É o fim do Instagram?

Ana Mascarenhas
Ana Mascarenhas

Compartilhe

Uma mão segurando o celular na mão com o logo do instagram na tela dele
Mão esquerda de uma pessoa negra segurando um celular. Na tela dele aparece a página de login do Instagram

O mês de julho começou com uma novidade que assustou criadores de conteúdo, social medias e empresários que usam o Instagram para divulgar os seus produtos e serviços. O diretor da plataforma, Adam Mosseri, divulgou uma série de atualizações e o novo rumo que o Instagram deve seguir no futuro breve.

Mosseri trouxe, em um vídeo publicado em sua própria conta, que entre as mudanças da plataforma consta a priorização da entrega de conteúdos em vídeo, e segundo o próprio diretor, o Instagram não é mais apenas uma app de compartilhamento de fotos, e sim de entretenimento. Outras mudanças também começarão a ser testadas nos próximos meses, então você vai se deparar com algumas dessas novidades:

  • Tópicos com recomendações de vídeos para seguir novas contas;
  • Vídeos de contas que você ainda não segue poderão aparecer no seu feed;
  • Nova interface com apresentação de vídeos em tela cheia.

Você conhece algum aplicativo que tenha, mais ou menos, as mesmas configurações? Sim, é bem o que está pensando mesmo! O Instagram está correndo para aplicar na plataforma todas as possibilidades já disponíveis do seu grande rival, o TikTok.

E isso levantou a dúvida em muitos usuários… é o fim do Instagram? Ou a plataforma vai se tornar ainda maior e engolir a plataforma de danças virais com essas novas atualizações? Essas respostas infelizmente ainda não temos!

E para quem trabalha com o Instagram?

Se você trabalha com o Instagram é fato que já anda sofrendo com a entrega orgânica do seu conteúdo, ou seja, com o alcance que as suas publicações não patrocinadas recebem. A métrica mais aproximada é que apenas 10% a 30% dos seus seguidores recebem de fato as suas postagens no feed. Também já deve ter percebido que a entrega orgânica de vídeos no feed e de Reels (formato de vídeo curto) é bem maior que a de posts de fotos. Com essas mudanças anunciadas, a entrega de conteúdos estáticos será menor ainda.

A supervisora de conteúdo da VMLY&R (agência internacional de Branding e Customer Experience), Simone Bispo, indica aos criadores de conteúdo e marcas que ainda não produzem conteúdo em vídeo, agora é a hora. Segundo Bispo, o Instagram não vai abolir ou deixar de entregar as publicações com imagens, porém o caminho mais fácil para se destacar nas entregas orgânicas será por meio dos vídeos que contribuem com o entretenimento dos usuários.

Ou seja, as marcas e profissionais de social media vão precisar abusar da criatividade para produzir vídeos cativantes, principalmente pelo fato desse conteúdo atingir possíveis novos seguidores no novo tópico de recomendações.

E se eu não quiser trabalhar com vídeo?

Dentre todas as várias perguntas levantadas após o anúncio dessas mudanças, muitos criadores se sentiram sem resposta para essa: meu produto não se divulga por vídeo, e agora? Essa questão nem o Adam e nem a Simone responderam, mas eu posso dar algumas dicas:

  • Tenha um site! Apesar das redes sociais serem excelentes para divulgar o seu produto ou serviço, o site é a sua identidade na internet. E quando algum usuário pesquisar nos buscadores - como o Google - pelo seu serviço, é o seu site que deve aparecer.

  • Olhe ao redor! O seu público está apenas no Instagram? Tem certeza? Plataformas como o Pinterest e LinkedIn vem ganhando muito espaço entre as marcas e criadores que optam por divulgar seu serviço e, apesar de menos usuários dentro delas, a entrega orgânica funciona de maneira bem mais justa que no Instagram.

O formato de Story do Pinterest, por exemplo, chama-se Pins de História, e eles não desaparecem após 24 horas, dando a possibilidade de criar uma narrativa de storytelling muito cativante para o seguidor. Ah! Essa ferramenta está disponível apenas para a conta business da plataforma. Se quiser saber um pouco mais sobre como usar o Pinterest para negócios, temos um artigo em nossa plataforma chamado Media Content do Pinterest, vale a pena a sua leitura.

  • Estude marketing digital! Não basta ter uma conta criada em cada plataforma de rede social existente e começar a postar fotos do seu produto ou serviço sem um planejamento prévio. Para ter sucesso no marketing digital é preciso estratégia, e para uma boa estratégia, é preciso estudo. Nossa formação em Marketing Digital pode te ajudar a conhecer novas plataformas, novos conteúdos e novas formas de apresentar o seu produto a quem tem interesse nele.

    E aí, o que achou das mudanças do Instagram? Será que vamos ter uma nova rede para compartilhar fotos do nosso café da manhã ou isso é muito cringe?

Ana Mascarenhas
Ana Mascarenhas

Ana é Mestranda em Comunicação Corporativa e graduada em Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda. Tem 8 anos de experiência em agências de marketing digital, se especializando em criação publicitária, copywriter, tráfego pago para redes sociais, marketing de conteúdo e planejamento estratégico.

Veja outros artigos sobre Inovação & Gestão