Google Sheets ou Microsoft Excel: qual ferramenta escolher?

David  Neves
David Neves

Compartilhe

vários sinais de dúvida espalhados na cor preta e três na cor laranja

Quando desejamos armazenar uma quantidade de dados e até mesmo fazer uma aplicação financeira, recorremos ao uso de planilhas por conta da facilidade de manipulação dos valores. Atualmente, temos o Microsoft Excel que domina o mercado e o Google Sheets, que está conquistando seu espaço a cada dia que passa. Esses softwares têm a aparência muito similar e nos faz perguntar se existe uma diferença entre eles e qual deles se encaixa melhor em nosso projeto. Para isso, vamos analisar suas características:

Investimento

Para darmos o passo inicial nessas ferramentas, é importante saber que o Microsoft Excel necessita de uma licença do Microsoft Office e o Google Sheets é gratuito.

Capacidade de armazenamento

Temos limitações diferentes nos dois softwares; o Google Sheets tem a capacidade de 5 milhões de células, enquanto o Excel possui 17 bilhões . Portanto, podemos partir da seguinte premissa: para dados maiores que 5 milhões de células, é melhor utilizarmos o Excel, e para um volume menor, talvez, o Google Sheets. Você pode pensar que 5 milhões de células representam um tamanho suficiente, mas quando tratamos de grandes empresas esse número pode não ser suficiente.

Colaboração e compartilhamento

Um dos principais pontos do Google Planilhas é que você pode compartilhar sua planilha, com ou sem restrições, e trabalhar de forma colaborativa, ou seja, você e outras pessoas podem fazer alterações de forma simultânea, também podendo deixar comentários na planilha, apontando pontos para que outros colegas revisem. Já no Excel, precisaríamos armazenar a planilha dentro do OneDrive para que possamos acessar de qualquer lugar, porém não é possível editar de forma simultânea.

Visualização gráfica

Por mais que ambos os softwares possuem recursos para gerarmos gráficos, o Excel sai na frente nesse quesito pois ele possui mais opções de gráficos do que o Sheets e mais opções de edição. Assim, conseguimos criar dashboards muito completos com o Excel.

Funcionalidade avançada

O Excel possui uma gama maior de recursos e funções existentes. Claro que você pode adicionar plugins no Google Planilhas para usos que exigem um pouco mais. Além disso, o Excel tem as famosas macros que nos ajudam a desenvolver rotinas com a finalidade de automatizar ainda mais o nosso trabalho através da linguagem VBA. Já o Google Sheets não fica para trás por conta do seu recurso de criar scripts que possibilitam conexões com API’s e até outros recursos do Google, também sendo utilizado para automatizar rotinas de trabalho. Por usar como linguagem o Javascript, o Google Script tem enorme potencial para trazer novas funcionalidades e recursos interessantes.

Conclusão

Afinal, então qual a melhor opção? Aqui chegamos ao nosso bom e velho “depende”! Para cada caso específico teremos vantagens em escolher um software. Por exemplo, se você for trabalhar em uma grande corporação o custo de se utilizar o Microsoft Excel pode ser irrelevante. Já se sua empresa utiliza todo o ecossistema do Google o Sheets pode ser uma opção mais interessante, pela maior integração com os outros programas e aplicativos do Google.

Atualmente existe o Excel versão online que é gratuito, porém não possui todos os recursos que o Excel na sua versão completa oferece.

Caso tenha interesse em se aprofundar no Microsoft Excel, a Formação Excel VBA da Alura foi feita pra você. Agora se o Google Sheets chamou mais a sua atenção, comece seus estudos através da [Formação de Data Analysis com Google Sheets da Alura]().

David  Neves
David Neves

David Neves é tech lead da escola de dados da Alura e especialista em BI com foco no PowerBI.

Veja outros artigos sobre Data Science