Conheça o trabalho de 3 ONGs e 1 comunidade de mulheres que incentivam e fortalecem a presença feminina no mercado tech

Conheça o trabalho de 3 ONGs e 1 comunidade de mulheres que incentivam e fortalecem a presença feminina no mercado tech
Milena Alves
Milena Alves

Compartilhe

Apesar da disparidade ainda muito presente entre os gêneros, as mulheres estão cada vez mais presentes no mercado tech. O artigo de hoje ressalta algumas iniciativas que deixam em evidência a luta constante para que este espaço seja cada vez mais preenchido de maneira igualitária. Mulheres que lideram movimentos que estimulam e apoiam meninas e mulheres fazem parte não só de uma transformação de gênero, mas também de caráter social.

De acordo com o relatório #QuemCodaBR de 2019, 67,4% das equipes de trabalho em tecnologia registraram no máximo 10% de pessoas que moram em bairros periféricos e vulneráveis. A diversidade de gênero é o foco de mulheres que vêem na tecnologia uma oportunidade de mudar o cenário e gerar a transformação que todas nós esperamos.

Esta é a segunda edição da série Mulheres em Tech, onde todo mês traremos uma reflexão sobre o mercado de tecnologia e inspirações para essa [r]evolução. Por aqui nós garantimos: juntas somos mais fortes.

Continue lendo para se inspirar com o trabalho de 3 ONGs e 1 comunidade de mulheres que incentivam e fortalecem a presença feminina no mercado.

Conheça as 3 ONGs e 1 Comunidade lideradas por mulheres que incentivam e fortalecem a presença feminina no mercado. Na imagem temos 4 mulheres lado a lado com os símbolos das instituições em seus rostos, da esquerda para a direita, respectivamente: programaria, meninas LGBT+ IN TECH, reprograma e cloud girls SP.

1. Progra{m}aria

Empoderar mulheres através da tecnologia.

A PrograMaria começou com a ideia de formar um grupo para aprender a programar. As dificuldades pelo caminho geraram inquietações que se transformaram em uma meta-site sobre mulheres e tecnologia.

Com o convite de refletir, inspirar e aprender, os objetivos da ONG são contribuir para que mais meninas e mulheres sintam-se motivadas e confiantes a explorar os campos da tecnologia, da programação e do empreendedorismo. Incentivar o debate sobre a falta de mulheres nesses campos e promover a oportunidade e ferramentas para que elas deem os primeiros passos na aprendizagem da programação.

O curso de introdução a tecnologia, 100% online, chamado EU PROGR{AMO}, com foco em desenvolvimento web, tem como principal requisito a vontade de aprender e é a porta de entrada ideal para a jornada no universo tech.

Além de acesso à Comunidade PrograMaria, é possível tirar dúvidas em fóruns com tutoria de peso e no final garantir o certificado digital de conclusão do curso.

Quer conhecer mais sobre o projeto? Confere aqui.

2. Meninas In Tech LGBTQ+

Com o objetivo de aumentar o número de mulheres LBTQ+ no mercado de tecnologia, o Meninas In Tech LBTQ+ da Fly traz a capacitação sobre programação combinada com capacitação socioemocional.

A Fly, que viveu durante 3 anos e meio exclusivamente pela mão na massa de seus mais de 100 voluntários, em 2018 profissionalizou seus recursos com conteúdos socioemocionais, mercado de trabalho e tecnológico.

O objetivo do Mulheres In Tech LBTQ+ é empoderar mulheres LBTQ+ em situação de vulnerabilidade social que queiram aprender desenvolvimento web e junto a isso potencializar competências profissionais e socioemocionais.

O Programa é gratuito, tem duração de 4 meses e prepara meninas e mulheres para uma carreira promissora. Os encontros são semanais, online e com a realização de projetos para a criação de um portfólio.

As inscrições da última turma se encerraram em março e o programa terá duração até 30 de julho de 2022.

Conheça mais do projeto aqui.

3. {REPROGRAMA}

Reduzindo o gap de gênero no setor de tecnologia por meio da educação.

A {reprograma} é uma iniciativa de impacto social que foca em ensinar programação para mulheres cis e trans que não têm recurso e/ou oportunidade para aprender a programar.

Além dos cursos, mulheres têm a chance de participarem de diversos projetos promovidos pela ONG: meetups, conferências anuais (Tech Talks) para compartilhar conhecimento, fazer networking e fortalecer ainda mais a comunidade.

O programa Conectadas, realizado em parceria com o Mercado Livre, para meninas e jovens entre 14 e 18 anos, já alcançou 1200 mulheres em 7 países e neste ano serão abertas 400 vagas somente aqui no Brasil.

São duas etapas: as oficinas, com conteúdos introdutórios sobre cultura e transformação digital e resolução de problemas. Já na segunda etapa, as alunas selecionadas farão o curso durante 4 semanas e avançam em temas como design centrado no usuário, análise de dados, desenvolvimento de projetos e marketing digital.

As inscrições para o programa deste ano vão até dia 02/05.

Saiba mais sobre o projeto aqui.

4. Cloud Girls

As organizadoras do Cloud Girls, são mulheres que dedicam o seu tempo voluntariamente para apoiarem outras mulheres. Já deu pra sentir a potência delas não é mesmo?

Tem um começo um tanto quanto inusitado. Dois homens à frente de comunidades de tecnologia, se incomodaram com o fato de menos de 10% do público dos meetups serem formados por mulheres. Da provocação nasceu o Cloud Girls, em 2017, que desde então proporciona as participantes a possibilidade de aperfeiçoamento, recolocação, networking e muita diversão.

O programa de Mentorias de carreira é aberto a todas as mulheres, de qualquer idade que queiram aprender tecnologia ou que buscam transição de carreira. Durante 90 dias, todas as participantes passam por um acompanhamento de uma mentora. Recebem orientações sobre como aprimorar Soft Skills e colocá-las em prática. Além disso, também passam por treinamento de Hard Skills, onde aprendem programação de front e back end.

As inscrições para as últimas mentorias aconteceram em fevereiro.

Conheça o maior meetup de cloud do mundo: aqui.

Vamos juntas continuar esta conversa

A série Mulheres em Tech tem como objetivo valorizar e dar voz a projetos, conteúdos, pessoas e iniciativas que unem mulheres e tecnologia. Eu te convido a compartilhar este post e ajudar a acabar com o papo de que a tecnologia é uma área para homens.

Você tem uma história inspiradora ou gostaria de indicar uma mulher que nos representa para aparecer por aqui? Mande um e-mail para [email protected]

Veja outros artigos sobre Programação