Compre agora Login
Artigo

Como usar Business Intelligence (BI) para tomar decisões estratégicas mais assertivas?

Athena Bastos

Athena Bastos


Mais do que uma simples tendência facultativa, a tomada de decisões com base em análise de dados se tornou um elemento fundamental na construção de um futuro competitivo para as organizações, especialmente em contextos complexos.

Muito se fala do quanto o desenvolvimento de uma cultura digital é a garantia de um futuro próspero das empresas. E a análise de dados é um requisito fundamental nessa construção.

Afinal de contas, os dados são insumos valiosos para tomar decisões estratégicas com base no panorama real da empresa e dos movimentos do mercado — seja na possibilidade de compreender padrões e evitar problemas ou para aproveitar oportunidades.

Por isso, a análise de dados não deve se restringir somente aos times de tecnologia, mas permear por toda a empresa.

Diante da importância desse tema, o objetivo deste artigo é refletir o que é Business Intelligence e sua importância na tomada de decisões estratégicas, especialmente a partir do papel do uso de dados para analisar contextos, prever acontecimentos e acompanhar KPIs relevantes.

Equipe de profissionais de big data trabalhando em desktops com telas mostrando gráficos, infográficos, dados neurais técnicos, e Power BI

O que é Business Intelligence?

Segundo a definição do dicionário do Gartner, Business Intelligence (BI) é *“um termo abrangente que inclui aplicativos, infraestrutura, ferramentas e as melhores práticas que permitem acessar e analisar informações para melhorar e otimizar decisões”.**

Em outras palavras, é um conjunto de técnicas e estratégias que permitem que as pessoas tomem decisões melhores a partir da análise de dados.

VEJA TAMBÉM:

O objetivo central do BI é gerar informações estratégicas para uma gestão de negócios mais inteligente e mais assertiva.

Esse conceito deixa claro três pontos fundamentais do BI: o que é, como e o porquê. Ou seja, que é um conjunto de técnicas que, através da análise de dados (“como”), tem o propósito de otimizar decisões e proporcionar vantagem competitiva (“o porquê”).

O termo “Business Intelligence” surgiu na década de 60, para definir um sistema para compartilhar informações nas empresas.

Mais tarde, na década de 80, a expressão se desenvolveu junto com os modelos computacionais e se tornou uma ferramenta para transformar dados em informações úteis e auxiliar na tomada de decisões.

Boas práticas na avaliação de competências tech

Como funciona o BI?

Na prática, o BI compreende um conjunto de teorias, processos, métodos e ferramentas que converte muitos dados brutos em informações importantes para as organizações.

Em uma perspectiva técnica, os dados brutos são gerados e coletados nas atividades da empresa. Depois disso, eles precisam ser processados e armazenados.

Em geral, as plataformas coletam conteúdos de e-mails, arquivos digitais, redes sociais, planilhas, ferramentas de analytics e daí por diante.

Em seguida, a análise e a interpretação desses dados se converte em informações e insights relevantes. Ou seja, a ideia é extrair resultados mensuráveis e úteis de dados brutos.

Por fim, as lideranças podem usar esses resultados para tomar decisões com base na realidade da empresa (ou do mercado), não em mera suposições.

Assim, a análise de dados pode servir, por exemplo, para adaptar os processos da empresa a alguma mudança do mercado, verificar quais estratégias estão funcionando ou quais precisam de ajustes e acompanhar o desempenho em relação às metas.

Maior escola de tecnologia do país - saiba mais

Como o BI se aplica às empresas?

O Business Intelligence compreende a análise de dados e a análise empresarial, aplicando-as como parte do processo do negócio.

Em primeiro lugar, a partir de técnicas estatísticas e análise preditiva, o BI permite identificar padrões históricos e prever comportamentos futuros nos dados.

Em outras palavras, a análise de dados responde às seguintes perguntas: “por que isso aconteceu e o que vai acontecer no futuro?”.

Para respondê-las, o BI aplica modelos e algoritmos e traduz os resultados em uma linguagem mais acessível.

A análise empresarial, portanto, compreende mineração de dados, análise preditiva, análise aplicada e estatísticas para oferecer análises, responder perguntas e possibilitar o planejamento e a tomada de decisões.

Um exemplo disso é o caso da Netflix que, principalmente a partir da percepção e na análise de consumo das pessoas usuárias, criou a série Stranger Things.

Ou seja, os padrões de preferências das pessoas usuárias da plataforma foi o insumo principal para criar o roteiro da série que se alinhasse ao estilo e às características mais aceitas pelo público.

O resultado da estratégia foi um grande sucesso. Segundo a empresa Nielsen Media Research, a série foi o título de streaming mais visto no ano de 2022, chegando a 52 bilhões de minutos no mundo.

Qual a importância do Business Intelligence para empresas?

A finalidade central do Business Intelligence é fornecer informações estratégicas para que as empresas tomem decisões mais assertivas e mais inteligentes.

As ferramentas de BI se conectam a diversas fontes de dados (dos mais variados tipos) e se integram de forma rápida e fácil.

Assim, é possível coletar, processar e analisar, de forma completa e minuciosa, um grande volume de dados.

De fato, a grande importância do BI para as empresas é proporcionar uma visão mais analítica e estratégica. Ou seja, potencializar a capacidade analítica das pessoas colaboradoras através de ferramentas tecnológicas.

Quais as vantagens do Business Intelligence para empresas?

Nesse contexto, o BI fornece vantagens competitivas para as empresas, tanto em relação à maior inteligência para tomar decisões, quanto à otimização da eficiência e da colaboração entre os times.

Então, por exemplo, a partir da análise de dados, as empresas podem ter acesso às informações mais importantes sobre as vendas (como mapa de calor do site, histórico do número de cliques e de pedidos dos produtos). A partir disso, podem compreender o que está funcionando e o que precisa ser reformulado em seus processos internos.

Nesse sentido, os principais benefícios são:

Monitoramento de KPIs

Os KPIs (key performance indicator) são ferramentas de gestão que medem o desempenho das atividades desenvolvidas pelas pessoas colaboradoras.

Esses indicadores avaliam se os projetos e as atividades desenvolvidas estão, de fato, contribuindo para o alcance dos objetivos estratégicos do negócio.

Ou seja, através de uma análise em dados concretos sobre a realidade da empresa, as ferramentas de BI analisam quais estratégias estão funcionando, quais merecem mais atenção e quais precisam de ajustes.

Análise de dados para geração de insights e previsibilidade

As ferramentas de BI geram informações sobre diferentes áreas de um negócio. Isso permite entender os resultados e propor soluções adequadas a cada uma delas.

Ou seja, uma das grandes vantagens do BI é captar insights e compreender a previsibilidade do comportamento dos negócios de setores diversos na empresa.

Tomada de decisão estratégica

Os dados capturam a realidade da empresa em todos os setores: do financeiro até o engajamento do público nas ações de marketing.

Então, a partir do processamento desses dados, as empresas conseguem compreender, de forma completa, o que está acontecendo em seus processos internos.

Além disso, também podem analisar dados dos movimentos de mercado e entender quais são as previsões macroeconômicas.

Essas informações servem de base para gerar relatórios atualizados e completos que entregam perspectivas seguras para as lideranças.

Com isso em mãos, as pessoas gestoras podem tomar decisões com maior clareza e segurança, a partir de embasamentos sólidos e claros.

Quais as ferramentas de Business Intelligence?

Conforme já foi dito, as ferramentas de Business Intelligence auxiliam a desenvolver um processo de inteligência com base em dados para tomar decisões estratégicas mais assertivas.

Nesse sentido, existem diferentes tipos de ferramentas. A melhor opção é escolher, dentre elas, qual faz mais sentido para a estratégia do negócio.

  • Looker Studion (antigo Google Data Studio): plataforma para analisar dados e criar relatórios com integração ao Analytics, Docs e Sheets.
  • Looqbox: acesso aos dados por interface de conversa natural e criação de dashboards por pessoas usuárias não técnicas.
  • Microsoft Power BI: conjunto de soluções de serviços de softwares e aplicativos que trabalham em conjunto para transformar dados em insights úteis.
  • Tableau: análises simples e rápidas, com dashboards de fácil gestão e acesso gratuito para uso pessoal.
  • QlikView: integração com várias fontes de dados e criação de interfaces flexíveis e simples.
  • SAS Business Intelligence: foco em análise preditiva e construção de gráficos de visualização de dados avançados e de alto desempenho.
  • Zoho Analytics: análise de dados com maior profundidade com foco em inteligência comercial.
  • Oracle BI: processamento de alto volume de dados, criação de dashboards dinâmicos e completos e ferramentas proativas para gerar insights.
  • Adobe Analytics: foco em fazer com que as pessoas cheguem aos insights que precisam, com integração de dados de diferentes categorias para análises mais completas.

Como capacitar seu time em Business Intelligence?

Não há dúvidas que construir uma cultura digital é a garantia para o futuro das empresas. Especialmente se considerarmos que, a partir das Digital Skills, as empresas podem ser mais eficientes, inovadoras e estratégicas.

Na prática, as competências digitais são habilidades essenciais para lidar com a presença da tecnologia no ambiente de trabalho.

Esse movimento pode (e deve!) ser liderado e apoiado pelos times de tecnologia. Mas não deve ser algo exclusivo das áreas de tecnologia. Ele deve, sim, compreender toda a empresa.

Nesse contexto, é imprescindível criar trilhas de aprendizagem que orientem diferentes times no desenvolvimento em Data Science e Business Intelligence e estimulem a análise de dados em suas rotinas.

Afinal, todas as áreas da empresa precisam estar atentas aos movimentos do mercado para prever possibilidades, gerenciar riscos e entregar soluções mais inovadoras em seus mercados.

Agora que você já sabe a importância do Business Intelligence para a tomada de decisões estratégicas, que tal preparar seu time para isso? Fale conosco e conheça nossos cursos e soluções para a sua empresa.

Athena Bastos
Athena Bastos

Supervisora de Conteúdo da Alura Para Empresas. Bacharela e Mestra em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Pós-graduanda em Branding: gestão estratégica de marcas pela Universidade Castelo Branco - UCB. Escreve para blogs desde 2008 e atua com marketing digital desde 2018.

Organizações que confiam nas nossas soluções corporativas

Junte-se a mais de 5000 empresas que já capacitaram seus times com nossas formações.

  • Logo daa Dasa class=