Utilizando features do Java 8 no Android

Utilizando features do Java 8 no Android
Alex Felipe Victor Vieira
Alex Felipe Victor Vieira

Compartilhe

Se você é um desenvolvedor Android experiente, não é novidade que o SDK do Android não opera com as versões mais recentes do Java, em específico, atualmente temos 100% de compatibilidade com a versão 7 do Java.

Isso significa que as features legais que temos no Java 8 ou mais, por padrão, não estão disponíveis!

Como uma alternativa, a própria comunidade desenvolveu libs capazes de trazer um pouco da experiência do Java 8 no Android, como é o caso do Retrolamba que permite o uso de expressão lambda para interfaces funcionais (Single Abstraction Method).

Jack toolchain e o desugar

Com base no interesse da comunidade, a própria equipe da Google disponibilizou o Jack (Java Android Compiler Kit), também conhecida como Jack toolchain, como uma alternativa experimental, para possibilitar algumas features do Java 8 'nativamente'.

Mesmo tendo uma proposta boa, a configuração via Jack toolchain não era das melhores, como também, haviam outros impactos que o depreciaram :(

Então, a partir da versão 3.0 do Android Studio, a Google otimizou essa solução adicionando uma etapa a mais na transformação de bytecode chamada desugar:

O desugar opera logo depois do código ser compilado pelo próprio compilador do Java, possibilitando o uso das features do Java 8 mesmo tendo a limitação de versão.

Habilitando o Java 8 de maneira

Para habilitar as features do Java 8 com o desugar, precisamos apenas adicionar o seguinte script no arquivo de build do módulo:


android { // demais configs

compileOptions { sourceCompatibility JavaVersion.VERSION_1_8 targetCompatibility JavaVersion.VERSION_1_8 } }

Pronto, somos capazes de usar as features do Java 8 disponibilizadas.

"Legal, mas em quais situações posso usufruir das features do Java 8?"

A mais comum está relacionada às interfaces funcionais, como é o caso de listeners, por exemplo, um listener de clique com expressão lambda fica da seguinte maneira:


botao.setOnClickListener(v -> {
// implementação do clique
});

Comparando com a maneira 'tradicional':


botao.setOnClickListener(new View.OnClickListener() {
    @Override
    public void onClick(View v) {
    // implementação do clique
    }
});

Bem mais simple, né?

Limitações com o uso do Java 8

Entretanto, nem todas as features estão acessíveis para qualquer versão de SDK do Android, mas não fique triste, abaixo estão as features disponíveis em quaisquer versões:

Da mesma forma, existem outras APIs, como é caso da classe Stream, que só são suportadas quando utilizamos a versão 24 como SDK mínimo. Outro caso são as classes do pacote java.time que exige a API 26.

De qualquer forma, é possível verificar os pacotes acessíveis diretamente pela documentação do Android. Agora vem a questão:

Vale a pena habilitar o uso do Java 8 no ambiente Android?

Caso o seu objetivo são features são suportadas por todas versões de SDK do seu projeto, faz muito sentido usufruir do Java 8.

Agora, se tiver que modificar o suporte mínimo, não é recomendável a mudança, afinal, você vai deixar de atender mais usuários por algo que não trás tanto valor para o produto final.

"Puts, eu queria muito ter acesso à API do Stream ou LocalDate, mas não posso aumentar o suporte mínimo do SDK, e agora?"

Existem algumas libs que podem ser adicionadas, como é o caso da Lightweight-Stream-API e a joda-time. É importante ressaltar que elas possuem uma interface similar às do Java, mas a implementação pode ter diferenças, como a ausência de processamento paralelo.

Abrindo portas para o Kotlin

Muito provavelmente, você já ouviu falar sobre a linguagem Kotlin para desenvolver Apps Android.

A partir dela, temos suporte a expressão lambda, métodos padrões de interfaces entre outras features que não existem na própria linguagem Java, como é o caso de extensão de função, funções de alta ordem entre outras que vemos formação desenvolvimento mobile.

Alex Felipe Victor Vieira
Alex Felipe Victor Vieira

Alex é instrutor e desenvolvedor e possui experiência em Java, Kotlin, Android. Criador de mais de 40 cursos, como Kotlin, Flutter, Android, persistência de dados, comunicação com Web API, personalização de telas, testes automatizados, arquitetura de Apps e Firebase. É expert em Programação Orientada a Objetos, visando sempre compartilhar as boas práticas e tendências do mercado de desenvolvimento de software. Atuou 2 anos como editor de conteúdo no blog da Alura e hoje ainda escreve artigos técnicos.

Veja outros artigos sobre Mobile