Power BI: análise de cenário com parâmetros

Daniel Siqueira
Daniel Siqueira

Compartilhe

Código binário espalhado em formato 3D.

O Power BI é um dos softwares mais utilizados atualmente na área de inteligência empresarial. Um dos motivos desse sucesso é o poder que ele dá para o(a) usuário(a) de enxergar diferentes cenários e proporcionar insights e tomadas de decisões.

Imagem de duas mãos, uma com várias interrogações e outra com lâmpadas

Um dos principais recursos que temos, nesse sentido, são os parâmetros que nos auxiliarão a fazer a análise de cenários.

Para entendermos melhor como funciona essa análise de cenário vamos fazer algumas perguntas do tipo:

Caso eu reduza o custo de produção do meu produto, quanto isso impactaria no meu lucro?

E se eu variar os impostos? Minha receita é atingida? Quanto será a receita?

Imagem da sombra de um homem pensativo, o homem está com a mão no queixo e usa óculos

Esse tipo de análise também é conhecido como “What if?”, ou “E se?”, em português.

Certo, mas como podemos responder essas perguntas com a ajuda do PBI? Nós vamos utilizar o recurso dos parâmetros, que nos ajudará a criar esses cenários de forma automática.

Para isso, podemos ir na guia “Modelagem”:

Imagem das guias do Power BI localizadas na parte superior do programa, e com a opção “Modelagem” selecionada, sendo ela a quarta opção disponível.

E clicar na opção “Novo parâmetro”:

Imagem da aba Modelagem, com a opção “Novo parâmetro” destacada

Repare que temos escrito embaixo dessa opção o tal do “What if”, que nos possibilitará a construção desses cenários.

Teremos então uma janela para configurarmos como funcionará esses parâmetros:

Imagem da janela da configuração dos parâmetros. Nessa janela há os campos de Nome, Tipo de dados, mínimo, máximo, incrementar e padrão. A opção “Adicionar segmentação a esta página” está selecionada.

Dessa forma podemos dar um nome para o parâmetro. Também podemos configurar quais tipos de dados iremos utilizar como, por exemplo, números inteiros, números decimais ou decimais fixos.

Além disso, podemos dizer qual é o mínimo e máximo que nosso parâmetro irá variar e também de quanto em quanto ele vai avançando.

Vamos olhar então um exemplo em que temos a informação dos custos de operação:

Imagem do cartão dos custos de operação indicando 24, 95 milhões

Agora eu quero fazer a seguinte análise de cenário: E se eu diminuir esses custos? O quanto isso muda meu lucro?

Para isso, vamos então criar um novo parâmetro. Na configuração do parâmetro vamos dar o nome de “% de redução”. Vamos também colocar nos tipos de dados a opção de números decimais (já que vamos trabalhar em porcentagem) e a variação será no mínimo de 0 e no máximo de 0.5 (representando 50%, variação que será suficiente em nosso caso, mas você poderia escolher 1 por exemplo, representando 100%). Vamos colocar também no incremento o valor de 0.01, já que eu quero que essa análise me forneça cenários variando de 1 em 1%.

Imagem da janela da configuração dos parâmetros. Nessa janela há os campos de Nome, Tipo de dados, mínimo, máximo, incrementar e padrão. A opção “Adicionar segmentação a esta página” está selecionada. No campo nome inserimos “% de redução”, no campo tipo de dados inserimos “Número decimal”, no campo Mínimo inserimos “0”, no campo máximo “0.5”, no campo incrementar “0.01”.

Dessa maneira o Power BI já nos traz a visualização do nosso parâmetro:

Imagem do parâmetro pronto para mudarmos as porcentagens. Na parte superior temos o título “% de redução”, logo abaixo temos uma caixa com os números “0,00”. Esses números variam de acordo com o posicionamento da circunferência que está sobreposta em uma linha horizontal

(Claro que aqui você pode formatar com as cores e aparência que você preferir).

Vale lembrar que o título da nossa visualização está em porcentagem e apesar do número que aparece em decimal na caixa, que está logo abaixo do título, devemos perceber que se trata de porcentagem também.

Repare também que automaticamente são criados uma tabela e uma medida com o nome de parâmetro:

Imagem da parte direita do Power BI com ícones que representam uma tabela, com o nome de % de redução, e uma medida com o mesmo nome, % de redução, criadas automaticamente pelo parâmetro.

Quando clicamos na tabela, percebemos a seguinte fórmula DAX:

Parâmetro % de redução = GENERATESERIES(0, 0.5, 0.01)

Justamente, com os parâmetros que setamos,

Mas para deixarmos mais automatizado esse recurso vamos criar uma medida chamada “Custo de redução com x%”:

Medida de custo com redução em %

Com a seguinte fórmula Dax:

Fórmula DAX, custo com redução de x% = [Custos de operação] * (1 - ‘% de redução’[% de redução Valor]

Ou seja, vamos usar o valor de Custos da operação anterior e subtrair da % de redução de valor. Matematicamente, subtrair uma porcentagem é a mesma coisa que multiplicar por 1 - a porcentagem que deseja descontar.

Agora podemos inserir um cartão e arrastar para o seu campo essa medida:

Imagem do cartão custo com redução de x%, indicando 24,95 milhões

Como ainda não alteramos o parâmetro ele ainda mostra o mesmo valor; porém, vamos arrastar a variação até 30% e observar o que acontece:

Imagem da análise de cenário pronta, com o parâmetro e os dois cartões. Na parte superior os cartões estão lado a lado, sendo que o primeiro indica o valor de 24,95 milhões de custos de operação e o segundo indica um valor de 17,46 milhões de custo com redução x%. Na parte inferior temos uma linha com uma circunferência sobreposta indicando o valor de 30 % de redução

Na caixa temos a variação de 0,3, o que na prática representa a variação de 30%.

Aí está! Conseguimos realizar a alteração e também a comparação dos dois cenários diferentes.

Agora é com você. Crie algumas variações e compartilhe com a gente.

Caso você queira conhecer mais sobre o tema de parâmetros indicamos esse material:

Power BI: parâmetros e exportação de modelos

Daniel Siqueira
Daniel Siqueira

Daniel é instrutor e professor de Matemática, Física, Química e Inglês.Tem verdadeira paixão em aprender coisas e assuntos novos, e transmitir seus conhecimentos.

Veja outros artigos sobre Data Science