Oh My Zsh: melhorando a sua produtividade no terminal

Oh My Zsh: melhorando a sua produtividade no terminal
Murillo Godoi Pedroso
Murillo Godoi Pedroso

Compartilhe

Se você utiliza diariamente o terminal do seu computador para trabalho ou estudo, certamente irá gostar de personalizar o seu shell para otimizar suas tarefas do dia a dia. Além de poder deixar o visual do modo que mais lhe agradar.

Os terminais padrões, em sua maioria, são bem básicos na questões de visual e ferramentas, isso faz com que as pessoas desenvolvedoras percam mais tempo com a realização de suas atividades no terminal, e é justamente aqui que o Oh My Zsh entra em jogo para nos ajudar.

Neste artigo, veremos como instalar e utilizar essa ferramenta para se beneficiar de todos os recursos que ela dispõe e aumentar a nossa produtividade no terminal. O Oh My Zsh possui milhares de funções úteis, plugins, temas e mais algumas coisas que você irá conhecer e que talvez o faça gritar... "Oh My ZSH!"

gif de família comemorando em uma festa de aniversário e a menina, de casaco rosa, está muito animada e arremessa o recipiente com docinhos de festa e levanta  os braços em comemoração.

Fonte: makeagif.com

O que é o Oh My Zsh?

O Oh My Zsh é um framework open source que possibilita o gerenciamento das configurações do interpretador de comandos Zsh, que é uma alternativa ao shell padrão oferecido por alguns sistemas operacionais. Sua utilização ajuda a tornar o terminal de comandos muito mais amigável e funcional. Ele é indicado para os sistemas operacionais Linux e macOS.

Com mais de 140 temas pré-criados e 300 plugins, é uma ótima ferramenta para personalizar seu terminal Zsh e liberar seus novos superpoderes de linha de comando.

Homem negro, com um notebook de brinquedo azul, usando óculos escuros com armação rosa, blusa branca em fundo preto e códigos em verde neon, fazendo uma alusão ao filme Matrix.

Fonte: imgflip.com

Pré-requisitos para instalar o Oh My Zsh

Para instalar o Oh My Zsh é preciso atender alguns pré-requisitos, são eles:

  • o sistema operacional deve ser baseado no Unix, como: macOS, Linux, BSD;
  • instalar o Zsh;
  • ter o curl ou wget instalados;
  • ter o git instalado na máquina;
  • Para instalar o o Oh My Zsh no Windows, o ideal é ter o WSL2 instalado, que é uma solução para a execução do Linux dentro do Windows.

Como instalar o Zsh?

Antes de instalar o framework Oh My Zsh, é preciso instalar o interpretador de comandos Zsh, que é a abreviatura de Z-Shell. Veja como realizar essa tarefa no Linux e no macOS.

Linux

Para instalar o Zsh no Linux por meio do interpretador de comandos, basta digitar o seguinte comando no terminal:

sudo apt-get install zsh 

Vale ressaltar que, como existem diversas distribuições Linux, o comando de instalação pode variar entre elas, consulte este link para mais informações.

Com o zsh já instalado, o próximo passo é fazer com que o Zsh seja o interpretador de comandos padrão do sistema. Para isso, você pode utilizar o seguinte comando:

chsh -s $(which zsh)

macOS

Para instalar o Zsh no macOS, digite o seguinte comando:

brew install zsh

Para definir o zsh como seu shell padrão no macOS, faça o seguinte:

Para versões recentes do macOS, execute:

chsh -s /usr/local/bin/zsh

Para macOS High Sierra e versões anteriores, execute:

chsh -s /bin/zsh

Pronto, agora que o zsh está instalado como shell padrão em sua máquina, chegou a hora de instalar o poderoso Oh My Zsh.

Como instalar o Oh My Zsh?

A instalação do Oh My Zsh pode ser feita de duas formas oficiais, via Curl ou via Wget, escolha uma de acordo com a sua preferência. Veja a seguir como fazer a instalação utilizando as duas formas.

Via Curl

Para instalar via curl, digite o seguinte comando no terminal:

sh -c "$(curl -fsSL https://raw.githubusercontent.com/ohmyzsh/ohmyzsh/master/tools/install.sh)"

Via Wget

Para instalar via wget, digite o seguinte comando no terminal:

sh -c "$(wget https://raw.github.com/ohmyzsh/ohmyzsh/master/tools/install.sh -O -)"

Após rodar o comando de instalação você verá algo parecido com a imagem abaixo:

Imagem de um terminal exibindo os processos de instalação do Oh My Zsh que são feitos após a utilização do comando de instalação da ferramenta. Os processos de instalação mostrados no terminal envolvem a clonagem do repositório do GitHub do Oh My Zsh e a utilização e adição do template padrão do Oh My Zsh dentro do arquivo .zshrc.

Fonte: tecmint.com

A partir de agora, todas configurações que você quiser fazer, como adicionar variáveis ambientes ou configurar seu terminal de qualquer forma, você irá utilizar o arquivo ~/.zshrc e não mais o ~/.bash_profile ou derivados.

Reinicie o seu terminal e veja que agora ele está diferente do normal, parecido com isso:

Imagem de um terminal com fundo azul escuro e com Oh My Zsh recém instalado, para mostrar o visual padrão do Oh My Zsh. No terminal estão sendo utilizados alguns comandos, entre eles, comandos git.

Fonte: ohmyz.sh

Com o zsh e o Oh My zsh instalados, chegou o momento mais esperado… a hora de customizar o nosso terminal. Então, vamos ver como fazer isso!

Adicionando plugins e configurando o Oh My Zsh

Os plugins do Oh My Zsh possibilitam adicionar funcionalidades extras ao seu shell. São inúmeros plugins existentes, para verificar todas as possibilidades, dê uma olhada na Wiki do repositório. Confira alguns desses plugins especiais a seguir.

Plugin zsh-syntax-highlighting

O zsh-syntax-highlighting é utilizado para dar destaque aos comandos enquanto eles são digitados. Se o comando estiver correto, ele será exibido na cor verde, caso contrário, o comando ficará em vermelho. Isso ajuda a revisar os comandos antes de executá-los, principalmente na detecção de erros de sintaxe.

Para instalar o plugin, execute o seguinte comando:

git clone https://github.com/zsh-users/zsh-autosuggestions \$ZSH_CUSTOM/plugins/zsh-autosuggestions

Gif de um terminal com fundo roxo para mostrar o funcionamento do plugin zsh-syntax-highlighting. Primeiramente, é digitado no terminal o comando: non-existent-command, que é um comando não válido, portanto, as letras desse comando ficam destacadas em cor vermelha, na sequência esse primeiro comando é apagado, e é escrito no terminal o comando: git, que é um comando válido e por esse motivo fica destacado em cor verde.

Fonte: miro.medium.com

Plugin zsh-autosuggestions

O zsh-autosuggestions é extremamente útil para as pessoas desenvolvedoras, pois ele sugere comandos baseados nos comandos que já foram digitados anteriormente. Ele funciona como uma ferramenta para autocompletar o que está sendo digitado, nos poupando muito tempo. Para instalar o plugin, digite o seguinte comando em seu terminal:

git clone https://github.com/zsh-users/zsh-autosuggestions ${ZSH_CUSTOM:-~/.oh-my-zsh/custom}/plugins/zsh-autosuggestions

Gif de um terminal com fundo roxo para mostrar o funcionamento do plugin zsh-autosuggestions. No terminal são utilizados alguns comandos, entre eles, comandos git, com o propósito de exibir as excelentes sugestões, que são de certa forma, um autocomplete que esse plugin nos dá quando estamos escrevendo comandos no terminal.

Fonte: raw.githubusercontent.com

Plugin fzf

O fzf é um buscador de arquivos interativo para linha de comando que pode ser usado com qualquer lista, arquivos, histórico de comandos, processos, nomes de host, favoritos, git commits, etc. Ele nos possibilita pesquisar pelo terminal de forma simples e rápida.

Alt: Gif de um terminal com fundo preto para mostrar o funcionamento do plugin fzf. No terminal, utilizando o plugin fzf, é feita uma pesquisa com a palavra chave: main, a partir dessa palavra chave, diretórios e arquivos que possuem a palavra main são exibidos em uma lista, e com essa lista o usuário pôde selecionar o arquivo ao qual queria editar, utilizando o vim para isso.

Fonte: res.cloudinary.com

Para instalar essa ferramenta, digite o seguinte comando em seu terminal:

git clone --depth 1 https://github.com/junegunn/fzf.git ~/.fzf && ~/.fzf/install

E responda sim (Y) para todas as perguntas.

Para pesquisar arquivos e pastas, pressione as teclas CTRL + T + nome do arquivo e, para pesquisar por comandos, digite CTRL + R + comando desejado.

Agora, para finalizar a instalação dos plugins mostrados acima, vamos adicionar a referência desses plugins no arquivo de configuração do Zsh. Portanto, vamos editar o arquivo .zshrc e adicionar os nomes dos plugins à lista dos plugins instalados. Para isso, abra o arquivo com o editor de sua preferência, por exemplo, com o nano:

sudo nano ~/.zshrc

Procure a linha que possui a relação de plugins plugins=(...) e adicione os plugins zsh-syntax-highlighting, zsh-autosuggestions e o fzf. Portanto, veja como ficará a configuração dos plugins no arquivo .zshrc.

plugins=(
  git
  zsh-syntax-highlighting
  zsh-autosuggestions
  fzf
)

Agora, reinicialize o terminal para atualizá-lo com as novas configurações e o aproveite com os novos poderes dos plugins instalados.

Mudando o visual do terminal com os temas do Oh My zsh

O Oh My Zsh possui inúmeros temas que fornecem uma aparência diferenciada ao terminal, mudando o visual padrão que estamos acostumados. Todos os temas estão disponíveis na área de temas da página oficial do GitHub do Oh My Zsh, neste link, lá você encontrará os nomes dos temas e a aparência deles a partir de prints. Além disso, existem diversos temas externos desenvolvidos pela comunidade que também podem ser utilizados.

Para instalar um novo tema, é preciso editar o arquivo “.zshrc”, que contém as configurações do interpretador de comandos Zsh. Isso pode ser feito com o editor de texto de sua preferência. Para acessá-lo com o nano, digite o seguinte comando em seu terminal:

sudo nano ~/.zshrc

Agora, o próximo passo é alterar o nome do tema selecionado. Para isso, escolha um tema dentre os temas disponíveis na página do GitHub do Oh My Zsh, procure pela linha que contém a configuração ZSH_THEME = “robbyrussell” e modifique o nome do tema para o nome do tema desejado. Por exemplo:

ZSH_THEME = “agnoster”

Utilize o comando source ~/.zshrc para carregar a nova configuração do seu terminal e pronto! Agora, seu terminal está com um visual diferenciado e com as ótimas funcionalidades que os plugins fornecem.

Conclusão

Com as configurações feitas, agora você possui um terminal diferenciado e muito produtivo, que com o passar do tempo você irá perceber a melhora na sua produtividade. Os plugins auxiliam muito no dia a dia, e somando o fato de poder personalizar praticamente tudo, o Oh My Zsh se torna uma ferramenta fantástica e excelente de ser utilizada.

Espero que tenha gostado, abraços e bons estudos!

Veja também:

Veja outros artigos sobre Programação