Primeiras aulas do curso Soluções de pagamento e-commerce: melhore a conversão e o fluxo de caixa

Soluções de pagamento e-commerce: melhore a conversão e o fluxo de caixa

Entendendo conceitos e modelos - Introdução

Bem-vindo, meu nome é Edson Cruz e vou conduzir com vocês o curso de soluções de pagamento para lojas virtuais, ok?

O fato é o seguinte: num dos primeiros cursos de e-commerce, a gente ajudou um dos nossos clientes, que é o Flávio, a montar uma loja virtual, a loja geek do Flávio.

Na época a gente escolheu o PagSeguro como o sistema que ia gerenciar toda a cadeia de pagamento deles, tanto a cobrança do cliente, no momento do fechamento de compra, como a gestão do dinheiro depois, planos de pagamento, as taxas, etc.

O fato é que, com o decorrer do tempo, o PagSeguro se mostrou uma solução que o Flávio não tem gostado. E por que ele não tem gostado? Porque ele considera as taxas muito altas, o Flávio tem observado que o antifraude do PagSeguro tem bloqueado pedidos demais, até de pessoas que o Flávio considera idôneas, e o prazo para receber dinheiro das vendas está muito alto.

Então, para isso, o Flávio nos procurou, e a gente vai aqui, no decorrer desse curso, mostrar as alternativas ao PagSeguro. A gente vai ver como é o funcionamento de soluções de pagamento, quais são os modelos possíveis de pagamento, como é que você faz a contratação, quem são os agentes desses modelos.

Você tem o PagSeguro, mas você tem uma série de outros agentes, que vão criar modelos diferentes de contratação.

Então, o que a gente vai mostrar são as alternativas e o funcionamento dessas alternativas, para que depois o Flávio e você possam escolher qual é a que melhor se adequa a seu negócio.

A gente vai mostrar os critérios e fatores para essa escolha, o que você deve avaliar quando você estiver escolhendo um modelo de pagamento, o que você deve avaliar quando estiver escolhendo um parceiro para seu sistema de pagamento.

E por fim, a gente vai entrar num ponto bastante sensível, que é o antifraude, como é que é o funcionamento dos antifraudes disponíveis no mercado nacional: como é que eles funcionam, se vale a penar ter ou não, como é que você gerencia se não tiver.

Então, é isso. A ideia é criar e mostrar alternativas ao sistema de pagamento do Flávio. Bom curso, nos vemos no próximo vídeo.

Entendendo conceitos e modelos - Conceitos iniciais

Olá, bem-vindo. Como a gente fez lá o primeiro curso de abrir loja virtual e escolha da plataforma, a gente ajudou o Flávio a montar a loja dele - a loja geek do Flávio, que vende objetos colecionáveis - e uma das etapas da montagem da loja virtual era escolher um sistema de pagamento que gerenciasse as formas de pagamento da loja dele.

E o que a gente escolheu, na época, era o PagSeguro. Isso tem funcionado, mas o Flávio procurou a gente para rever esse sistema de pagamento. Então, o que a gente vai fazer aqui é rever o sistema de pagamento que está sendo usado na loja do Flávio.

Ele tem encontrado alguns problemas, e por isso ele procurou a gente. Com o PagSeguro, ele considera que está pagando taxas muito altas, muitos pedidos parados no antifraude, ocasionando perda de venda - então, ele quer entender um pouquinho melhor essa questão do antifraude, como melhorar - e ele considera que está demorando muito para receber o dinheiro da venda.

Então, a gente vai revisar todo o sistema de pagamento, para ver como é que a gente pode ajudar o Flávio a melhorar o sistema de pagamento dele, da loja, e revisar todos esses pontos que ele tem encontrado dificuldade.

Mas, antes, eu queria que vocês pensassem numa loja física. Vamos sair do mundo virtual, para a gente começar a conceituar a história, e vamos para uma loja física e você, cliente: como é que funciona você, como cliente, indo numa loja física.

Vamos imaginar que você vai comprar uma camiseta. Então, você foi lá na loja, escolheu a camiseta, experimentou, gostou da camiseta, aí você vai até o caixa e o caixa fala para você: "você quer pagar com crédito ou débito?", e saca a maquininha lá para você passar o seu cartão, seja ele de crédito ou débito.

Muito bem, aí a gente vai lá, pega aquela maquininha, passa o cartão, põe o cartão, digita a senha, fica aquela mensagem de processando, dá ali alguns segundos, e aparece a mensagem de transação aprovada.

E para nós, consumidores, isso é uma transação muito simples, uma coisa muito simples: você passa lá seu cartão, põe seu cartão, digita a sua senha, pronto, simples, pega sua compra e vai embora. É uma operação muito simples do ponto de vista do consumidor.

Mas, do ponto de vista do lojista, não é bem assim. Então, a gente precisa entender um pouco desse fluxo; e para entender esse fluxo, eu vou começar pedindo que você lembre, no seu cartão de crédito e débito, quais são as informações que tem lá - duas informações, especificamente.

Então, no seu cartão, a gente tem basicamente o banco - que é o Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, etc., os bancos que estão fazendo isso - quer dizer, são as instituições financeiras.

Naturalmente, hoje, tem alguns varejistas que estão emitindo cartão, então tem cartão da Submarino, da C&A, da Renner, dos varejistas como um todo. Mas, sempre, por trás de um varejista, tem um banco, então a gente vai se referir sempre, aqui, como banco.

E aqui tem a bandeira - neste caso aqui, é a MasterCard, a Visa. Então, basicamente, quando a gente olha no seu cartão de crédito, a gente já consegue identificar duas figuras: o banco e a bandeira.

O banco é o que vai fazer o relacionamento com o consumidor, com o cliente que está pagando para você, ou você, que tem o cartão de crédito, porque é o banco que emite o cartão de crédito para você, pessoa física, é o banco que emite para o cliente o cartão. Então, quando você quer um cartão, você liga para o seu banco. E você paga o banco, o cliente cobra de você.

Então, o banco é o emissor do cartão, que emite o cartão, e que faz todo o gerenciamento financeiro com o cliente, com o consumidor. Então, o banco é o emissor, e que faz o relacionamento financeiro com o consumidor, com o cliente.

Agora, a bandeira - Visa, MasterCard - são as instituições globais - geralmente globais, você tem algumas figuras como Elo, HiperCard, que tem ação mais nacional. São as bandeiras que credenciam os estabelecimentos para fazer os pagamentos.

Então, quando você vai num restaurante ou numa loja, você se atenta se a loja aceita Visa ou MasterCard; quando você faz uma viagem, você vai olhar lá no estabelecimento para ver se ele aceita Visa ou MasterCard.

Então, as bandeiras são as instituições que fazem os credenciamentos e que ligam todos os agentes do sistema de pagamento: o banco e as outras figuras, o lojista, etc.

Mas você deve lembrar - se não lembra, repare nas próximas vezes que você for fazer uma compra - que a maquininha nunca é da Visa, e também não é do Itaú, não é do Bradesco. A maquininha tem um outro nome lá, a maquininha tem um nome como Cielo, como Rede, como Getnet, como Stone.

Aquela maquininha é que faz a coleta das informações do cartão, do valor, do parcelamento, se é crédito ou débito, e é ela que dá o primeiro passo no sistema de cobrança da venda.

Essa maquininha e essas instituições que estão por trás - a Getnet, a Stone, Cielo, Rede - são de um agente que se chama, conceitualmente, de adquirente. O adquirente é o que faz, efetivamente, a cobrança junto ao lojista, é o que tem relacionamento com o lojista; é ela que faz a intermediação com o lojista.

Então, só para a gente fechar o conceito, a gente tem aqui: o banco é o emissor de cartão e que controla as transações - ver se tem saldo, se não tem, se o cliente pagou as faturas, se não pagou as faturas, e por aí vai. O banco é o relacionamento com o consumidor.

A bandeira são as marcas que ligam todos os agentes - a Visa, a MasterCard, e por aí vai.

E o adquirente, que credencia estabelecimentos e gerencia os pagamentos para os estabelecimentos comerciais.

Muito bem. Mas, vocês repararam que, para o consumidor, na hora que você está pagando, a operação é muito simples - você vai lá, passa o cartão, põe a senha, está resolvido. Mas, por trás, tem uma série de instituições, de agentes, de coisas acontecendo. Aqueles segundos que levam para uma transação ser aprovada, tem todo um fluxo por trás.

Como é que é esse fluxo, para você, lojista, entender como é que funciona e para a gente começar a conceituar o sistema de pagamento e os agentes por trás? Vamos lá, como é que funciona esse fluxo?

Você, lojista, põe as informações na maquininha, passa ali na maquininha do adquirente, as informações.

O adquirente, por sua vez, pega essas informações e manda para a bandeira. A bandeira vê se você está credenciado, se o estabelecimento está ok, faz uma pré-checagem.

A bandeira, por sua vez, manda lá para o banco emissor, que vai checar se você tem saldo para aquela compra, se você pagou as faturas, etc.

Então, de uma forma geral, quando você passa as informações da compra, essas informações rodam - em questão de segundos, obviamente - por todas essas figuras. Tudo pela internet, pela rede de dados. Então, ele vai checando adquirente, a bandeira, até o banco emissor.

Por sua vez, na volta, o banco emissor diz: "ok, esse cliente tem saldo para pagar essa conta". Devolve para a bandeira, que devolve lá para o adquirente, que devolve para o lojista, e você, lá, na frente da maquininha, vê a informação de transação aprovada.

Então, o fluxo é esse. Em questão de segundos, a informação rodou por todos esses personagens, por todos esses agentes do sistema de pagamento. Então, uma coisa que é simples para quem tá pagando ali na hora, tem todo um sistema por trás, que é o sistema de pagamento.

E é importante a gente entender isso, para tentar resolver, para tentar ajudar o Flávio, na questão de revisão do PagSeguro na loja dele.

Agora, só para fechar aqui uma questão, a questão do relacionamento financeiro. Quer dizer, para nós, lojistas, aqui, o que interessa é o relacionamento com o adquirente, com a Getnet, com a Cielo, com a Rede, e por aí vai. É ela que vai fazer o pagamento para a gente, então a gente precisa estudar esta figura, a gente vai se ater muito aqui.

Quer dizer, o consumidor se relaciona com o banco emissor; a bandeira vai se relacionar com o adquirente e com o banco emissor, etc.

Então, para o nosso curso, para o nosso entendimento, a gente tem que se ater muito a esse processo aqui, então a gente vai caminhar muito aqui.

E é esse adquirente que vai fazer todo o nosso credenciamento de parcelamento, de juros, de pagamento das nossas vendas e outras coisas mais que a gente entra no decorrer do curso.

Então, é isso por este primeiro vídeo.

Entendendo conceitos e modelos - Gateway Pagamento

Bem, voltando. Então, a gente viu aqui que o relacionamento financeiro do lojista com o adquirente. Mas e no e-Commerce, como é que a coisa funciona? Como é que isso se traduz no ambiente virtual?

Vamos imaginar que você, quando faz uma venda num ambiente virtual, pega a maquininha, o cliente em Salvador, você pega o avião, vai até lá, passa o cartão do cliente na maquininha, pega o avião de volta e volta para São Paulo? Obviamente que não, isso é uma piada.

Não pode ser assim, é uma transação que tem que ser fluida, tem que acontecer ali no ambiente virtual. Mas, no mundo virtual, nas lojas virtuais, as adquirentes não têm a maquininha; então, as maquininhas são substituídas por um sistema, que vai fazer essa ligação entre o lojista, a loja virtual, e a adquirente.

Então, no lugar da maquininha física, tem um sisteminha que faz essa ligação, tem uma instituição, um agente, uma empresa que faz a ligação entre o lojista e o adquirente. A gente chama isso de gateway de pagamento.

Gateway de pagamento tem vários, tem Pagar.me, MundiPagg, Adyen, Moip, tem uma série de gateways de pagamentos que vão fazer esse papel de ligação entre o lojista e o adquirente.

Então, isso acrescenta um novo agente no nosso sistema de pagamento. A gente tinha o banco, a bandeira, o adquirente; então, a gente está incluindo aqui mais um, que é o gateway de pagamento.

Isso altera um pouco o nosso fluxo de venda, que a gente viu ali atrás, para a seguinte configuração: lá trás, a gente tinha o lojista conversando diretamente com o adquirente, através da maquininha; no ambiente virtual, você tem o gateway no meio do caminho.

Então, você tem o lojista ali, com a sua loja virtual - você, com a sua loja virtual, o Flávio, com a loja virtual dele - ele passa as informações por um gateway, e esse gateway vai consultar a adquirente.

Neste processo, você vai ter que ter dois contratos, duas ligações. Você vai ter que não só contactar, contratar e trabalhar com a adquirente, mas também vai ter que conversar com o gateway. Então, neste momento, para fazer um sistema de pagamento numa loja virtual, você vai ter que contratar um gateway e um adquirente.

Então, você já tem duas figuras para que você olhe, para que a gente analise, para poder reformular o sistema de pagamento da loja do Flávio, ou para você implementar ou reformular, dentro da sua loja. Então, a loja vai ter contato com o gateway e com o adquirente.

Então, quer dizer - reformulando aqui, repensando o que a gente discutiu até o momento - para o Flávio revisar o sistema de pagamento que ele tem hoje, com o PagSeguro, ele vai ter que contratar um gateway e um adquirente? É uma das possibilidades.

Existe uma outra possibilidade, que é contratar um intermediador. Que porcaria é esse negócio de intermediador? O intermediador é o que vai fazer a função desses dois, do gateway e do adquirente; ele reúne as duas funções, como gateway e como adquirente.

O PagSeguro, por exemplo, é um intermediador, o que também pode ser chamado de subadquirente, porque ele faz o papel do gateway, que faz a ligação entre a loja e o adquirente, e ele também faz o papel de adquirente, de credenciar estabelecimentos.

O PagSeguro, com a sua moderninha, é o caso mais conhecido que a gente tem visto crescer com mais força, mas tem uma série de outros, tem PayPal, tem MercadoPago, tem uma série de outras instituições atuando como intermediadores.

Então, existem as duas opções: tanto de você fazer contrato com gateway e com adquirente, ou de você fazer por um intermediador.

Então, esse intermediador, como eu falei, reúne as duas funções. Esses intermediadores - e, aqui, é mais uma questão de curiosidade - têm muito funcionado como uma carteira virtual, então você pode deixar um saldo lá na sua conta do PayPal, por exemplo, e quando você faz as compras, ele abate do saldo que você tem lá.

Então, o intermediador, hoje, tem uma série de funções: pode funcionar como gateway, pode funcionar como adquirente - nesse caso, o intermediador pode ser chamado de subadquirente - e que, para o consumidor, também pode ser uma carteira virtual.

No fim, a gente tem duas opções: ou a gente faz os contratos com gateway e com adquirente, ou você faz um contrato com um intermediador.

A gente, no decorrer do curso, vai explicar um pouquinho como é que a gente decide por um ou por outro.

Então, nesse vídeo, era isso que eu queria explicar para vocês.

Sobre o curso Soluções de pagamento e-commerce: melhore a conversão e o fluxo de caixa

O curso Soluções de pagamento e-commerce: melhore a conversão e o fluxo de caixa possui 139 minutos de vídeos, em um total de 31 atividades. Gostou? Conheça nossos outros cursos de E-commerce em Inovação & Gestão, ou leia nossos artigos de Inovação & Gestão.

Matricule-se e comece a estudar com a gente hoje! Conheça outros tópicos abordados durante o curso:

Aprenda E-commerce acessando integralmente esse e outros cursos, comece hoje!

Plus

  • Acesso a TODOS os cursos da plataforma

    Mais de 1200 cursos completamente atualizados, com novos lançamentos todas as semanas, em Programação, Front-end, UX & Design, Data Science, Mobile, DevOps e Inovação & Gestão.

  • Alura Challenges

    Desafios temáticos para você turbinar seu portfólio. Você aprende na prática, com exercícios e projetos que simulam o dia a dia profissional.

  • Alura Cases

    Webséries exclusivas com discussões avançadas sobre arquitetura de sistemas com profissionais de grandes corporações e startups.

  • Certificado

    Emitimos certificados para atestar que você finalizou nossos cursos e formações.

  • Alura Língua (incluindo curso Inglês para Devs)

    Estude a língua inglesa com um curso 100% focado em tecnologia e expanda seus horizontes profissionais.

12X
R$85
à vista R$1.020
Matricule-se

Pro

  • Acesso a TODOS os cursos da plataforma

    Mais de 1200 cursos completamente atualizados, com novos lançamentos todas as semanas, em Programação, Front-end, UX & Design, Data Science, Mobile, DevOps e Inovação & Gestão.

  • Alura Challenges

    Desafios temáticos para você turbinar seu portfólio. Você aprende na prática, com exercícios e projetos que simulam o dia a dia profissional.

  • Alura Cases

    Webséries exclusivas com discussões avançadas sobre arquitetura de sistemas com profissionais de grandes corporações e startups.

  • Certificado

    Emitimos certificados para atestar que você finalizou nossos cursos e formações.

  • Alura Língua (incluindo curso Inglês para Devs)

    Estude a língua inglesa com um curso 100% focado em tecnologia e expanda seus horizontes profissionais.

12X
R$120
à vista R$1.440
Matricule-se
Conheça os Planos para Empresas

Acesso completo
durante 1 ano

Estude 24h/dia
onde e quando quiser

Novos cursos
todas as semanas