Entendendo o usuário com proto-persona

Entendendo o usuário com proto-persona
natan.souza
natan.souza

Compartilhe

Muitas vezes, no andamento dos nossos projetos, ficamos muito focados em cumprir prazos e metas. Tão focados que acabamos esquecendo para quem estamos desenvolvendo o site ou aplicação: o usuário. Em primeira instância, pegar o perfil de usuário qualquer pode parecer a solução ideal, afinal, ele é um de muitos, e talvez represente boa parte desses 'muitos'. O problema é que ele pode não representar a maioria dos seus usuários.

E para compilar tanta informação perdida a respeito das necessidades, dos costumes e até da personalidade do nosso público-alvo, existe uma ferramenta que supre isso, as personas. Elas são basicamente um personagem fictício criado para representar os diferentes perfis de usuários que temos, para que nos ajude a guiar as decisões do projeto construindo um produto muito mais direcionado para nosso público. Mas não focarei nelas, hoje.

exemplo de persona

Proto-personas, ao resgate

O "chato" das personas são os custos. Para montar uma persona tradicional, as informações devem ser retiradas de pesquisas efetivas sobre os usuários da empresa e/ou do projeto. Mas como toda empresa conhece pelo menos um pouco dos seus usuários, possuem algum tipo de informação relevante sobre eles, mesmo que não validadas de alguma forma, há a possibilidade de se criar uma variante mais simples da persona, a proto-persona. Enxergue-a como uma solução de contorno para a persona comum, ou seja, é aconselhável que não seja algo definitivo e que suas informações sejam validadas com usuários reais posteriormente.

Contudo, é melhor uma proto persona na mão, do que duas personas voando.

Legal, e como fazer?

É interessante que a proto-persona possua as seguintes informações:

  • Quem é esse usuário e como ele é (personalidade)
  • Alguns comportamentos
  • Informações demográficas como idade e profissão
  • E o ponto chave: suas necessidades e/ou objetivos

Você pode montar o layout da sua proto-persona da maneira que achar mais bacana. Um template bastante usado é onde as informações são separadas em quatro quadrantes, como no exemplo abaixo:

Tanto as personas tradicionais quanto as proto-personas ajudam a nortear o time na maioria das decisões que envolvem o projeto. A proto-persona é interessante para começar a introduzir essa cultura de DCU (Design Centrado no Usuário) na sua empresa, por ser algo mais simples de ser desenvolvido. Explicamos ela na prática no Curso UX e Usabilidade aplicados em Mobile e Web aqui na Caelum.

Atualmente como vocês fazem na empresa de vocês? Há personas ou proto-personas criadas?

Veja outros artigos sobre UX & Design