Mapa mental: aprenda a técnica e construa anotações criativas

Matheus Benjamin
Matheus Benjamin

Compartilhe

  

Um mapa mental é uma forma prática de deixar mais visuais todas as informações e os conceitos que estão sendo estudados. A técnica consegue ajudar o cérebro a entender melhor as relações entre as ideias, fazendo uma assimilação do conteúdo de um jeito muito mais interessante; dessa forma, os estudos se tornam ainda mais proveitosos.

Com os mapas mentais, é possível estruturar de maneira rápida, simples e dinâmica tudo o que for preciso para uma revisão posterior. O melhor de tudo é que essa prática consegue gerar sempre novas ideias para auxiliar ainda mais o fluxo de pensamentos.

Um novo jeito de fazer anotações

  

Os nossos pensamentos não funcionam de maneira linear, não é mesmo? Repare em como você consegue pensar em várias coisas ao mesmo tempo, ainda que esteja seguindo uma lógica natural. O mapa mental é benéfico porque parte do princípio de que as anotações podem seguir esse fluxo de consciência, assemelhando-se ao funcionamento do cérebro.

De um simples conceito, você pode ir puxando outros e misturando cores, grifando ideias importantes e frisando o que é importante de um jeito muito dinâmico. A grande vantagem de um mapa mental é que ele pode ter o estilo de cada pessoa, adaptando-se ao seu pensamento.

Os mapas mentais evitam construções que sejam monótonas e muito lineares, o que estimula a criatividade e marca, de alguma forma, a maneira como se estuda. Embora possa ser usado frequentemente para aprender sobre novas coisas, pode ajudar a resolver questões muito simples do cotidiano e desenvolver novas ideias.

Como criar um mapa mental?

Esse é o momento para usar e abusar da criatividade. Acredite: ela está dentro de nós e só precisa ser estimulada. Você pode combinar exercícios de criatividade durante o processo para se aperfeiçoar, mas, a partir da construção de um mapa mental do seu próprio jeito, as coisas podem fluir bastante.

Pegue uma folha em branco e comece a escrever ou desenhar alguma ideia ou conceito que deseja aprender ou desenvolver. É interessante, nesse processo, utilizar a folha na horizontal, para ter mais possibilidades de criação.

  

Como o pensamento, comece puxando setas do conceito inicial e vá adicionando tudo o que vier à mente sobre ele. Dentro desses tópicos, é muito relevante ir adicionando subtópicos, como datas, curiosidades sobre o assunto, filmes e outras coisas que podem ajudar a memorizar o que está sendo estudado ou planejado. Desenhos e figuras são muito interessantes nessa etapa.

Não se esqueça de variar o uso das cores, para que tudo chame atenção e tenha um impacto visual significativo. É bom experimentar ao máximo durante a construção do mapa.

Caso queira se aprofundar no assunto, a Alura tem um curso online que pode auxiliar a aprimorar o processo criativo, o que pode ser muito importante para ajudar na criação de um mapa mental. Bons estudos.

Veja outros artigos sobre Inovação & Gestão