Primeiras aulas do curso Certificação Linux LPI Essentials parte 9: Understanding Computer Hardware

Certificação Linux LPI Essentials parte 9: Understanding Computer Hardware

O Processador - Revisando alguns conceitos sobre sistemas operacionais

Bem-vindo a mais uma parte do preparatório para certificação Linux Essentials, o que vamos falar agora é um pouquinho mais sobre a parte do hardware, já falamos na verdade bem no começo quando estávamos falando lá na parte de Linux, quando falamos sobre Linux eu tive que falar para vocês sobre o que era um computador e o que era um sistema operacional, tive que falar sobre o papel de um sistema operacional.

Afinal para falar do Linux, o que é o Linux, quais são as suas distribuições, qual o papel delas, etc, eu tinha que definir o que era um Hardware, o que era um software, o que era o sistema operacional que ficava no meio de um hardware e um software para o usuário final, falamos bastante sobre isso, na verdade a seção 4.1 da prova, a sessão que nos fala sobre escolher um sistema operacional é um assunto que eu já abordei anteriormente.

Já falamos sobre as diferença do Windows, do Mac e do Linux, já falamos sobre o ciclo de vida de uma distribuição específica, vimos que o Ubuntu tem distribuições para desktop, para servidor, tem distribuições distintas e mesmo nessas distribuições distintas ele tem releases distintos, quer dizer, o Ubuntu de dois releases por ano e de tempo em tempo ele tem um release que ele faz que vai durar mais tempo o suporte àquela versão.

Ele faz o release de uma versão por exemplo 2014, mês quatro, mês 4 e mês 10 que ele faz os releases, 04/2014 e esse release fala assim, esse aqui eu vou suportar por mais anos, vou mandar updates por mais anos para você, de segurança, atualização de software, etc, os outros é menos tempo, não precisa decorar o quanto tempo específico é isso, o que precisamos decorar é que a sigla LTS significa justamente isso, o long-term é por mais tempo o suporte que vai ser dado a essa versão LTS.

Além da versão da distribuição em si, temos a versão do Kernel do Linux, a versão do Kernel do Linux, "Linux Kernel Version", vamos lá no "kernel.org", no coração, no cerne e você vai ter lá a versão principal que está em desenvolvimento hoje é a 4.5 mainline, eles têm um release candidate, um candidato a ser lançado que é o 4.6-rc2, a versão estável é a versão 4.4.6 e a versão com suporte a Long-term que está sendo suportado para longo prazo nesse instante é a 4.1.21, a 3.18.30, a 3.14.65, a 3.12.57, a 3.10.101, a 3.4, a 3.2 e a 2.6.32.

Reparem que tem diversas versões de long-term suporte bem mais antigas que as atuais, todos estão sendo suportado hoje em dia, estou agora no mês quatro, 6 de Abril, 06/04/2016 e reparem que nos últimos 3 meses teve release desde a versão 2.6 de muito tempo atrás, ainda tem esse release, esse é o fim de vida desse cara, end of life, fim de vida desse cara.

A prova pode cobrar isso para nós, saber que um release seja Kernel, ou seja de uma distribuição é lançado e é mantido por um determinado período de tempo, isso é, são lançados updates, questões de segurança são atualizadas para você atualizar no seu Linux e diversas coisas são utilizados, seja no Kernel, seja na distribuição.

Algumas versões serão suportadas por um prazo maior, porque dá trabalho você ficar atualizando tudo isso, é diferente do Windows, temos a versão 7, a versão 7 está sendo mantida, temos depois a versão 8, a versão 9, a versão 10, não temos centenas de distribuições sendo lançadas, não temos cada uma dessas distribuições utilizando versões totalmente diferentes, não totalmente diferentes, mas versões diferentes do Kernel.

Você não tem essa variedade enorme de versões sendo mantidas e desenvolvidas ao mesmo tempo no caso do Windows, ou mesmo no caso do Mac OS X, então o Linux tem todo esse ambiente por isso que algumas versões falamos que elas vão ser mantidas só por um período de tempo, outras versões vamos manter para longo prazo, costumamos chamar isso de estável, as versões que testamos, garantimos que ela está "ok" porque foi muito testado chamamos ela de estável.

Reparem que no Kernel ele fala versão estável 4.4.6, então a versão 4.5 talvez não esteja tão estável, talvez se você instalar no seu notebook mais antigo ou mais novo não funcione como esperado.

Temos a questão da versão Beta que é a versão que ainda está em teste, podemos usar a palavra Beta é bem comum aparecer a palavra Beta, é comum aparecer a palavra Alfa também, assim como depois do alfa e depois do beta, desses estágios é comum aparecer um candidato para release, o "RC", release candidate e isso significa que é uma regra que todos os projetos de Linus e todas as distribuições utilizam?

Não, algumas vão usar Alfa, algumas vão usar Beta, alguma vão usar release candidate, algumas vão usar as três coisas, não importa, o que importa é entendermos o que cada um desses caras querem dizer, beta quer dizer que ele ainda está sendo testado, release candidate que dizer que testaram bastante e está parecendo que essa versão está ótima, só não carimbamos que está ótima porque queremos deixar agora mais um tempinho para garantir, ele está em release candidate, ele é um candidato.

Está estável, fechou, está estável chamaremos esse cara de estável, a medida que garantimos que ele está estável, está funcionando da maneira que esperávamos em uma quantidade de computadores, de sistemas ou de distribuições que gostaríamos que funcionasse, esses são ciclos de manutenção de uma distribuição ou de um Kernel.

Também falamos sobre interface gráfica, o que podemos fazer na interface gráfica, vimos vários problemas de interface gráfica e é muito próximo do usuário final, muito fácil do usuário final fazer e a linha de comando onde podemos automatizar diversas tarefas e fazer utilizando só o teclado um monte de coisas.

Não significa que as coisas que fazemos na interface gráfica não dá para fazer na linha de comando ou vice-versa, dá para fazer tudo em um e no outro basicamente é só ter as duas automatizações, ter programas compatíveis com isso, só que na prática acabamos utilizando bastante a linha de comando para executar tarefas administrativas e usar programas com interface gráfica para o usuário final, é o que acabamos usando bastante.

Vimos também sobre a configuração do nosso Desktop, vimos que no processo de instalação podíamos configurar diversas coisas e se você for aqui no Ubuntu temos por exemplo no Ubuntu o System settings, tem tanto configurações do sistema como ligados a aparência, ao Bluetooth, a impressora, ao som, ao mouse, a rede, a energia, um monte de configurações do nosso sistema, aqui é uma interface gráfica para atualizar a configuração do meu sistema.

Chegamos até ver na linha de comando uma configuração para configurar a nossa rede quando instalamos um CentOS, ele por padrão estava com a rede desconfigurada, fizemos o mesmo tipo de configuração só que em uma interface de texto, dá para fazer tudo isso, seja em uma interface de texto ou uma interface gráfica, qual é a mais fácil de utilizar?

Vai depender do nosso objetivo, se eu sou um usuário para fazer uma tarefa de administração rápida no teclado, às vezes no teclado é mais prático de fazer através da linha de comando, se estou fazendo uma coisa remota às vezes a minha conexão é só via terminal e não via gráfica, às vezes eu estou usando o meu computador local e eu sou um usuário final, quero usar a administração gráfica, às vezes eu estou em uma conexão remota que tem suporte à capacidade gráfica e quero executar isso de uma maneira gráfica.

Pode ser como preferirmos, reparem que essa sessão nós conversamos bastante, o que vamos ver agora é falar mais sobre entender quais são os componentes de hardware principais de um computador e falar sobre como o HD, o nosso espaço em disco aparece e é tratado no nosso disco no ambiente Linux, vamos falar sobre isso a partir de agora.

O Processador - O processador

Nesta seção da prova vamos falar um pouco sobre a compreensão do hardware de um computador, eu já falei para vocês o que é um computador, o computador é este aparelho físico, duro, difícil de pegar, o duro do inglês é esse Hard e o ware é como se fossem coisas, as coisas duras de uma peça de um computador, tanto uma ferramenta pode ser um hardware, uma ferramenta de jardinagem porque ela também é uma ferramenta dura, daí que veio a origem dessa palavra hardware, a parte física do nosso computador no nosso caso.

Por exemplo se eu procurar na internet um laptop, um notebook nas imagens esse cara físico é um hardware e dentro deste laptop aqui, ou dentro deste computador que está aqui que não dá para trazer porque senão a gravação vai parar, temos diversas partes, o hardware é composto de diversas partes, o importante é sabermos que o hardware é essa parte física, essa parte dura do nosso computador, o que mais?

O software é o programa que eu vou rodar, é a parte mole é a parte maleável que eu posso trocar, de repente eu estou rodando um software, de repente eu estou rodando outro software no mesmo hardware. O software é essa parte maleável em que eu tenho um hardware físico instalar fixo enquanto o computador está rodando, claro que hoje em dia temos aquelas coisas plug-and-play que você conecta e a impressora começa a funcionar, você conectar sua câmera e a câmera passa a funcionar.

Hoje em dia temos um conceito um pouco mais maleável das conexões de hardware que podemos fazer do nosso computador, mas a separação hardware e software é, hardware é a parte física que possuímos do nosso computador e software é o código que vai rodar dentro do nosso computador, o sistema operacional é um código que vai rodar dentro do nosso computador.

O meu programa, por exemplo o navegador Chrome que eu estou utilizando é um programa, é um software que está rodando aqui dentro, estou rodando um Screenflow para gravar e ele é um outro software que eu estou rodando dentro do meu computador, meu sistema operacional também é um software, mas é um tipo especial de software, o sistema operacional é quem está fazendo a ponte entre este software aqui, o navegador e o meu hardware.

Já falamos sobre isso, sobre o sistema operacional ser a ponte entre o hardware e o software do usuário final, o software que eu estou utilizando aqui, ele acaba sendo um software especial por que é uma ponte entre o hardware e o software que eu vou rodar, o software são rodadas em geral usando a base do sistema operacional, um jogo que eu quero jogar é um software que está sendo rodado dentro do meu sistema operacional, então temos diversos exemplos.

Um computador é capaz de rodar vários programas até mesmo vários programas ao mesmo tempo, se eu der um "Alt+Tab" eu tenho rodando a minha VirtualBox, rodando outro sistema operacional dentro da VirtualBox, tenho outra VirtualBox, tenho o Screenflow gravando aqui, tem o Chrome rodando, tudo rodando ao mesmo "tempo".

Talvez seja ao mesmo tempo de verdade se eu for capaz de fazer duas coisas ao mesmo tempo, se eu tiver dois cérebros eu Guilherme sou capaz de fazer duas coisas ao mesmo tempo, se eu tenho dois processadores eu sou capaz de fazer duas coisas ao mesmo tempo, se eu perguntar para você quanto é 5 x 5 e 5 x 17, em geral quando fazemos essa conta faremos a 5 x 5 igual a 25, 5 x 17 igual a 85, eu espero ter acertado essas contas, rapidamente quando eu falar para você 5 x 5 e 5 x 17 você vai falar 25 e 85, se eu acertei a conta.

Reparem que parece que foi ao mesmo tempo mas na verdade mesmo, eu Guilherme acabei fazendo o primeiro um e logo depois o outro, mas é tão rápido que eu fiz um e fiz o outro que eu nem percebi, parece que é ao mesmo tempo.

Se eu tenho um computador que tem um único processador ele é capaz de fazer uma conta matemática por vez, ele é capaz de fazer um processo por vez, uma operação por vez, eu estou rodando meu navegador e realmente fazendo alguma coisa nele, ele está fazendo operações para o meu computador, para o meu processador, ele está fazendo operações para esse navegador.

Mas você fala Guilherme você tem esse outro cara rodando aqui do outro lado, você tem por exemplo um tocador de música tocando música ao mesmo tempo, não é bem ao mesmo tempo se eu tiver um único processador, mas essa troca é tão rápida, ele toca um pouco da música, calcula um pouco dessa página da web, toca um pouco dessa música, calcula mais um pouco dessa página, toca mais um pouco dessa música, calcula mais um pouco desta página.

Ele faz essa troca tão rápida que para nós seres humanos, eu e você, parece que ele está executando as duas coisas ao mesmo tempo, isso se eu tenho apenas um processador, se eu tenho dois processadores de verdade ele até está rodando as duas coisas ao mesmo tempo mesmo, ele pode estar rodando as duas coisas ao mesmo tempo mesmo, de verdade, fazendo dois processos, duas operações ao mesmo tempo.

Um computador nosso, um hardware é esse cara físico que eu tenho aqui dentro, tudo que eu tenho aqui dentro é o hardware, dentro desse hardware eu vou ter um cara extremamente importante que é o meu processador que é uma unidade que processa o meu sistema, ele é o CPU, Central Processing unit, é a unidade de processamento central do meu computador e é físico é um hardware olha ele aqui, este é um processador Intel, 80486DX2, bem antigo, visto por cima, um 486 bem antigo, ele está aqui visto por cima.

Se você olhar ele por baixo essa é a parte de baixo desse cara, desse processador, você tem diversos processadores, tem processadores da Intel, tem processadores de várias marcas, modelos, fisicamente eles são um processador, um cara físico.

Esses caras eram gigantes e foram se tornando cada vez menores, até chamamos de microprocessadores porque a capacidade deles de fazer essas operações matemáticas e etc foram necessitando cada vez de um espaço físico menor, porque o pessoal gênio foram inventando cada vez maneiras menores de serem capazes de executar essas operações.

O microprocessador é o nosso processador, a Central Processing unit, o CPU é quem executa essas operações é ele quem vai executar as contas Matemáticas, é ele que vai colocar as coisinhas para serem executadas, é ele quem executa as operações, no nosso hardware temos uma parte do Hardware que é o Central Processing unit que é quem é responsável por executar as operações.

Temos o hardware, temos o processador, podemos ter um único processador do nosso computador, fisicamente um único processador ser capaz de executar na verdade apenas uma coisa por vez, podemos ter dois processadores um ao lado do outro, fisicamente, só que se eu tenho um processador que é físico, que é capaz de executar os processos, as operações eu preciso conecta-lo em algum lugar no meu computador, eu tenho meu computador e em algum lugar eu preciso encaixar este cara.

Onde eu encaixo meu processador e todo o resto do meu hardware? Eu encaixo ele em uma placa grande que abriga todo mundo, quem tem um coração grande e abraça todo mundo? Coração de Mãe, por isso a nossa placa é a placa mãe, a Motherboard, vamos na Wikipédia, a nossa placa mãe é a placa principal que aceita diversas conexões.

Se dermos uma olhada aqui essa é uma placa mãe da Acer, reparem que tem espaço aqui para conectar várias coisas que vão conectados dentro desse cara, essa é uma placa mãe de um computador tradicional, reparem que ele tem um lugarzinho para eu colocar o CPU, o lugarzinho é o socket, sabe quando temos o lugar onde colocamos A tomada é a mesma coisa, o lugar onde colocamos o CPU, é um socket do CPU, no caso aqui é um tipo de modelo específico que suporta certos tipos de CPU.

Mas reparem aqui o espaço para o nosso quadradinho, nosso processador, a placa mãe tem um espaço para você colocar o processador e o espaço para colocar várias outras coisas, a placa mãe é um hardware ou um software? É um hardware, olha ela aqui física, ela é uma coisa física que eu tenho dentro do meu computador, eu tenho a placa mãe, na placa mãe eu tenho um processador.

Mas você fala, Guilherme no meu caso eu ouvi falar que eu tenho dois processadores, se eu tivesse dois processadores, dois CPU eu teria que ter dois espaços aqui na minha placa mãe, na prática o que acontece é que o CPU evoluiu tanto que nesse quadrado físico aqui teremos CPU, um cara físico assim que tem dois corações dentro dele, ou dois cérebros dentro dele na verdade e esses dois cérebros permitem que ele faça duas coisas ao mesmo tempo.

Se eu queria ser capaz de executar duas coisas ao mesmo tempo de verdade eu vou ter que falar da performance desse cara e se formos parar para pensar, se eu tivesse dois cérebros eu seria capaz de fazer duas coisas totalmente em paralelo existem discussões que o cérebro humano é capaz de fazer duas coisas ao mesmo tempo ou se ele também está intercalando, trocando esse contexto, pelo que eu leio parece que ele realmente troca contexto, mas isso é um outro assunto.

No caso do computador um processador está executando uma tarefa a cada instante, se eu quisesse executar duas no mesmo instante o que eu teria que fazer? Ter dois processadores, ter duas caixas quadradas aqui? Não, o que o pessoal fez? Em uma única caixa quadrada ao invés de ter um único processador dentro dessa caixa, coloca dois aí dentro.

A medida que foi diminuindo o tamanho das coisas e eles foram capazes de criar tecnologias mais doidas eles foram capazes de criar um CPU que tem dois processadores lá dentro, dois corações, dois Core, se você olhar lá você vai ter na palavra Core, MultiCore, tem até uns caras que tem vários Core dentro de um único chip, em um singlechip ele contém dois ou mais CPU que chamamos de Core.

Dentro de um único chip de CPU temos dois Core de CPU então ele é capaz de fazer duas coisas ao mesmo tempo, 4Core, 8Core, 16Core, são capazes de fazer várias coisas ao mesmo tempo, às vezes esses Core são físicos de verdade, é um chip de verdade, às vezes eles são uma sacada do CPU em que ele consegue calcular duas coisas mas não é que ele realmente está fisicamente separado, ele é algo como um Dual Core, mas não necessariamente físico.

Não precisamos entrar em tanto detalhe para prova, o que precisamos saber é que o CPU é o coração onde executam as coisas, as operações, essas operações em geral são operações matemáticas bem simples, mais simples ainda que uma conta de raiz quadrada, ainda mais básicas, raiz quadrada já é uma loucura, ele é capaz de executar contas extremamente simples e isso é base de tudo que estamos fazendo no computador.

Podemos ter 2 Core, 4 Core, pode ser que o computador finja ter mais Core do que ele realmente tem, tudo isso para tentar aumentar a performance, o CPU está ligado com a nossa performance, porque ele que é capaz de executar as operações, quanto mais operações ele consegue calcular por segundo mais rápido ele vai fazer as minhas coisas.

Se eu tenho aqui o processo de um programa extremamente lento porque envolve muita conta, se ele faz muitas contas no meu programa, o que eu preciso? Quanto mais rápido o meu CPU mais rápido ele fará essas contas e mais rápido eu terei o resultado, isso quer dizer que se eu trocar o meu CPU por um CPU mais rápido a minha internet vai ficar mais rápida?

Não é tão direta essa conexão, porque reparem que a conexão com a internet está ligada com a sua banda, com os dados que estão sendo enviados para lá e voltando, tem um processamento sendo feito no seu computador? Tem, seu computador processa algumas coisas, por exemplo quando eu entro em uma página "alura.com.br" o que eu estou fazendo?

Estou pedindo os dados para o computador do Alura que está trazendo os dados para mim e o meu navegador renderiza, mostra a página para mim tem um processamento sendo feito, o processador, o CPU está processando as informações necessárias para mostrar a página para mim.

Essa fase é melhorada com CPU melhor, se o CPU é mais rápido essa fase de renderização, de mostrar a tela para mim vai melhorar, agora se o servidor da Alura está no Brasil e eu estou acessando ele do Brasil vai ser razoavelmente "rápido" trazer esses dados, agora se o servidor da Alura estiver no Japão a informação tem que navegar todo o globo terrestre, tem que ir daqui de São Paulo até Tóquio e voltar de Tóquio até aqui.

Reparem que isso não tem a ver com o meu processador diretamente, temos duas fases quando falamos na internet por isso muitas vezes nossos pais, primos, pessoas que não entendem muito de computador falam, meu computador já está muito lento estou precisando trocá-lo por um mais rápido, quando na verdade um problema que eles podem estar tendo é que a conexão da internet deles é lenta, a conexão da internet é limitada ou algo do gênero e não necessariamente que o processador deles é lento, precisamos tomar esses cuidados.

Eu estou baixando ou assistindo um vídeo no YouTube e está travando no meio, meu computador está lento, se ele está travando no meio pode ser que seu vídeo do YouTube não carregou, a sua internet não conseguiu enviar os dados para você, seja por problemas no servidor deles, seja um problema da sua conexão local de rede e não necessariamente que o vídeo chegou e você não está conseguindo mostrar o vídeo para você, seu computador que não está conseguindo desenhar na tela.

Talvez não seja isso e em geral não é, em geral é a conexão que está com esse problema, reparem que o processador está ligado com a quantidade de operações que a sua máquina é capaz de fazer ficou lá vamos querer melhorar o processador quando os programas locais estão ficando lentos ou cálculos que são executados aqui, operações que são executadas aqui no meu computador estão ficando lentas então eu vou querer trocar por um processador melhor, tem diversos tipos de processadores para trabalharmos.

Um processador para eu me comunicar com ele tem uma linguagem bem específica por isso que é comum falarmos, você está usando que tipo de processador? É um processador x86? O x86 é uma família de arquitetura de processadores para nos comunicarmos com ele, eu consigo me comunicar com esses processadores com uma determinada linguagem, essa linguagem nós chamamos, essa maneira de se comunicar com essa arquitetura, com esse conjunto de processadores, de x86, falamos vulgarmente x86.

Falamos vulgarmente nesse cara eu estou utilizando o arquitetura x86, porquê? Porque para eu me comunicar com esses processadores eu vou usar uma linguagem comum para todos esses caras por isso quando baixamos um sistema operacional temos que baixar o sistema operacional de acordo com arquitetura que estamos utilizando, porque é um sistema operacional que vai se comunicar com ele e não meu software, é o sistema operacional que está se comunicando com o meu computador, com o meu CPU.

Quando vamos baixar o sistema operacional temos que escolher de acordo com arquitetura correta, vamos procurar aqui o Debian, "Debian download" e vamos ver as versões que temos para baixar, relações estáveis, CD, podemos baixar de CD ou DVD, tem para o i386, tem para o amd64,arm64,armel, multi-arch, source, PowerPC, mipsel, mips, tem para todas essas arquiteturas, para todos esses caras temos como instalar um Debian, para todas essas arquiteturas temos como instalar.

Estou sabendo que temos um processador e o processador serve para processar coisas localmente, e processo no meu computador diversas contas para poder mostrar essa página, quando eu clico é a internet que está trazendo as informações e quando as informações chegarem em meu computador o meu navegador usa o processador para mostrar essas informações da minha tela, ele usa muito mais hardware além de só o processador e vamos falar sobre esses outros hardwares, essas outras partes do Hardware daqui a pouquinho.

O Processador - O BIOS

Já falou que o nosso sistema operacional está ligado ao processamento que vai ser executado no CPU, na nossa central de processamento, a unidade central de processamento, agora quando fazemos essa comunicação já é um software que está se comunicando com esse cara, mas como instalamos o nosso sistema operacional?

Para instalar o sistema operacional no meu computador eu preciso ligar o computador, se eu ligo o computador o hardware por si só não faz nada eu preciso de um mínimo de código, de um código pequenininho que pelo menos "boota", pelo menos liga minha máquina e verifica se eu tenho um DVD colocado para poder instalar o meu sistema operacional.

Eu preciso de um mínimo de software lá dentro, o mínimo de código lá dentro que possa detectar se eu tenho um pen drive para instalar um sistema operacional a partir do pen drive, eu preciso de um mínimo de código dentro do meu computador que faça alguma coisa, que possa "bootar" a minha máquina, ligar a máquina, não é nem executar o sistema profissional, é ligar a máquina e ver se tem sistema operacional para rodar, eu preciso desse código pelo menos.

Esse código é como se fosse um software, ele é um código, só que ele é um código extremamente importante porque sem ele eu ligo a minha máquina, aperto o botão, ela cheia de energia e não faz porcaria nenhuma, eu preciso de um mínimo de código, um código que vai ser bem pouco atualizado porque ele serve só para que?

Só para carregar o sistema operacional, só para procurar onde tem um sistema operacional, tem aqui carrega esse sistema operacional, basicamente para isso, para ligar a nossa máquina de verdade, para fazer o boot da nossa máquina.

Esse tipo de código se chama firmware, é um ware como os outros, é um código, mas é um código que é bem um início do nosso sistema, do nosso computador, ele ligou eu quero carregar esse firmware para logo depois carregar o sistema operacional e começar a trabalhar naturalmente.

O Firmware nas máquinas PC costuma ser chamado de BIOS, que é o sistema básico de entrada e saída, esse BIOS é quem vai preparar a inicialização do sistema, testar os componentes de hardware, será que está alguma placa mal conectada, vai tentar fazer algumas coisinhas do gênero para ver se a coisa está conectada do jeito que deveria no mínimo.

Não vai configurar para ver se a tua internet está funcionando, não é necessariamente isso, vai só ver se o hardware está lá para podermos carregar o sistema operacional, é isso que o BIOS vai fazer, o Firmware chamado BIOS vai fazer para nós.

Se você parar para pensar o no nosso celular também é um computador que tem um processador, também tem um Firmware lá dentro e também tem um sistema operacional, a minha câmera fotográfica, eu tenho uma câmera fotográfica, não está aqui, eu tenho uma câmera fotográfica e ela também tem um processador, um CPU e ela também tem o Firmware dela lá dentro.

Ela não tem um software que vem depois que eu posso customizar, etc, porque é uma câmera mais simples, mas ela tem um Firmware que veio junto com a máquina, esse Firmware inclusive eu posso atualizar, eu posso entrar no site da fabricante e baixar uma versão nova e atualizar o Firmware da minha máquina.

A mesma coisa no computador, podemos atualizar às vezes o nosso Firmware de certos computadores, podemos atualizar o Firmware até mesmo de alguns celulares, existe algumas questões em alguns celulares se isso é legal ou não é legal, se de acordo com o fabricante isso é legal ou não é legal, não pode ser feito.

Mas a sacada é, existe um processador mas quando ligamos a máquina e da energia para ele precisamos carregar o sistema operacional, como fazemos então para ter algumas certezas mínimas de que o nosso sistema poderá ser carregado e que ele deve ser carregado de onde, que existe drive de CD, que existe uma placa de Ethernet para eu conectar numa rede.

Existem certas placas, para fazer isso usamos a BIOS, que carrega um sistema mínimo de entrada e saída, Basic Input/Output System e vai carregar o nosso sistema operacional que vai rodar os nossos softwares, esse Firmware, a BIOS, é extremamente importante para nós no nosso computador, é ele que "boota" a nossa máquina. Daqui a pouquinho vamos falar, agora que já sabemos que temos o Firmware, temos o sistema operacional, temos o software que vai rodar, vamos falar sobre outros componentes de hardware importantes para nós.

Sobre o curso Certificação Linux LPI Essentials parte 9: Understanding Computer Hardware

O curso Certificação Linux LPI Essentials parte 9: Understanding Computer Hardware possui 109 minutos de vídeos, em um total de 20 atividades. Gostou? Conheça nossos outros cursos de Linux em Infraestrutura, ou leia nossos artigos de Infraestrutura.

Matricule-se e comece a estudar com a gente hoje! Conheça outros tópicos abordados durante o curso:

Aprenda Linux acessando integralmente esse e outros cursos, comece hoje!

  • 1184 cursos

    Cursos de programação, UX, agilidade, data science, transformação digital, mobile, front-end, marketing e infra.

  • Certificado de participação

    Certificado de que assistiu o curso e finalizou as atividades

  • App para Android e iPhone/iPad

    Estude até mesmo offline através das nossas apps Android e iOS em smartphones e tablets

  • Projeto avaliado pelos instrutores

    Projeto práticos para entrega e avaliação dos professores da Alura com certificado de aprovação diferenciado

  • Acesso à Alura Start

    Cursos de introdução a tecnologia através de games, apps e ciência

  • Acesso à Alura Língua

    Reforço online de inglês e espanhol para aprimorar seu conhecimento

Premium

  • 1184 cursos

    Cursos de programação, UX, agilidade, data science, transformação digital, mobile, front-end, marketing e infra.

  • Certificado de participação

    Certificado de que assistiu o curso e finalizou as atividades

  • App para Android e iPhone/iPad

    Estude até mesmo offline através das nossas apps Android e iOS em smartphones e tablets

  • Projeto avaliado pelos instrutores

    Projeto práticos para entrega e avaliação dos professores da Alura com certificado de aprovação diferenciado

  • Acesso à Alura Start

    Cursos de introdução a tecnologia através de games, apps e ciência

  • Acesso à Alura Língua

    Reforço online de inglês e espanhol para aprimorar seu conhecimento

12X
R$75
à vista R$900
Matricule-se

Premium Plus

  • 1184 cursos

    Cursos de programação, UX, agilidade, data science, transformação digital, mobile, front-end, marketing e infra.

  • Certificado de participação

    Certificado de que assistiu o curso e finalizou as atividades

  • App para Android e iPhone/iPad

    Estude até mesmo offline através das nossas apps Android e iOS em smartphones e tablets

  • Projeto avaliado pelos instrutores

    Projeto práticos para entrega e avaliação dos professores da Alura com certificado de aprovação diferenciado

  • Acesso à Alura Start

    Cursos de introdução a tecnologia através de games, apps e ciência

  • Acesso à Alura Língua

    Reforço online de inglês e espanhol para aprimorar seu conhecimento

12X
R$100
à vista R$1.200
Matricule-se

Max

  • 1184 cursos

    Cursos de programação, UX, agilidade, data science, transformação digital, mobile, front-end, marketing e infra.

  • Certificado de participação

    Certificado de que assistiu o curso e finalizou as atividades

  • App para Android e iPhone/iPad

    Estude até mesmo offline através das nossas apps Android e iOS em smartphones e tablets

  • Projeto avaliado pelos instrutores

    Projeto práticos para entrega e avaliação dos professores da Alura com certificado de aprovação diferenciado

  • Acesso à Alura Start

    Cursos de introdução a tecnologia através de games, apps e ciência

  • Acesso à Alura Língua

    Reforço online de inglês e espanhol para aprimorar seu conhecimento

12X
R$120
à vista R$1.440
Matricule-se
Procurando planos para empresas?
Acesso por 1 ano
Estude 24h/dia onde e quando quiser
Novos cursos toda semana