Artigo

Golden Circle: o conceito por trás das grandes lideranças e empresas de sucesso

Redação Alura

O mundo é povoado por uma infinidade de empresas de diferentes portes, das mais variadas áreas, que atraem inúmeros perfis de talentos e que atendem a públicos completamente distintos entre si. Mas não importa quão heterogêneo seja o universo corporativo, a concorrência sempre existirá. E, para conquistar o destaque em seus respectivos meios de atuação, é fundamental que as empresas tenham as estruturas de seu modelo de negócio muito bem definidas.

Foi pensando nesses alicerces que o escritor, palestrante e especialista em liderança Simon Sinek desenvolveu o Golden Circle — método que estimula empresas e lideranças a refletirem profundamente sobre os propósitos por trás daquilo que fazem profissionalmente, para que, a partir disso, sejam capazes de engajar tanto suas equipes quanto as pessoas impactadas por seus produtos ou serviços.

A teoria do Golden Circle

Para chegar à premissa do Golden Circle, Simon analisou os perfis de grandes lideranças históricas, como Steve Jobs e Martin Luther King, e constatou que a maioria dessas personalidades seguia um padrão comportamental que se refletia na maneira como se comunicavam com seus círculos sociais e profissionais. Esse padrão era ligado ao poder inspiracional de suas ideias e ações.

Segundo Simon, a clareza do propósito era o principal fator pelo qual as pessoas se sentiam motivadas a levar os projetos e ideias dessas lideranças adiante. E é justamente esse o fator que define o princípio do Golden Circle.

Isso porque, de acordo com a teoria de Simon Sinek, o nível de engajamento das pessoas é muito mais influenciado por um propósito com o qual possam se identificar do que pelo resultado final de um conjunto de ações. Ou seja: as lideranças que pensam, agem e se comunicam de dentro para fora, e que investem no estabelecimento de uma cultura corporativa coerente para nortear suas estratégias, têm uma probabilidade de sucesso maior do que aquelas que se concentram apenas em seus objetivos finais.

Para ilustrar melhor esse conceito, Simon criou uma estrutura simples que se desdobra em três círculos. Cada um deles é compreendido como uma etapa de desenvolvimento dentro de um modelo de negócio. A ideia é que o centro seja sempre considerado o ponto de partida, pois representa a essência do todo. Mais uma vez, é uma representação do olhar de dentro para fora, o sentido que norteia as etapas subsequentes.

Os três círculos do sucesso

Também conhecidos como “esferas de trabalho”, os círculos que compõem o Golden Circle são representados por um diagrama em formato de alvo, que se divide entre três círculos. O primeiro e mais importante é o círculo menor e central, chamado de “Por Quê”, seguido do intermediário, chamado de “Como”, e finalizado pelo círculo maior, “O Quê”.

Três circulos com bordas na cor preta, um dentro do outro, o menor e no centro com a palavra "why", o segundo mais interior com a palavra "how" e o mais exterior contendo os outros dois com a palavra "what". Abaixo desse diagrama a frase em azul "do we do?"

Por quê

A primeira etapa do Golden Circle reflete justamente o propósito de um negócio, o motivo de sua existência.

Este é considerado o ponto mais importante do Golden Circle porque estimula a liderança a refletir sobre o que diferencia seu produto ou serviço de toda a concorrência. Além disso, representa toda a essência por trás do negócio, sua filosofia, seus valores e tudo aquilo que a liderança deseja alcançar.

Quando se sabe o porquê da existência de um negócio, a tendência é que tudo caminhe de maneira mais assertiva, e que as colaboradoras e colaboradores envolvidos se sintam motivados a levar a ideia adiante.

Como

A etapa intermediária, o “Como”, diz respeito às estratégias necessárias para que o propósito da empresa seja cumprido. Afinal, para concretizar grandes ideias, é preciso que haja um plano de ação.

Portanto, nesta etapa do Golden Circle, a liderança deve demonstrar que está apta a colocar em prática tudo aquilo que acredita ser a essência de seu negócio, seja no recrutamento, no marketing, no desenvolvimento de produtos e serviços ou em qualquer outro aspecto que possa ser impactado pela cultura estabelecida.

O quê?

A terceira e última camada do Golden Circle, chamada de “O Quê”, representa um objetivo final de entrega. Por ser o círculo distante próximo do “mundo exterior”, é compreendido como o próprio produto ou serviço resultante de todo o trabalho realizado nas outras etapas.

A partir deste ponto, o caminho natural é que a empresa expanda em seu ramo de atuação, pois suas bases já são suficientemente sólidas para que comece a evoluir e alcançar outros patamares de sucesso.

O Golden Circle na prática

Apesar de partir de uma premissa simples, composta por poucas etapas, é importante ressaltar que a aplicação do Golden Circle exige um grande comprometimento e sensibilidade por parte das lideranças na hora de ser aplicado.

Atualmente, a grande maioria das empresas prioriza o investimento em estratégias de marketing focadas em apresentar seus produtos ou serviços como os melhores do mercado, construindo uma imagem para o mundo exterior que nem sempre se sustenta na prática.

Neste caso, o caminho é o contrário ao proposto por Simon Sinek, que foca em uma construção interna mais consciente e madura, para depois divulgar uma imagem mais autêntica e realmente diferente da concorrência. Como o próprio Simon diz, “As pessoas não compram o que você faz, mas o porquê do que faz”.

Gostou das lições do Simon e quer fortalecer ainda mais a sua liderança? Conheça os cursos de Inovação & Gestão da Alura e aprenda as melhores técnicas de gestão de produtos e projetos, agilidade e desenvolvimento pessoal em um mundo cada vez mais influenciado pela tecnologia.

E já que estamos falando tanto sobre lideranças ativas e conscientes, que tal fazer um curso de boas práticas de liderança para aprimorar o relacionamento com a sua equipe?

Às marinheiras e marinheiros de primeira viagem na posição de líder, a dica é este curso, que se aprofunda nos principais pontos de reflexão que as pessoas devem ter em mente ao liderar uma equipe.

E para as lideranças ativas que desejam aperfeiçoar seus conhecimentos sobre práticas de gestão, o curso mais indicado é Liderança: Práticas de Gestão e Melhorias.

Nós sabemos que tecnologia é pra todo mundo

Essas empresas acreditam nisso também: