O recurso de method missing em Scala

O recurso de method missing em Scala
alberto.souza
alberto.souza

Compartilhe

Um dos argumentos de quem gosta de linguagens estaticamente tipadas é a ajuda fornecida pelo compilador no momento da escrita de código. Erros como invocação de métodos que não existem e assinatura errada são facilmente evitados. O mesmo não é encontrado nas linguagens mais dinâmicas, como Ruby, onde os testes de unidade podem trazer essa garantia. Entretanto, a dinamicidade dessas linguagens permite que escrevamos códigos que não são possiveis nas estaticamente tipadas, como Java.

Por exemplo, uma feature muito utilizada pelos códigos escritos em Ruby é o method missing. Talvez apareça até em excesso em alguns projetos,  sendo o caso mais conhecido o próprio Rails, principalmente para escrever DSLs.  Um desses usos é poder buscar por todas as propriedades das classes de modelo. Normalmente teríamos que criar métodos como buscaPorNome, buscaPorEmail ou combinações destes para atingir esse objetivo. Só que no framework ganhamos métodos prontos como Pessoa.findByNome ou Pessoa.findByEmail. O ponto é que esses métodos não existem na classe, mas o Rails permite que a invocação seja realizada e, caso o método não exista, será invocado o method_missing(nomeDoMetodoInvocado,argumentosPassados) . Dessa forma conseguimos ganhar esses comportamentos já prontos.

Scala, a partir da versão 2.9, possui um recurso com o mesmo objetivo do method_missing. Para exemplificar vamos utilizar uma agenda de contatos. Queremos que nossa agenda seja capaz de buscar contatos através de algumas propriedades da nossa classe. Uma implementação inicial seria como a que segue:

 class AgendaPadrao { def findByNome(nome:String) = { // implementacao padrao }

def findByEmail(email:String) = { // implementacao padrao }

} 

Aqui caímos no problema mencionado acima, caso queiramos adicionar novas buscas precisamos adicionar novos métodos. Uma outra possibilidade seria recorrer ao paradigma funcional, para receber o critério de busca como parâmetro, já que o Scala também suporta essa abordagem. Porém, a ideia é tentar resolver da mesma forma que o Rails, queremos dar a possibilidade de alguém conseguir invocar na nossa agenda métodos como: findByNome, findByEmail ou qualquer outra. O primeiro passo a fazer é herdar de uma trait chamada Dynamic. É uma trait apenas de marcação, assim como Serializable no Java. Em seguida implementamos um método applyDynamic. O código é o que segue:

 class Agenda extends Dynamic { def applyDynamic(fakeMethodName: String)(args: Any\*) = { "metodo %s com parametros %s".format(fakeMethodName,args) } } 

Agora já podemos chamar qualquer método na nossa classe, existindo ou não. Vamos realizar a implementação usando o padrão findByPropriedade. Vamos usar um pouco de expressões regulares para conseguir identificar a propriedade que está sendo usada para realizar a busca. Também precisaremos de reflection para invocar o método que retorna o valor da propriedade na nossa classe:

 class Agenda extends Dynamic { def applyDynamic(fakeMethodName: String)(args: Any\*) = { val FindBy = """(findBy)(\\w+)""".r val found = fakeMethodName match { case Like(\_, property) => { val realMethodName = lowerFirstLetter(property) contatos.filter(c => invokeMethod```String
(c,realMethodNAme).(c,realMethodName).startsWith(args(0).toString)) } } found } }

Ainda podemos evoluir nossa implementação de method missing para suportar mais buscas. O exemplo completo do código pode ser encontrado aqui. Usamos uma implementação baseada em listas, mas a mesma poderia ser levada para dentro de um DAO permitindo buscas diretamente no banco de dados. Importante notar que precisamos tratar o caso que nenhum padrão for encontrado, para dar feedback para quem fez a invocação informando que aquele método não existe. Nesse caso lançamos uma exception. Um outro ponto a ser observado é a perda da checagem em tempo de compilação, agora só descobrimos que um método não existe quando rodamos o programa, explicitando mais ainda a importância dos testes de unidade.

E vocês, o que acham dessa feature? O que acham dessa aproximação do estaticamente tipado ao dinâmico?

Veja outros artigos sobre Inovação & Gestão