acrônimo recursivo para PHP Hypertext Preprocessor.

CARACTERÍSTICAS DO PHP

A linguagem PHP é muito utilizada pelos sites ao redor do mundo. De acordo com estatísticas apresentadas pelo W3Techs, o PHP é utilizado por quase 80% dos sites da internet. A razão de toda essa popularidade não poderia ser outra: as características da linguagem. Configura algumas das principais:

1. Fácil aprendizagem:

Uma das principais características do PHP é que ela é de fácil aprendizagem, a sintaxe utilizada no PHP é simples e fácil de aprender, pois é similar a outras existentes no mercado. Através da própria documentação oficial você já é capaz de aprender muita coisa. Portanto, a linguagem é uma das mais acessíveis para aprender a usar.

2. Código Aberto:

A linguagem PHP possui código aberto, ou seja, é gratuita para qualquer usuário. Além disso, permite que desenvolvedores e programadores experientes tenham acesso e possam fazer alterações e atualizações periódicas no seu código fonte. Dessa forma, o PHP está sempre ganhando recursos e evoluindo constantemente.

3. Possui alto desempenho:

O PHP é uma linguagem de alto desempenho, capaz de suportar grandes quantidades de dados. Ela consegue executar muitas funções e consumir muitos dados com a utilização de poucos recursos do servidor, assim não compromete o desempenho e a velocidade do servidor que está executando a aplicação.

4. Compatibilidade com Banco de dados:

Além de possuir um bom desempenho, é importante que as linguagens também tenham um bom nível de compatibilidade com bancos de dados, já que eles são parte fundamental da estrutura de sites.

A linguagem PHP é compatível com os principais bancos de dados, como MySQL, SQLite, Firebird, Interbase e Oracle.

5. É multiplataforma:

Isso significa que nós podemos utilizar e rodar a linguagem PHP numa variedade de sistemas operacionais. Windows, Linux (e suas distribuições) e MacOS são alguns deles.

6. É a linguagem de programação do WordPress:

O WordPress é o CMS(Content Management System ou, em tradução, Sistema de Gerenciamento de Conteúdo) mais procurado e utilizado no mundo. Ele é baseado na linguagem PHP e toda sua programação é feita com ele. Portanto, para ser um desenvolvedor WordPress, é obrigatório ter conhecimento sobre a linguagem PHP, o que aumenta cada vez mais a comunidade do PHP, acarretando diversos benefícios para a evolução do mercado e do PHP.

7. Possui uma grande quantidade de framework e bibliotecas

Frameworks e bibliotecas facilitam muito a vida de um desenvolvedor, possibilitando realizar tarefas em menos tempo e com bem menos linhas de código. O PHP possui muitos frameworks e bibliotecas, o que não faltam são opções para utilizar. Como exemplos de Frameworks conhecidos temos o Laravel, o CodeIgniter, o Zend e o Symfony.

Quem usa PHP?

Várias empresas estabelecidas e gigantes da tecnologia utilizam PHP para executar seus servidores e disponibilizar seus serviços, alguns exemplos são:

  • Facebook: Facebook utiliza PHP para alimentar seu site. Por sua vez, a empresa contribuiu com a comunidade criando uma implementação conhecida como Hip Hop para PHP.
  • Wikipedia: uma das maiores fontes de informação colaborativa do mundo sobre qualquer assunto, a Wikipedia é construída em PHP.
  • Sistemas de gerenciamento de conteúdo (CMS): o sistema de gerenciamento de conteúdo mais popular do mundo, o WordPress, é construído em PHP. Outros sistemas de gerenciamento de conteúdo, como Drupal, Joomla e Magento, também são construídos em PHP. Shopify também roda em PHP.

O que dá pra fazer com PHP?

O PHP pode ser utilizado para desenvolver diversas coisas incríveis, confira algumas delas:

1. Desenvolvimento de sites dinâmicos

Sites dinâmicos são aqueles em que os elementos mostrados neles não ficam estáticos. Ou seja, suas páginas são gerenciadas por uma aplicação hospedada no servidor, um sistema do lado do servidor (Back End). Através do PHP, podemos determinar como uma página será mostrada quando for carregada, podendo manipular o conteúdo que será exibido.

2. Desenvolvimento de aplicações para a web

O PHP permite criar aplicações de todos os tipos para a web. Podemos criar um fórum de dúvidas ou ainda criar uma plataforma de cursos, como utilizamos aqui na Alura. Podemos também incluir formulários de contato em nossas páginas e receber dados através deles. Tudo isso é possível utilizando o PHP.

3. Criação de plugins e temas para WordPress

Essa é uma das grandes utilidades do PHP nos dias de hoje. O PHP pode desenvolver plugins e temas e, inclusive, pode vender essas criações através da plataforma. No WordPress, o CMS (Sistema de Gerenciamento de Conteúdo) mais utilizado no mundo, a procura por plugins e temas é alta, e por este motivo muitos desenvolvedores ou pessoas que estão iniciando na programação optam por aprender PHP.

4. Criação de scripts de linha de comando

Com PHP é possível executar scripts diretamente do terminal, utilizando a linha de comando. Dessa forma, não é necessário alugar um servidor ou utilizar o navegador para executá-lo.

Esse tipo de uso é ideal para scripts executados usando o cron (Unix, Linux) ou o Agendador de Tarefas (no Windows). Esses scripts podem ser usados também para rotinas de processamento de texto simples.

Gif de uma mulher com expressão pensativa e vários cálculos matemáticos surgindo em direção ao olhar dela, fazendo uma alusão à quantidade de coisas incríveis que são possíveis de se fazer com PHP.

Fonte: https://tenor.com/

Apesar das ótimas características, das grandes empresas que utilizam e das incríveis e vastas coisas que são possíveis de se fazer com essa linguagem, existe uma pergunta famosa que vem sempre à tona, “O PHP está morrendo?”, veremos sobre isso a seguir.

É o fim do PHP?

Hoje em dia, há um intenso debate sobre o PHP estar morrendo ou não. Isso se deve à crescente popularidade de outras linguagens adequadas para o lado do servidor, como JavaScript (Node JS), Python, Golang e outras. Mas o PHP está realmente morrendo? A resposta é não!

Apesar de algumas pessoas criticarem e fazerem memes alegando que o PHP está morrendo, o PHP ainda é utilizado, como dito anteriormente, para executar os servidores de quase 80% de todos os sites da internet, isso quer dizer que a cada 10 sites que você visitou, existe uma chance de 8 deles estarem utilizando PHP.

Homem negro fazendo a expressão de pensar e utilizar a cabeça com o texto "php não pode morrer se 79% da internet o usar".

Em termos de vagas de trabalho, o PHP é melhor do que muitas outras linguagens de programação, o que reforça a tese de que o PHP não será descartado. Os dados nos mostram que o PHP é uma linguagem que ainda é muito utilizada, que está em constante atualização e evolução e que ainda vai viver muito. Portanto, fique tranquilo!

Conclusão

PHP é uma linguagem interpretada do tipo server-side com diversos propósitos. Porém, ela é principalmente utilizada para gerar conteúdos dinâmicos em um site.

Não é por acaso que o PHP é uma das mais utilizadas e populares linguagens de programação, isso se deve à sua natureza de código aberto e suas funcionalidades versáteis. Ela é simples o suficiente para novatos, o que a torna uma linguagem democrática que não restringe seu aprendizado apenas a profissionais da área de tecnologia. A natureza de código aberto incentiva e fortalece o crescimento de uma comunidade ativa, que colabora com o constante aperfeiçoamento da linguagem, o que acontece desde sua criação.

E aí, se interessou pelo PHP? Para mergulhar nessa linguagem, você pode acessar as seguintes formações:

Veja outros artigos sobre Programação