Alura > Cursos de Front-end > Cursos de JavaScript > Conteúdos de JavaScript > Primeiras aulas do curso JavaScript: programando a Orientação a Objetos

JavaScript: programando a Orientação a Objetos

Repetição de código - Introdução

Boas vindas! Eu sou Ricardo Bugan e serei seu instrutor no curso JavaScript: introdução a Orientação a Objetos da Alura! Esse treinamento é uma sequência, portanto, para ter um bom aproveitamento, é interessante ter concluído o curso JavaScript: primeiros passos com a linguagem, no qual começamos a montar o ambiente no qual estamos trabalhando - incluindo, por exemplo, a instalação do Node, que estamos utilizando como interpretador para os nossos códigos.

O objetivo agora é criarmos um sistema de conta-corrente e cadastro de clientes para o contratante Bytebank, de modo que seja possível manipular o saldo desses usuários e realizar operações bancárias.

Trabalhando com Orientação a Objetos, conheceremos diversos novos conceitos, como a palavra new, a entidade Cliente (que nós mesmos criaremos), as chamadas de métodos depositar() e sacar(), que não são da linguagem (e inclusive estão em português) e assim por diante.

Um dos conceitos principais de Orientação a Objetos que será abordado nesse curso são as classes. No caso, teremos uma classe ContaCorrente contendo atributos estáticos, atributos privados e uma nova proposição para os atributos privados da linguagem, com cerquilha (#) precedendo o atributo, ao invés da convenção atual, que é o underline (_).

Trabalharemos também com os assessores get e set, como os construtores facilitam o nosso fluxo de criação de classes e objetos e como conseguimos nomear comportamentos e compartilhá-los, facilitando a leitura do código. Nisso utilizaremos toda a base de lógica do primeiro curso, usando tipos primitivos, condicionais e assim por diante.

Esperamos que você tire bastante proveito desses conteúdos. Bons estudos!

Repetição de código - Entendendo o problema do cliente

Abriremos o Visual Studio Code para começarmos nosso curso de orientação a objetos. Lembrando que esse treinamento é uma continuação, e que a instalação do Node.js, que utilizamos como interpretador dos nossos códigos, é ensinada no curso anterior.

Trabalharemos em um novo projeto, encomendado pelo banco Bytebank, no qual criaremos um sistema que permite o cadastro de clientes e contas-correntes, além das operações bancárias mais comuns. Em uma nova pasta, criaremos o arquivo index.js, que servirá de entrada para nosso sistema.

Neste arquivo declararemos nosso primeiro cliente, uma variável do tipo const ("constante", ou seja, que não é alterada durante seu ciclo de vida) que chamaremos de cliente1Nome e cujo valor será "Ricardo".

const cliente1Nome = "Ricardo";

Outra informação que gostaríamos de armazenar é o CPF de cada cliente. Sendo assim, criaremos outra variável, cliente1CPF, cujo valor será 11122233309.

const cliente1Nome = "Ricardo";
const cliente1CPF = "11122233309";

Perceba que estamos utilizando o ponto e vírgula ao final de cada instrução, algo que não é obrigatório no JS e vai da preferência de cada programador.

O Bytebank também nos pediu mais uma informação, que é o número da agência de cada cliente. Criaremos então a variável cliente1Agencia, cujo valor será 1001.

const cliente1Nome = "Ricardo";
const cliente1CPF = 11122233309;
const cleinte1Agencia = 1001;

Clientes de banco possuem um saldo monetário em suas contas. Portanto, criaremos a variável cliente1Saldo com o valor 0.

const cliente1Nome = "Ricardo";
const cliente1CPF = 11122233309;
const cliente1Agencia = 1001;
const cliente1Saldo = 0;

Passaremos então para a criação de um segundo cliente, a "Alice", que possuirá as mesmas informações que o cliente anterior, mas recebendo outros dados - cliente2CPF = 88822233309, cliente2Agencia = 1001 (a mesma agência) e cliente2Saldo = 0. Para facilitar o preenchimento dessas informações, podemos copiar e colar as instruções do primeiro cliente e somente alterar os campos necessários. A combinação de teclas "Ctrl + Alt" nos ajuda nesse processo, permitindo alterar diversas linhas de uma só vez (por exemplo, substituindo cliente2 por cliente1).

const cliente1Nome = "Ricardo";
const cliente1CPF = 11122233309;
const cliente1Agencia = 1001;
const cliente1Saldo = 0;

const cliente2Nome = "Alice";
const cliente2CPF = 88822233309;
const cliente2Agencia = 1001;
const cliente2Saldo = 0;

Por fim, faremos um console.log() de cliente1Nome para verificarmos se nosso arquivo está executando como desejado.

const cliente1Nome = "Ricardo";
const cliente1CPF = 11122233309;
const cliente1Agencia = 1001;
const cliente1Saldo = 0;

const cliente2Nome = "Alice";
const cliente2CPF = 88822233309;
const cliente2Agencia = 1001;
const cliente2Saldo = 0;

console.log(cliente1Nome);

No terminal (como o Powershell ou o Prompt de Comando), acessaremos o diretório do projeto e executaremos node ./index.js. Como retorno, teremos:

Ricardo

Percebemos que o interpretador do Node consegue carregar o nosso arquivo e imprimir o nome do cliente como desejávamos. Entretanto, esse código não parece adequado, já que temos muita repetição - repetição esta que continuará ocorrendo para cada novo cliente que tentarmos criar, como um cliente3.

const cliente1Nome = "Ricardo";
const cliente1CPF = 11122233309;
const cliente1Agencia = 1001;
const cliente1Saldo = 0;

const cliente2Nome = "Alice";
const cliente2CPF = 88822233309;
const cliente2Agencia = 1001; 
const cliente2Saldo = 0;

const cliente3Nome = "Alice";
const cliente3CPF = 88822233309;
const cliente3Agencia = 1001;
const cliente3Saldo = 0;

console.log(cliente1Nome);

Ao pensarmos que um banco tem milhares de clientes, a situação fica ainda mais preocupante. Se quisermos adicionar novas informações, como cliente3RG, também precisaremos fazê-lo para cada um dos clientes do sistema. Deve existir uma maneira melhor de pensarmos nosso sistema para evitarmos tal repetição constante de código.

Sabemos que, no momento, o Bytebank precisa das informações "nome", "CPF", "agência" e "saldo" de cada cliente, e que essa estrutura se repetirá para todos os clientes do banco.

Saindo um pouco do cenário bancário, sabemos que as fábricas que produzem peças o fazem em grande quantidade, repetindo sempre a mesma peça (ainda que existam alguns detalhes diferentes, como pinturas ou customizações). Nessa indústria, o problema da repetição é resolvido usando moldes, com os quais é possível fabricar novamente a mesma peça inúmeras vezes, aumentando a produtividade e a eficiência.

A ideia de termos um molde com o qual podemos recriar o mesmo resultado diversas vezes, como uma peça ou objeto, é bastante interessante. Será que conseguiríamos aplicá-la ao nosso código? Sabemos as características que cliente precisa, e gostaríamos de utilizá-las em um molde, por exemplo:

{ 
const nome;
const cpf;
const agencia;
const saldo;
}

Aqui não temos nenhum valor atribuído às variáveis, e estamos somente indicando que elas existem no "molde". Esse exemplo é apenas ilustrativo, e no próximo vídeo entenderemos mais a fundo como é que utilizaremos efetivamente tais moldes em nosso código.

Repetição de código - Nossa primeira classe

Terminamos o vídeo anterior com a ideia de criarmos um molde com o qual conseguiríamos obter uma réplica parecida ou idêntica de um conceito, e agora queremos aplicá-la ao nosso projeto em JavaScript. Em programação, esse tipo de molde é chamado de "classe". É possível declarar classes em JavaScript usando a palavra reservada class seguida do nome desejado, no caso Cliente.

É importante escolhermos um nome adequado, pois estamos tratando do contexto do nosso negócio. Por exemplo, o banco Bytebank precisa de uma representação de um cliente, portanto nada mais adequado do que utilizarmos esse nome para a classe. Em seguida, para começarmos a definição da classe, abriremos e fecharemos chaves ({}).

class Cliente {

}

É entre essas chaves que definiremos os atributos (também chamados de "campos" ou "propriedades") que a nossa classe irá conter, que serão nome, cpf, agencia e saldo.

Em algumas linguagens, as palavras "atributos", "campos" e "propriedades" podem não ser sinônimas como são no JavaScript.

class Cliente {
    nome;
    cpf;
    agencia;
    saldo;
}

Com esses atributos, estamos definindo que todo cliente possuirá um nome, um CPF, uma agência e um saldo, uniformizando esse contexto no sistema. Agora que temos o molde, precisamos aprender a utilizá-lo. Se queremos criar um novo cliente a partir da classe que foi definida, usamos a instrução new seguida do nome da classe e da abertura e fechamento de parênteses - ou seja, new Cliente().

class Cliente {
    nome;
    cpf;
    agencia;
    saldo;
}

new Cliente();

Para que consigamos acessar o cliente criado, teremos que atribuí-lo a uma variável, por exemplo cliente1.

class Cliente {
    nome;
    cpf;
    agencia;
    saldo;
}

const cliente1 = new Cliente();

Com isso, conseguimos um cliente1 que, em si, contém as informações necessárias para cada cliente, podendo ser referenciado ou alterado diretamente, e evitamos a fragmentação desses dados em contextos diferentes (como era o caso anterior).

Agora, se quisermos acessar alguma propriedade da classe, podemos fazê-lo usando a sintaxe objeto.atributo, como cliente1.nome ou cliente1.cpf. Faremos isso para atribuir informações a cada um dos atributos de cliente1, usando os mesmos dados que já tínhamos disponíveis. Em seguida, faremos um console.log(cliente1) para imprimirmos todas as informações desse objeto.

class Cliente {
    nome;
    cpf;
    agencia;
    saldo;
}

const cliente1 = new Cliente();


cliente1.nome = "Ricardo";
cliente1.cpf = 11122233309;
cliente1.agencia = 1001;
cliente1.saldo = 0;

console.log(cliente1);

Ao executarmos node ./index.js no terminal, teremos:

Cliente { nome: 'Ricardo', cpf: 11122233309, agencia: 1001, saldo: 0 }

Assim, conseguimos obter o nosso cliente como um todo, sem termos que imprimir cada campo individualmente. Passaremos para a criação de cliente2 repetindo os passos anteriores.

Como temos uma classe criada, o Intellisense do Visual Studio Code (uma espécie de autocompletar) nos sugerirá os atributos dela quando estivermos fazendo o preenchimento, por exemplo de saldo ao digitarmos cliente2.s.

Para imprimirmos as informações do novo cliente, não é necessário fazermos um novo console.log(), bastando passarmos cliente2 após uma vírgula.

class Cliente {
    nome;
    cpf;
    agencia;
    saldo;
}

const cliente1 = new Cliente();
const cliente2 = new Cliente();

cliente1.nome = "Ricardo";
cliente1.cpf = 11122233309;
cliente1.agencia = 1001;
cliente1.saldo = 0;

cliente2.nome = "Alice";
cliente2.cpf = 88822233309;
cliente2.agencia = 1001;
cliente2.saldo = 0;

console.log(cliente1, cliente2);

Ao executarmos, conseguiremos exibir ambos os clientes, "Ricardo" e "Alice".

Cliente { nome: 'Ricardo', cpf: 11122233309, agencia: 1001, saldo: 0 } Cliente { nome: 'Alice', cpf: 88822233309, agencia: 1001, saldo: 0 }

Até o momento as vantagens de estruturarmos o código dessa forma podem não parecer óbvias, já que o processo continua ligeiramente semelhante ao anterior. Entretanto, conforme avançarmos, você perceberá que a criação de classes nos traz diversas facilidades.

Por exemplo, se quisermos adicionar um número de RG aos nossos clientes, podemos simplesmente criar um atributo rg em Cliente.

class Cliente {
    nome;
    cpf;
    agencia;
    saldo;
    rg;
}

Em seguida, poderemos atribuir um valor a esse atributo da mesma forma que fizemos com as demais informações.

cliente1.nome = "Ricardo";
cliente1.cpf = 11122233309;
cliente1.agencia = 1001;
cliente1.saldo = 0;
cliente1.rg = 123456789;

Ao executarmos, o RG passará a ser exibido no objeto:

Cliente { nome: 'Ricardo', cpf: 11122233309, agencia: 1001, saldo: 0, rg: 123456789 } Cliente { nome: 'Alice', cpf: 88822233309, agencia: 1001, saldo: 0, rg: undefined }

Como não fizemos essa definição em cliente2, ele é mostrado como undefined ("indefinido"), ainda que a propriedade exista. Cada dos clientes que criamos a partir da instrução new Cliente() (no caso, cliente1 e cliente2) são chamados de "objetos", e daí vem o nome "programação orientada a objetos".

Em resumo, uma classe é o molde que define o resultado que queremos obter, e os objetos são criados a partir desse molde.

Quando usaremos a chamada new Cliente(), podemos afirmar que estamos criando uma "instância" dessa classe.

Removendo o atributo rg e sua definição em cliente1, nosso console.log() deixará de exibir tal informação.

class Cliente {
    nome;
    cpf;
    agencia;
    saldo;
}

const cliente1 = new Cliente();
const cliente2 = new Cliente();

cliente1.nome = "Ricardo";
cliente1.cpf = 11122233309;
cliente1.agencia = 1001;
cliente1.saldo = 0;

//...código omitido

console.log(cliente1, cliente2);

Cliente { nome: 'Ricardo', cpf: 11122233309, agencia: 1001, saldo: 0 } Cliente { nome: 'Alice', cpf: 88822233309, agencia: 1001, saldo: 0 }

Ou seja, uma alteração realizada somente na classe será repercutida por todo o nosso projeto!

Sobre o curso JavaScript: programando a Orientação a Objetos

O curso JavaScript: programando a Orientação a Objetos possui 119 minutos de vídeos, em um total de 35 atividades. Gostou? Conheça nossos outros cursos de JavaScript em Front-end, ou leia nossos artigos de Front-end.

Matricule-se e comece a estudar com a gente hoje! Conheça outros tópicos abordados durante o curso:

Aprenda JavaScript acessando integralmente esse e outros cursos, comece hoje!

Plus

  • Acesso a TODOS os cursos da plataforma

    Mais de 1200 cursos completamente atualizados, com novos lançamentos todas as semanas, em Programação, Front-end, UX & Design, Data Science, Mobile, DevOps e Inovação & Gestão.

  • Alura Challenges

    Desafios temáticos para você turbinar seu portfólio. Você aprende na prática, com exercícios e projetos que simulam o dia a dia profissional.

  • Alura Cases

    Webséries exclusivas com discussões avançadas sobre arquitetura de sistemas com profissionais de grandes corporações e startups.

  • Certificado

    Emitimos certificados para atestar que você finalizou nossos cursos e formações.

  • Alura Língua (incluindo curso Inglês para Devs)

    Estude a língua inglesa com um curso 100% focado em tecnologia e expanda seus horizontes profissionais.

12X
R$85
à vista R$1.020
Matricule-se

Pro

  • Acesso a TODOS os cursos da plataforma

    Mais de 1200 cursos completamente atualizados, com novos lançamentos todas as semanas, em Programação, Front-end, UX & Design, Data Science, Mobile, DevOps e Inovação & Gestão.

  • Alura Challenges

    Desafios temáticos para você turbinar seu portfólio. Você aprende na prática, com exercícios e projetos que simulam o dia a dia profissional.

  • Alura Cases

    Webséries exclusivas com discussões avançadas sobre arquitetura de sistemas com profissionais de grandes corporações e startups.

  • Certificado

    Emitimos certificados para atestar que você finalizou nossos cursos e formações.

  • Alura Língua (incluindo curso Inglês para Devs)

    Estude a língua inglesa com um curso 100% focado em tecnologia e expanda seus horizontes profissionais.

12X
R$120
à vista R$1.440
Matricule-se
Conheça os Planos para Empresas

Acesso completo
durante 1 ano

Estude 24h/dia
onde e quando quiser

Novos cursos
todas as semanas